CONTATOS, INCLUSIVE ASSESSORIAS DE IMPRENSA:
FALE CONOSCO!

Navegue à vontade

Na coluna à direita, logo abaixo das postagens preferidas do leitor, está o ZAPPING. Através dele você tem acesso direto às noticiais do dia, nacionais e internacionais, além de informações sobre quase tudo. ZAPPING. Uma central de notícias e entretenimento em que você escolhe o que quer.

29 de janeiro de 2010

HIPERTENSÃO: CUIDADOS COM A SAÚDE

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva passou mal, esta semana, com uma crise de pressão alta. A Sociedade Brasileira de Hipertensão – SBH, vale-se do fato para mandar um recado à população. Muita gente nem sabe, mas pode estar a caminho de uma vida mais curta. O assunto é sério e, melhor do que eu, a SBH explica. Segue, na íntegra, o release emitido pela entidade à imprensa:
O que é a hipertensão:
Hipertensão – pressão alta – distúrbio assintomático no qual a elevação anormal da pressa nas artérias aumenta o risco de distúrbios como o acidente vascular cerebral, ruptura de um aneurisma, insuficiência cardíaca, infarto do miocárdio e lesão renal.
A pressão arterial é transcrita com o valor da pressão sistólica seguido por uma barra e o valor da pressão diastólica. Por exemplo: 120/80mmHg (milímetros de mercúrio) – Lê-se: cento e vinte por oitenta.
Segundo a Diretriz de Hipertensão da Sociedade Brasileira de Hipertensão, são consideradas anormais as médias de PA (pressão arterial) acima de 135/85 mm Hg.
O tratamento da pressão alta é por toda a vida e deve ser tratado com medicamento e/ou mudanças de hábitos de vida, conforme orientação médica.
ESTATÍSTICAS:
- São 30 milhões de hipertensos no País e apenas um em cada 10 deles tem a pressão devidamente controlada, o que eleva as taxas de morte por complicações causadas pela doença
- A pressão alta é responsável por 40% dos infartos, 80% dos acidentes vascular cerebral (AVC) e 25% dos casos de insuficiência renal terminal.
- Em apenas 29% das consultas médicas no Brasil se faz a medição da pressão.
- Apenas 23% dos hipertensos controlam corretamente a doença. 36% não fazem controle algum e 41% abandonam o tratamento, após melhora inicial da pressão arterial.
- Os dados sobre mortalidade mais atualizados do Ministério da Saúde (2004) registram 265 mil mortes por doenças do aparelho circulatório, o que representa 30% das causas de morte dos brasileiros. Metade delas estão relacionadas à hipertensão não-controlada.
10 MANDAMENTOS CONTRA A PRESSÃO ALTA
01. Meça a pressão pelo menos uma vez por ano.
02. Pratique atividades físicas todos os dias.
03. Mantenha o peso ideal, evite a obesidade.
04. Adote alimentação saudável: pouco sal, sem frituras e mais frutas, verduras e legumes.
05. Reduza o consumo de álcool. Se possível, não beba.
06. Abandone o cigarro.
07. Nunca pare o tratamento, é para a vida toda.
08. Siga as orientações do seu médico ou profissional da saúde.
09. Evite o estresse. Tenha tempo para a família, os amigos e o lazer.
10. Ame e seja amado.

Você já leu.
Agora, siga os conselhos
e desfrute de boa saúde
e vida longa.


