CONTATOS, INCLUSIVE ASSESSORIAS DE IMPRENSA:
FALE CONOSCO!

Navegue à vontade

Na coluna à direita, logo abaixo das postagens preferidas do leitor, está o ZAPPING. Através dele você tem acesso direto às noticiais do dia, nacionais e internacionais, além de informações sobre quase tudo. ZAPPING. Uma central de notícias e entretenimento em que você escolhe o que quer.

30 de julho de 2011

VEJA: ESQUEMA DE PROPINA NO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA


De ministério em ministério, a mesma rotina. O dinheiro público, mal usado, serve mais para fazer a fortuna de muita gente, via corrupção. Na melhor das hipóteses, usa-se o erário como fundo de caixa partidário. Depois, vêm as demissões e as solenes declarações, de sempre, retratando homens probos, acima de qualquer suspeita—a cantilena costumeira e já conhecida do cidadão brasileiro. A indignação dos que alegam inocência é tamanha que quase se acredita na veracidade das emoções. Quase, claro. Vejamos quantos “rodarão” desta vez, em mais uma operação faxina que se avizinha.
Leia a denúncia, aqui.
Leia a defesa do ministro, aqui.
Imagem: www.agricultura.gov.br (w.rossi – link)

PROBREZA CRIATIVA E IBOPE RUIM LEVAM DATENA DE VOLTA À BAND

Datena sai da Record e volta à Band. Pode parecer notícia velha ou distração do editor, mas não. Trata-se, apenas, do reflexo da falta de criatividade da televisão brasileira. Incapaz de superar a perda do sanguinário jornalista para a concorrência, a emissora do Morumbi contra-ataca. Diante desse cenário, falar o quê? Se fosse apenas por mim, eu me recusaria a tocar no assunto novamente, mas você tem o direito de conhecer os detalhes da história. Na verdade, até agora, só existe um amontoado de versões e nenhuma razão clara do que levou o gorducho ranzinza a deixar a Record “a casa de onde pareceu nunca ter saído”. Agora, o homem alega censura. Há um traço safado no ar, mas pode ser implicância minha. Na emissora de Edir Macedo, Datena vinha enfrentando problemas com o Ibope. Nos links apontados, abaixo, você encontra informações sobre o caso.

Flávio Ricco - Ricardo Feltrin, no F5Ricardo Feltrin (2) - Blog de Mauricio StycerO repórterF5 redação

Imagem: www.blogdatvdatvrecord.blogspot.com (charge – link)

29 de julho de 2011

BLOGTOUR: TRIO MARAVILHA; UM PASSEIO DE PRIMEIRA NA SEXTA

Vamos dar um giro pela blogosfesra e conhecer (na hipótese de que você não conheça, é claro) alguns endereços que valem a pena visitar.

Um dos mais respeitados e conhecidos narradores esportivos deste país, infelizmente fora do rádio, Edemar Annuseck, mantém o blog que leva o próprio nome. O tema, naturalmente, é o esporte com predominância do futebol. Pela experiência e poder de observação de Edemar, o blog é parada necessária. Apareça por lá. O acesso é aqui.

homem_blogspot

Quem de nós não arriscou uma “paulada”, através da Internet, em certas figurinhas públicas? A liberdade de expressão é uma realidade na rede. Os abusos existem, sem dúvida, mas o balanço positivo é muito maior do que qualquer exagero. Os olhos atentos e o texto agradável e corajoso fazem do blog de Eduardo Homem de Carvalho um endereço imperdível. O “Homem” sabe das coisas. Clique aqui.

O que dizer de um amigo de quase quatro décadas? Qualquer coisa que se diga sempre soará um tanto suspeita. Neste caso, não ligo se você imaginar que tento beneficiar a um amigo. No fundo, é isso mesmo. E se, afinal, eu não puder dar uma colher de chá a um amigo dileto a quem mais darei? Mas, acredite, o “senhor locutor” Dedé Gomes é uma surpresa agradável quando fala sobre cinema, um assunto que tem milhões de fãs. Veja, aqui.

Imagens: http://www.edemarannuseck.blogspot.com/ (edemar) / http://eduardohomemdecarvalho.blogspot.com/ (eduardo) / http://dedegomesoverdadeiro.blogspot.com/ (dedé)

27 de julho de 2011

DROGAS NAS ESCOLAS

Pesquisa realizada no ano passado pela Secretaria Nacional Antidrogas, órgão do Ministério da Justiça, apontou que um em cada dez estudantes havia consumido algum tipo de droga nos 12 meses anteriores. E esse índice era maior entre alunos de escolas particulares (13,6%) do que de públicas (9,9%).