26 de janeiro de 2010

O ESTRABISMO JORNALÍSTICO, NA VISÃO DE JOELMIR BETING



Outro dia ouvi um comentário de Joelmir Beting para a coluna As três faces da moeda, na rádio Bandeirantes. Ele enaltecia o contingente digital brasileiro, neste início de 2010: mais de 65 milhões de internautas, consideradas todas as pessoas com mais de 10 anos de idade. O total representa 1/3 da atual população brasileira. Entusiasmado com o aumento notável de 29 milhões de navegantes entre 2008 e 2009, Joelmir apontou a produção em escala, a melhora da qualidade dos equipamentos e a venda a crédito como fatores que possibilitaram tal expansão. O analista, conhecido pela linguagem fácil que adotou para explicar o economês, foi didático e preciso. Até meados dos anos setenta a economia era tratada em termos herméticos, quase indecifráveis para a maioria da população. Havia um quê pernóstico e doutoral envolvendo os especialistas da área. De Joelmir Beting para cá, todos os profissionais que se arriscaram pelos meandros econômicos tiveram que adotar, de alguma forma, o “idioma” betiniano cuja característica, desde o princípio, foi a simplicidade por princípio. Ou isso ou seriam rechaçados pelo público. Joelmir, então, conhece bem não apenas a matéria, mas a forma de divulgá-la. Esse é o ponto. Após detalhar as informações e projetar um crescimento constante e progressivo do setor, que também se traduz por inclusão digital, Joelmir fez um protesto. Sutil, como é do estilo dele, mas um protesto. O comentarista falou do lado perverso de alguns jornais que preferem deslustrar um fato alvissareiro através da abordagem inversa, invalidando o mérito da informação. Ao invés de enaltecer o crescimento da parcela populacional já incluída digitalmente -- 65 milhões de internautas -- esses jornais preferiram olhar a notícia sob outro ângulo e desviaram o foco da questão. Para a turma do contra, o país, perto de atingir 200 milhões de habitantes, tem 125 milhões de pessoas à margem da inclusão digital. E, sem nenhum pudor, adicionaram nesse resultado menores de 5 anos de idade, uma sandice absurda.

O caso remete à passagem, muito utilizada em palestras de autoajuda, sobre o copo com líquido pela metade. Os otimistas dirão que o copo está meio cheio. Os pessimistas afirmarão que está meio vazio. O tempo do catastrofismo já passou. A insistência em negar a evidência, nos deixa como o tal copo: meio cheios desse estrabismo pestilento. Joelmir, por outro lado, está completamente cheio... de razão.


O comentário de Joelmir Beting está aqui:

22 de janeiro de 2010

MISSA DE 30º DIA DE MUIBO CÉSAR CURY

Recebo dos familiares de Muibo César Cury um comunicado sobre a missa de um mês do saudoso amigo e companheiro. Com o sentimento de pesar guardado no peito, paro um minuto para pensar e me lembro de uma notícia recente sobre a percepção cerebral do tempo.

A Ciência ainda não tem tem a explicação definitva para o fato, apenas teorias. Entre as opiniões de consenso, a comunidade científica ensina que a sensação de tempo é relativa e depende de muitas variáveis, incluindo como lidamos com a situação.
A morte de um ente querido é uma das variáveis, classificada de evento emocional dos mais complexos. A começar pela sensação de que a perda parece ter ocorrido há muito menos tempo do que realmente ocorreu. Daí a expressão, comum em casos assim: “Puxa, já faz um mês?”
É que no cérebro ficam guardadas as lembranças que reunimos ao longo da vida. E são mais intensas, claro, as recordações pontilhadas pela emoção. Quanto mais próximos de nós forem os protagonistas da memória, mais claras, nítidas e retintas são as imagens que guardamos para sempre. A isso damos o nome de saudade, um termo único no mundo.

Não há, em outros idiomas, palavra que exprima tão adequadamente a falta que sentimos daqueles que nos são caros.
Relembro versos de um antigo sucesso sertanejo, gênero musical de que Muibo gostava tanto, como lembram as fotos em que a dupla Barreto e Barroso (Muibo) posa com Nascim Filho, ao centro, e ao lado do parceiro das lides musicais, sem a caracterização artística.

(…) “Saudade palavra triste quando se perde um grande amor

Na estrada longa da vida, eu vou chorando a minha dor.” (*)

Seja o amor filial, seja o amor fraternal ou qualquer outro, a verdade é que a saudade de Muibo César Cury ficará para sempre. E graças ao mecanismo cerebral ainda não decifrado, mas intuído pela Ciência, as lembranças vão nos acompanhar até o fim com a nitidez das coisas que acabaram de acontecer.
Teimosamente, a realidade insiste em revelar que os dias da ausência de Muíbo Cesar Cury vão se acumulando no calendário da saudade. Infelizmente, Muibo nos deixou em 26 de dezembro de 2009, embora pareça que foi ontem.
A missa de trinta dias pela alma de Muibo será realizada no sábado, 30 de janeiro, às 16h30, na Paróquia Dom Bosco, localizada na rua Pio XI, 2101, esquina com a Cerro Corá, Alto da Lapa. (mapa) Telefone: 3022-3334 e site.
Essa igreja fica meio escondida, a depender do sentido em que você estiver trafegando, visto que foi contruída na parte baixa do terreno, mas você vai encontrá-la com facilidade. Use como referência a padaria Dona Deola, na outra esquina. E tem estacionamento.
* Meu Primeiro Amor - Versão de José Fortuna, Hermínio Gimenez e Pinheirinho Jr. – Gênero: Guarânia – Gravação original de Cascatinha e Inhana, em 78 r.p.m. para a gravadora Todamérica, em 1952.

20 de janeiro de 2010

FEDERAÇÃO PAULISTA DE FUTEBOL, O CALOR E OS VELHINHOS

COLUNA DO LENHAM. 604 X 120
E, mais uma vez, a Federação Paulista de Futebol, com seus gênios confortavelmente sentados em cadeiras estofadas, em belíssimas salas com ar condicionado, pisaram na bola marcando jogos para as 11 horas da manhã.
Com esta mordomia, não atentaram que o período de disputa do Campeonato Paulista – principalmente janeiro, fevereiro e março –, alcançam temperaturas elevadas, principalmente no interior de São Paulo, prejudicando o torcedor, o futebol e até mesmo a saúde do atleta.
Mas o pior de tudo isto são os Clubes, que concordaram. Até entendo a necessidade de os clubes do interior posarem de vaquinhas de presépio, para não perderem as benesses ou para manter os interesses políticos junto à FPF, mas concordar com este horário é um absurdo. Aliás, até a 15ª rodada, não vi na tabela nenhum dos grandes jogar às 11 horas da manhã. Por que será, hein?
O que me fez dar este puxão de orelhas na FPF prende-se também a um detalhe interessante na formação do elenco dos clubes neste campeonato: a idade de alguns jogadores.
Os grandes clubes contrataram ou mantêm no elenco jogadores com idade considerada avançada, mas tendo como diferencial a experiência. Corinthians e São Paulo para a disputa da Libertadores; Palmeiras e Santos para apagarem a péssima imagem deixada no Brasileirão do ano passado; e os considerados pequenos, do interior, para que possam apresentar uma bela campanha, agradar aos patrocinadores, os torcedores e, claro, tentarem permanecer com as portas abertas até o ano que vem.
Fiz um levantamento dos jogadores mais velhos de cada equipe e compilei alguns dados do site Futebol Interior. Na relação tem jogador de Seleção Brasileira, dos que passaram por ela rapidamente e alguns já rodados por vários clubes do Brasil e do exterior. Veja:

Corinthians: além de Ronaldo – 33 anos, foram contratados Roberto Carlos – perto de completar 37 anos, em 10 de abril (o mais velho do elenco), Iarley – de 35, e Tcheco – com 33 anos;



Ituano: Juninho Paulista, com 36 anos, que além de dirigente máximo do clube será jogador, e Roque Junior, que já está beirando os 40 anos;



Mirassol: Dininho, zagueiro de 34 anos, cuja melhor fase foi com a camisa do SãoCaetano;


Oeste de Itapolis: Mauro, goleiro, 32 anos, campeão Brasileiro pelo Santos em 2004;


Ponte Preta: Finazzi, atacante, retorna aos 36 anos.



E mais um montão de outros considerados “velhos” para o futebol e que estarão vestindo camisas de clubes do futebol paulista.

Estou me concentrando no futebol paulista por estar aqui, no meu quintal, mas se percorrermos a lista de clubes de outros estados teremos uma página inteira.
Aproveitando a deixa do texto, me permito fazer uma pergunta aos Dirigentes (?) dos clubes: “e os jogadores das categorias de base, onde estão?” Eles irão responder: “disputando a Copa São Paulo!!!”
Mentira!!!!! Estão nas mãos dos chamados empresários de jogadores de futebol, mancomunados com estes Dirigentes e Técnicos para serem negociados e jogarem no exterior, que dá muito mais dinheiro.
E o que estou escrevendo pôde ser comprovado em recente matéria exibida nos programas esportivos da Rede Globo de Televisão, que apontou um caso na Copa São Paulo. Note que foi apenas um caso veiculado, quantos outros há por ai? Experimente, faça uma retrospectiva dos últimos dois anos – 2008/2009 – e mencione apenas duas revelações no futebol brasileiro, vindas de categorias de base. Conseguiu? Também não, né?
Pronto, já desabafei!!!! Se o Flávio deixar eu volto à semana que vem. Até lá!!!!
Ahhhhhh!!!!! Os comentários são de inteira responsabilidade de Nelson Lenham, que sou eu.