O levantamento foi feito nas 27 capitais, com entrevistas de cerca de 50 mil alunos do ensino médio e das séries finais do ensino fundamental. Apurou-se que em 2004, ano em que havia sido realizada a pesquisa anterior, 19,6% dos entrevistados disseram ter usado drogas pelo menos uma vez nos últimos 12 meses. Em 2010, esse índice caiu para 9,9%. Nesse período, o único percentual que subiu foi o consumo de cocaína: de 1,7% para 1,9%.

No caso da maconha, a queda foi de 4,6% para 3,7%. Apesar da aparente redução no consumo, a coordenação da pesquisa sobre como educadores e escolas tratam do tema drogas, acredita que a rede pública de saúde não tem estrutura – número de leitos nem profissionais – para atender a juventude brasileira viciada em drogas.

Portanto, preocupa as escolas o consumo de drogas por estudantes, o que já se torna um desafio para educadores de todo o país. Mas admitem que é difícil lidar com o problema e que as redes de ensino não  estão  preparadas para isso.

O programa de prevenção dos ministérios da Educação e da Saúde, em parceria com a Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) está presente em apenas 1.255 municípios – 22% do total. E uma das principais ações é oferecer formação específica a professores de escolas públicas.

Essa preparação é feita por meio de cursos à distância, com duração de 120 horas. A estratégia, porém, só atingiu 30,7 mil docentes, o que corresponde a 2% do total de profissionais de ensino fundamental e médio na rede pública de ensino do país.

 A coordenadora do Programa Saúde na Escola por parte do MEC (Ministério da Educação), Marta Klumb, informou que o diálogo é a chave para abordar o tema. E que os professores devem criar um vínculo de confiança com os jovens. Marta é contra a suspensão de estudantes flagrados usando drogas. E explica:

- O aluno que faz uso de drogas não deve ser expulso da escola. Ele precisa ser acolhido e tratado.

A coordenadora enfatiza a importância de que os profissionais de educação sejam preparados para enfrentar o assunto sem tabus. Para isso, segundo ela, é necessária uma boa dose de conhecimentos científicos: desde o prazer que as drogas proporcionam até as consequências danosas à saúde e ao projeto de vida de cada   jovem. Mas  tudo  na  medida, para  não  despertar  a  curiosidade  daqueles  que  nunca usaram drogas.

Em Brasília, a professora da Universidade de Brasília (UnB), Margô Karnikowski, coordenou uma pesquisa em escola pública com o objetivo de descobrir como educadores e profissionais da saúde devem enfrentar a questão das drogas nos colégios. Ela ficou surpresa com o alto grau de informação dos alunos acerca dos efeitos das substâncias e mesmo de questões legais, como a quantidade de maconha ou de cocaína que diferencia porte para o consumo próprio e tráfico propriamente dito.

Fala a professora Margô: “É pouco efetivo querer ensinar coisas que eles sabem melhor do que a gente. O que se tem que fazer é discutir alternativas. Mas não é um problema de solução fácil, do tipo faz isso ou aquilo. Precisamos manter as crianças na escola a partir do esporte, da realização de cursos técnicos profissionalizantes. Dar oportunidades, criar nichos saudáveis de lazer, onde todos possam se divertir”.

Para ela, no entanto, a atuação dos professores tem limites e que o problema das drogas envolve outras esferas do poder público, além, é claro, das próprias famílias e da comunidade em que vivem. Há, ainda, o problema da permanência de traficantes nas imediações das escolas, o que é caso de Polícia.

Durante os governos Mário Covas, em São Paulo, a Secretaria Estadual de Educação proibia que policiais civis entrassem nas escolas públicas, infiltrando-se entre os estudantes, para detectar entre traficantes próprios alunos que faziam essas vezes para grupos organizados. Só essa  intransigência  do  governador  tucano  alavancou a  ação de narcotraficantes em escolas de todo o estado de São Paulo.

Leia outros artigos da Coluna do Afanasio,  clicando aqui.