O TERRENO FECUNDO DA FÉ, AO ABRIGO DA LEI

O blog Canal 1, acessado pelo endereço http://canal1.blogtv.uol.com.br/ tem como responsável o jornalista Flávio Ricco. Experiente, escreve sobre as atividades artísticas e profissionais do setor, particularmente as que geram notícias sobre os bastidores da televisão. Ricco sabe o que faz e pode-se afirmar que é um profissional competente. Neste dia 15.01.2010, às 16h52, Flávio Ricco postou a seguinte informação:

"Aquela velha briga entre o SBT e a TV Alagoas, que vem se arrastando numa batalha judicial sem fim, parece não ter sido engolida por muita gente na Anhanguera. Questionado sobre o caso, um dos diretores da emissora, Leon Abravanel, se demonstra irritado: "Existe uma decisão judicial que obriga a TV a voltar a exibir o SBT, mas eles insistem em não obedecer a lei. Estamos fazendo tudo que podemos. Mais cedo ou mais tarde vão ter de cumprir!", finaliza. Em setembro do ano passado, a TV Alagoas deixou de retransmitir o sinal do SBT e assinou com a Igreja Mundial do Poder de Deus, fundada por Valdemiro Santiago, ex-bispo da Universal, instituição ligada à TV Record."

Lida a nota fica uma dúvida: ou o SBT remunera muito mal aos afiliados ou, então, algo está errado nas relações que a TV Alagoas desenvolve com o mercado local. Alagoas, como todos sabem, é a capital de Maceió. A terceira maior emissora alagoana, fundada pelo ex-governador daquele estado, Geraldo Sampaio, tem totais condições de sair-se bem, comercialmente falando, junto ao mercado local. Isto, sem detrimento, é óbvio, das verbas governamentais que se transformam na galinha dos ovos de ouro de qualquer afortunado concessionário de um veículo de radiodifusão, termo genérico que identifica o rádio, a televisão e outras mídias que se utilizam da propagação de sinais radioeletromagnéticos. Esse mesmo filão também é a chamada "salvação da lavoura" de muitos jornais, revistas e congêneres, mas este adendo é apenas para constar. Voltando ao ponto da nossa questão, será que é mais interessante, em termos financeiros, e até políticos, deixar de lado uma programação popular bem estruturada no segmento a que se dedica, como é o caso do SBT, para transformar a tela da televisão em púlpito religioso? A considerar os exemplos que temos em São Paulo, onde diversas denominações religiosas disputam espaço com unhas e dentes chegando, em muitos casos a ocupar várias horas da grade de programação de
rádio e televisão, temos que acreditar que a Igreja Mundial do Poder de Deus, de Valdemiro Santiago, não tirou o SBT do ar para contentar-se com quireras ou aproveitar-se apenas do calhau, o espaço disponível não comercializado, que as emissoras normalmente usam para veicular chamadas, anúncios de empresas do grupo ou, ainda, descarregar permutas. Perdoe-me o parágrafo gigantesco, mas a intenção foi, mesmo, a de criar tensão, expectativa e uma certa incógnita aflitiva. Por outro lado, você acredita que uma emissora simplesmente abre mão de um faturamento robusto para entregar sua grade de programação a troco de migalhas?

No negócio da fé, rola muito, mas muito dinheiro e a TV Alagoas não seria diferente das demais emissoras. Quem mantém rádio ou televisão no ar, o faz também por dinheiro. Sim, mas há fatores condicionantes que, inclusive, fazem parte das exigências do próprio governo ao conceder a outorga de um veículo de radiodifusão. Entre eles, estão a prestação de serviços; a difusão da cultura; da educação; da informação; dos preceitos democráticos e a preservação de valores éticos, morais e sociais. O concessionário também não pode incitar à violência; promover a discriminação, em qualquer nível; pôr em risco a soberania nacional e a segurança pública, além de se comprometer com o atendimento pleno de tudo que esteja relacionado aos artigos da Constituição Federal, como a promoção da produção independente e regionalizada e a proibição de atuação em monopólio.

Nota-se que são muitas as obrigações a que os concessionários estão sujeitos. Não posso acreditar que os púlpitos eletrônicos substituam a programação de uma emissora de rádio ou televisão e ofereçam as contrapartidas exigidas por lei, exceto no que tange ao cumprimento do artigo 5º da Constituição, em seus incisos VI, VII e VIII nos quais se lê:


(...) VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;

VII - é assegurada, nos termos da lei, a prestação de assistência religiosa nas entidades civis e militares de internação coletiva;

VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei; (...)


Quando muito, determinados cultos e pregações, que todos veem, se limitam a mostrar milagres e conversões (evito aspas para não parecer debochado), anunciar livros, CDs e quaisquer artigos que possam representar faturamento. Não podemos nos esquecer dos pedidos despudorados de dinheiro, mal disfarçados de colaboração para o engrandecimento da obra de Deus (desta feita, não uso aspas para não parecer cínico). Alguns "líderes espirituais" (aqui as aspas cabem, sim) não se intimidam e até em praça pública agitam carnezinhos de toda ordem, cujo fim é sempre arrrecadatório. Tem fiel, iludido, que ainda está pagando carnê da compra da extinta TV Manchete, acredite! Tudo isso, sem considerar a incontável legião de obreiros, paus para toda obra, que
emprestam seus dias para edificar a fortaleza de Cristo. Como
recompensa, acenam-lhes com o reino do Céu. Quando confrontados, diante de tantos absurdos cometidos, tais "líderes" indignam-se contra o que chamam de perseguição sectária e evocam a proteção constitucional para se defender. Interessado na legião de fiéis, que significam votos, o governo, concedente, transforma-se em condescendente e nos dá a impressão de que nada faz para evitar a consecução do método inevitável de prosperar. Assim, adubado pela tolerância sub-reptícia, o terreno fecundo da fé produz colheitas cada vez mais abundantes. E assim, nascem editoras, gravadoras, jornais, revistas, emissora de rádio, televisão e até faculdades, porque educar é preciso. Declarados de utilidade pública, não pagam impostos. Quando muito, a tributação é limitada. Para observadores mordazes, "não se pode mensurar os efeitos da
atividade religiosa por parâmetros tributários". Eles preferem utilizar apenas dois conceitos para avaliar certos negócios da fé: "o primeiro, fé demais e, o segundo, fé de menos, mas sempre fede" - concluem. Exagero ou não, é algo para se pensar. A religião, como as leis, são os limites da bestialidade humana. Não me insurjo contra nem uma nem outra, pois são fundamentais. A primeira, porque promove o equilíbrio espiritual do homem. A segunda, porque ordena e disciplina a vida na Terra e garante, entre outras coisas, que o direito dos outros termine onde começa o meu e vice-versa. A TV Alagoas, como deixa claro Leon Abravanel, sobrinho de Silvio Santos e diretor do SBT, ignora a tudo e a todos e mantém o contrato com a Igreja Mundial do Poder de Deus, de Valdemiro Santiago. Qual seria a poderosa proteção que permite à TV Alagoas afrontar a lei, sem sofrer nenhuma consequência? Alguém poderia dizer, talvez, que se trata de uma questão de fé. Nesse caso, sem dúvida, fé demais.

Powered by Zoundry Raven

13 de janeiro de 2010

SÉRGIO BOCCA: PRECISA FALAR MAIS?

Por onde anda Sérgio Bocca? É a pergunta que muita gente ainda hoje se faz. Desde a morte de Luiz Lombardi, locutor exclusivo de Silvio Santos, em 2 de dezembro de 2009, pintou a curiosidade em saber quem ocuparia a vaga deixada pelo famoso locutor. Fomos atrás de informações. A primeria pista, eram as chamadas que recheiam a programação evangélica de uma igreja que aluga 22 horas diárias do canal 21, em São Paulo. Depois, ligamos para vários amigos em busca de notícias. Nada. Até que o destino acabou atuando, através de outra morte, a do querido companheiro Muíbo Cesar Cury, aos 80 anos de idade, em 26 de dezembro de 2009. Muito bem, fomos ao velório do amigo, no sábado, e voltamos ao cemitério, no domingo, para o sepultamento. Quem eu encontro? Exatamente, Sérgio Bocca.