Afanasio Jazadji – Jornalista, Advogado, Deputado Estadual por 20 anos, especialista em Segurança Pública e criador do Disque-Denúncia e do Resgate dos Bombeiros. Visite o site:www.afanasio.com.br

Imagens: http://www.crrifpb.com.br (logo senad – link) / www.rondacamocim.blogspot.com (estatística – link) / www.revistaepoca.globo.com (cannabis – link) / www.colinas-ma.com.br (alerta – link) / www.ex-pressoesdemim.blogspot.com (m.klumb – link) / www.busca.ibict.br (margo –link) / www1.folha.uol.com.br (m.covas – link)

23 de julho de 2011

BLOGTOUR - MORRE A CANTORA AMY WINEHOUSE

Morre Amy Winehouse, aos 27 anos. A notícia está na rede e em muitos sites e portais. Para os fãs que desejarem saber dos detalhes, reuni alguns endereços em que a morte da cantora é destaque:

Folha.comEstadãoO GloboVejaMSN EntretenimentoReuters Brasil

Em Inglês: TMZJust JaredPerez HiltonPopsugar

Atenção: no site I don’t like You in that way, há uma foto possivelmente de Amy, no local em que foi encontrada. Ampliando a imagem nota-se uma seringa hipodérmica no braço esquerdo da cantora, fazendo com que cresçam os rumores de que Amy pode ter sido vítima de overdose. (utilize o comando ctrl + para ampliar)

Alertamos, no entanto, que pode tratar-se de imagem manipulada.

Veja, aqui, no original e, abaixo, a reprodução.

Imagem: http://www.idontlikeyouinthatway.com/ (amy – link)

ELEIÇÕES 2014: CHEGA DE PIADA. A REALIDADE NÃO TEM GRAÇA NENHUMA

“Sairão todos” no comando do Dnit e da Valec. A promessa é da presidente petista Dilma Rousseff, como desdobramento do escândalo do Ministério dos Transportes.

O que vimos até agora não deixa dúvida: a corrupção, ou forte possibilidade de que ocorra, infelizmente, foi detectada no governo que aí está.

 O ex-presidente Lula, sem argumentos diante da evidência, diz que Dilma está certa ao apurar denúncias. Só faltava discordar. Suspeita-se que ele deve ter tentado convencer a sucessora a dizer que “não sabia de nada”, mas, para ela, seria grotesco demais repetir a cantilena de dois mandatos do “homem”. A presidente não tem saída. Ou faz uma limpeza geral ou não governa mais.

Demonstrando que hipocrisia não tem limite, o diretor demissionário de Infraestrutura Rodoviária do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), Hideraldo Caron, teve o desplante de dizer que Dilma exagerou nas demissões. Veja.

Para o eleitor de Tiririca, está muito claro, agora, que a piada de 2010 virou pesadelo. Os votos obtidos pelo palhaço tiveram, também, a função de levar de volta à política personagens marcados por suspeitas sérias de procedimento duvidoso no exercício do mandato parlamentar.

Para não contrariar o ditado que diz “cesteiro que faz um cesto faz um cento”, o resultado está aí para que todos vejam. Valdemar Costa Neto foi o mentor intelectual da piada eleitoral de que também se beneficiou. O episódio do Ministério dos Transportes acabou revelando que, de algum forma, Costa Neto já estava nas teias de poder em esquema que revela a boca torta pelo uso do cachimbo. Brincar com o voto é brincar com o futuro. No final das contas, quem é o palhaço? Relembre, aqui.

Historicamente, o primeiro ano de um mandatário é gasto em organizar a máquina administrativa. Nomeações, distribuição de cargos, formação da base de apoio, ajustes de interesses e demais detalhes que permitirão exercer a governança.

O segundo ano é aquele em que o governo eleito tenta fazer alguma coisa, com as limitações de sempre impostas pela oposição de ocasião.

A chegada do terceiro ano de mandato marca o início do planejamento efetivo para a reeleição no cargo ou a escolha da sucessão.

No último ano, metade é gasta com a sintonia fina da estratégia eleitoral e a outra metade é dedicada ao envolvimento pessoal na campanha da próxima eleição.

É notório que Lula já está em campanha para 2014. Fica patente que Dilma foi escolhida para exercer um mero mandato-tampão, preparatório para a volta de Lula. Portanto, se Dilma não fizer algo agora, não terá a mínima chance de pretender permanecer no cargo. A esta altura, ainda que em meio a tantos aborrecimentos, Dilma já deve ter se deliciado com o gostinho do poder. E não vai sair da mesa, assim tão facilmente.

Para ser sincero, é lamentável imaginar que se estamos mal com ela, estaremos pior com ele. A menos, é claro, que o eleitor desperte para a realidade e mostre, nas urnas, em 2014, de quem é a força. Chega de piadas. A realidade não tem graça nenhuma.