Com o jeitão de sempre, gentil, atencioso, sociável e dono de uma voz superlativa, que dispensa comentários. Morando atualmente em Assis, interior de São Paulo, onde nasceu, Sérgio Bocca atua na tevê local conduzindo programas do tipo Shop Tour, que consagrou a fórmula de propaganda hoje seguida por muita gente. Dei ao Bocca a ideia sobre a substituição de Lombardi. Humildemente, o locutor disse apenas: "Se tiver que ser, terei muito prazer em ocupar essa vaga, por tudo que Lombardi, também meu amigo, representou para a TV brasileira".

E você ainda duvida que o Universo conspira a favor dos fatos inevitáveis? O destino fez a parte dele. Resta, agora, que o dono do SBT receba o recado e entenda os sinais, mais do que claros.
É com você, Silvio!

Assista ao vídeo de apresentação do locutor Sérgio Bocca

Powered by Zoundry Raven

12 de janeiro de 2010

FHORESP LANÇA CORTINA DE FUMAÇA E SE ENGANA COM A LEI ANTIFUMO

A Federação de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de São Paulo -- FHORESP, protagoniza mais um capítulo na novela cujo enredo giro em torno da probição do fumo no estado paulista. Em nota datada de 12 de janeiro de 2010, a



NÃO BASTA DIVIDIR O CÉU, É PRECISO LOTEAR O ÉTER


Os insondáveis mistérios da ocupação de emissoras no dial, ao sabor das necessidades de certos grupos de radiodifusão, continuam a prodigalizar benefícios. Desta feita, são dois os contemplados com tal generosidade. De um lado, a Igreja Mundial do Poder de Deus, comandada por Valdemiro Santiago. Dizem que, na verdade, quem comanda o espetáculo da Fé é Ronaldo Dedini, cuja fama nasceu da temporada em que fazia e acontecia na Igreja Universal.
Muito bem, do outro lado, o benefício recai sobre o cada vez maior grupo CBS, de Paulo Abreu. Desta vez, o grupo escolheu outra frequência para irradiar as ondas da Terra FM e arrendou a antiga 98,1 Mhz para a garimpagem de fiéis dizimistas, perdão, para a transmissão do evangelho, através das ondas do rádio. Visto assim, o negócio poderia parecer uma simples troca de frequência entre duas entidades
sintonizadas no mesmo fim. De certa forma é isso, mas vai além. A nova Terra FM passa a transmitir dos 97,3 Mhz, sem nenhum problema. O que nos chama a atenção, mas somos leigos no assunto, é a facilidade para tirar e pôr emissoras no ar. Até prova em contrário, as outorgas em São Paulo já não ocorrem há alguns anos, por absoluta falta de espaço no dial. Parece, no entanto, que esse é um mero detalhe. Há sempre um jeitinho para acomodar situações ou interesses. Claro que nem estamos considerando as emissoras piratas, inauguradas, às vezes, até com pompa e circunstância, mas notoriamente ilegais.
As igrejas, sobretudo elas, não se acanham e partem para soluções criativas. Recentemente, a Igreja da Graça, do milionário, digo, do missionário RR Soares, arrendou a Expressão FM, antiga Omega, nos 106,9 Mhz, cuja outorga original é para Mogi das Cruzes. A operação foi necessária porque a Nossa Rádio, de RR, que passa a ocupar a frequência, perdeu o lugar no dial, 91,3 Mhz. Tudo ajeitado, cada coisa em seu lugar, a vida segue sem maiores atropelos. Taí a Anatel que não nos deixa mentir.
Então é isso: como num passe de mágica,
todos terminam satisfeitos e bem servidos.


As opções "seculares" (não me perguntem o motivo dessa denominação, mas sinto uma ponta de sectarismo-xenófobo-teológico no rótulo) são cada vez mais espremidas no dial. Sim, poderão dizer, "mas, ao ouvinte,

restam o livre arbítrio e a liberdade de escolha".
Ora, eu direi -- correndo o risco de parecer blasfemo e arder no fogo do Inferno -- você acredita em milagres?


LEIA MAIS SOBRE A DANÇA DAS FREQUÊNCIAS, AQUI:


E TAMBÉM AQUI:

HEBE SE RECUPERA BEM. ELA NÃO É UMA GRACINHA?



Aos 80 anos, faz 81 em março, com aparência de muito menos, sempre esbanjando sorrisos, simpatia e vitalidade, a rainha da televisão brasileira, Hebe Camargo, é alvo das atenções de todo o país. Desde o anúncio, no final da semana passada, de que ela seria internada, para exames, no hospital paulistano Albert Einstein, formou-se um espécie de corrente positivista na torcida pela pronta recuperação da loira mais amada do Brasil. À torcida, juntam-se os milhões de fãs, além de artistas, políticos, líderes espirituais e, lamentavelmente, oportunistas que apenas esperam ganhar algum espaço na mídia revelando a profunda preocupação com a saúde da apresentadora do SBT. É o preço da fama.

A internação levou a um procedimento cirúrgico-diagnóstico mais apurado, a vídeolaparoscopia. Foram colhidas amostras de tecido, para exame. O resultado, como se sabe, revelou que Hebe tem um tumor no peritônio, membrana que envolve os órgãos do sistema disgestivo. O lado bom da informação é que o exame revelou a inexistência de metástase, quando há a formação de outros tumores, derivados do primeiro. Assim, os médicos estão ainda mais otimistas quanto à recuperação de Hebe. Dizem que, no estágio atua,l o tratamento do tumor deve apresentar resultados satisfatórios, com grande chance de cura. O estado de saúde de Hebe Camargo é bom.

Depois de ficar por um período na UTI, Hebe
passou a caminhar e a se alimentar normalmente, em franca recuperação, embora, ainda, sem previsão de alta. Daqui para a frente, resta-nos torcer pela rápida recuperação de Hebe e aguardar o retorno da loira ao vídeo, inicialmente previsto para fevereiro. Pode demorar um pouco mais, mas de uma coisa temos certeza: o sorriso e o jeito descontraído e espontâneo de Hebe Camargo em breve estarão de volta, para alegria de uma enorme legião de admiradores dessa artista simples e cativante, criadora do bordão que cabe nela mesma, como luva: afinal, ela não é uma gracinha?





Leia mais sobre HEBE CAMARGO, aqui:


E AQUI:


Equipe médica se pronunciou sobre Hebe, na manhã desta terça. Tratamento começa amanhã, quarta-feira. LEIA MAIS:

CASO ARRUDA: O QUE ELES PENSAM DE NÓS?

O desfecho da escolha do presidente e do relator da CPI da Corrupção na Câmara Distrital, de Brasília, exala forte cheiro de pizza, antes do início dos trabalhos.

Alírio Neto, do PPS, que vai presidir a CPI e Raimundo Ribeiro, do PSDB, que será o relator, já foram secretários do governador José Roberto Arruda. Como se não bastasse, as comissões que devem analisar os três pedidos de impeachment do governador são constituídas por maioria pró Arruda. Dessa forma, tudo deve continuar como dantes no quartel-general de Abrantes. Para ser claro, a inoperância nas apurações deve ser a palavra de ordem nas comissões que deveriam decidir o futuro político não apenas do governador, mas de muitos outros personagens acusados de participar de mais um triste episódio da vida política nacional.

Haja vista a volta ao cargo de presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, do deputado Leonardo Prudente (sem partido), o "deputado do dinheiro na meia", como mostraram as imagens que ficaram conhecidas como "Mensalão do DEM". Se havia a impressão de que os homens públicos deste país tripudiam do eleitor, e de resto, riem e escarnecem da Nação, agora não há mais dúvida. De onde se conclui que entre as reformas necessárias para elevar o Brasil ao patamar de país desenvolvido, a mais urgente é a reforma política. Como está não dá para ficar. Leia o noticiário sobre o caso.


FOLHA ONLINE:


ESTADÃO:


G1:

11 de janeiro de 2010

POR QUE A SENSAÇÃO NÃO É BOA?




Há notícias que dispensam comentários. É inútil acrescentar detalhes a fatos que falam por si. Após a leitura da informação que está na Folha Online, fica-se com a sensação de que é preciso fazer alguma coisa para evitar o uso da máquina administrativa por candidatos a cargos eletivos. Claro que os defensores do modelo atual vão dizer que contatos políticos são inevitáveis e necessários para o bom desempenho no exercício de mandatos ou à frente de uma pasta governamental, em qualquer nível. Na política, o gesto vale mais que a palavra. O gesto você confere agora. A palavra fica com o eleitor gaúcho.

10 de janeiro de 2010

O VOTO É SECRETO. A VERDADE, JAMAIS


Acabaram-se as férias do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ao reassumir as funções presidenciais, Lula se debruça sobre a questão que deve ter tirado o sossego dele, apesar do isolamento que a segurança presidencial garantiu ao primeiro-casal, Luiz Inácio e Marisa Letícia, durante o descanso. De volta ao batente, nesta segunda-feira, um assunto indigesto a ser tratado: o PNDH – Plano Nacional de Direitos Humanos, mais especificamente a Comissão da Verdade, para investigar crimes cometidos durante o regime militar e punir os responsáveis. O presidente Lula assinou o decreto no dia 21 de dezembro de 2009. Ato contínuo, houve protestos das Forças Armadas.
O porta-voz do descontentamento foi o ministro da Defesa, Nelson Jobim. A grita dos militares exige respeito à lei de anistia, de 1979, e denuncia a flagrante unilateralidade do plano. Apenas integrantes da repressão estariam à mercê da Justiça; militantes das várias facções oposicionisas ficaram a salvo. Se torturadores cometeram atos criminosos, não é menos verdadeiro que pairam sobre militantes da esquerda armada acusações de excessos de toda ordem; sequestros, roubos a bancos, atentados a bomba e assassinatos, inclusive. Em defesa dessas atitudes, afirma-se que os fins justificaram os meios e, nesse caso, não teria havido crime. É importante deixar claro que o decreto criando o PNDH não tem força de lei. No fundo, é um protocolo de intenções. Para ganhar aspectos legais e dar respaldo às ações previstas no plano, o texto precisa passar pelo Congresso Nacional. Uma tarefa que o Executivo reconhece ser difícil.
Ademais, o PNDH não desagradou apenas aos setores militares. Entidades agrícolas e o empresariado também se posicionam contrariamente. Por exemplo, a Abert – Associação Brasileira das Empresas de Rádio e Televisão, afirma que “liberdade de expressão é um direito de todos os cidadãos e não deve ser tutelada por comissões governamentais”. A frase demonstra o repúdio à criação de comissões para monitorar o conteúdo editorial das empresas de comunicação, prevista no PNDH. Na prática, seria a volta da censura adotada no regime militar, agravada pela ameaça de cassação da outorga das emissoras infratoras. Outra oposição de peso, foi manifestada pela Igreja Católica diante da probição de
símbolos religiosos em locais públicos, mais um item polêmico do Programa de Direitos Humanos. A preocupaçao religiosa pode ser resumida na observação de dom Dimas Lara Resende, secretário-geral da CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil: "Daqui a pouco vamos ter de demolir a estátua do Cristo Redentor", no Rio de Janeiro. A Igreja não concebe a intolerância religiosa em programa que deveria promover a livre manifestação da fé. Por último, e, talvez, o ponto mais relevante a considerar: o povo brasileiro também está interessado na transparência dos fatos que se referem ao capítulo mais importante da história recente do país. O cidadão brasileiro precisa conhecer a verdade, doa a quem
doer. Quais foram os mocinhos e quais foram os vilões durante o regime militar? Isso implica apurar responsabilidades dos dois lados. Afinal, hoje, muitos daqueles personagens fazem parte da vida pública nacional. É desnecessário nominá-los, quer entre os que se declaram vítimas, quer entre os acusados de crimes de lesa-humanidade. Muitos foram totalmente integrados, ou reintegrados, às atividades político-institucionais da nação, ocupam cargos no governo atual e devem disputar os votos do eleitorado, em outubro. O voto é secreto, mas a verdade precisa ser de domínio público.
Até para garantir, como queremos, democracia plena e direitos iguais.
Para o presidente Lula, de fato, acabaram-se as férias.