Imagens: www.jornalmontesclaros.com (dilma - link) / www.em.com.br (lula – link) / www.veja.abril.com.br (caron – link) / www.brasileconomico.com.br (tiririca – link) / www.ksasogra.blogspot.com (costa neto – link) / http://www.jornalagora.com.br (lula/dona canô – link) / www.jb.com.br  (tiririca – link)

22 de julho de 2011

BLOGTOUR – parte 2

A notícia não é nova, mas muita gente ainda não viu o vídeo de um jovem cantor sult-coreano, sucesso na Internet. O episódio lembra a surpreendente participação da cantora escocesa Susan Boyle no programa 'Britain's got talent', na Inglaterra. Ninguém deu nada pela moça ao entrar no palco. Bastou que ela começasse a cantar para que a emoção transmitida por uma voz excepcional, se espalhasse pelo mundo. Conheça Choi Sung-Bong. Veja mais

A PEC 23/2007 de autoria do deputado Gilberto Palmares, do PT, causou um certo alvoroço, em junho, por pretender incluir na Constituição Federal o direito à orientação sexual, para acabar com a discriminação contra homossexuais. A proposta fez barulho, mas poucos tiveram coragem de assumir posição, contra ou favoravelmente ao tema. A deputada estadual, pelo Rio de Janeiro, Myrian Rios, foi uma das corajosas. Pois agora, parte da imprensa tem criticado a deputada em aparente tentativa de colocá-la em maus lençóis perante o eleitor. Eu diria a Myrian para não se preocupar. Quem a ouviu, certamente, entendeu o recado (reveja, aqui). Veja a reportagem do Estadão e tire sua conclusão.  É bom que se diga que o jornalão paulista não está sozinho nessa cruzada libertária. Outros veículos engrossam fileiras contra a deputada. De onde se conclui que há muita gente interessada no babado (cruzes!!!).

Imagens: www.shibasakikazegumo.blogspot.com (cantor) / www.integracaobrasil.blogspot.com (Myriam)

BASTIDORES DA JUSTIÇA / SACO SEM FUNDO E O DONO DO MUNDO

Bastidores da Justiça – Notícia sobre viagem do ministro do STF—Supremo Tribunal Federal—José Antonio Dias Toffoli à Itália, para o casamento do advogado criminalista Roberto Podval, traz à tona as relações proibidas entre as partes de um processo judicial. Existe a suspeita de que a viagem do magistrado foi bancada por Podval. Para comparecer ao casório, o ministro faltou à sessão do Supremo. Toffoli alega que por se tratar de assunto estritamente pessoal não precisa dar explicações à ninguém sobre os atos que pratica. Será que é assim mesmo? Leia mais

Sem limite – O episódio do descredenciamento do estádio do São Paulo F.C. para a abertura da Copa do Mundo, em 2014, e a liberação de recursos públicos para a construção do Fielzão, do Corinthians, estão engasgados na garganta de todas as torcidas. O privilégio ao time das massas é acintoso. A história não está clara e soa pior ainda à cada lance. O custo final do Fielzão ninguém pode imaginar, mas já supera os 900 milhões de reais. Leia mais

Dono do mundo – A situação do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, é desconfortável. O confronto com a corporação dos Bombeiros daquele estado e as relações do governador com empresários foram determinantes para a queda de popularidade de Cabral. O primeiro caso, revelou que a arrogância pessoal do governador o levou a desconsiderar o sentimento de respeito e admiração do povo pelos soldados do fogo. No segundo caso, a fatalidade escancarou outra falha do chefe do governo fluminense. Leia mais

21 de julho de 2011

PROTEÇÃO A TESTEMUNHAS FALIU

O Sistema Nacional de Assistência a Vítimas e a Testemunhas Ameaçadas (Provita), do governo federal, tem cerca de 1.200 pessoas sob proteção no país, mas o programa enfrenta problemas como a falta de verbas e infraestrutura, além de atraso nos repasses financeiros. O orçamento anual, de R$ 14,4 milhões, que já era considerado baixo pelo próprio governo, foi ainda mais reduzido com o corte orçamentário de R$ 50 bilhões da presidenta Dilma. E há ainda denúncias de irregularidades na gestão.

Um casal carioca incluído no Provita, depois de agredido por milicianos que ajudaram a prender com sua ajuda nas investigações, acabou sendo expulso do programa após denunciarem à Polícia Federal, ao Ministério Público do estado e à Presidência da República supostas irregularidades, como a falta de infraestrutura e a suspeita de desvio de recursos. Leia, aqui

Por ano, cerca de 120 pessoas desistem da proteção especial a que têm direito. Entre os principais problemas detectados estão a falta de dinheiro e o atraso, por vários meses, nos repasses da verba para o pagamento a ONGs (organizações não-governamentais) responsáveis pela execução do sistema.

O próprio PNDH 3 (Plano Nacional de Direitos Humanos) já sugeriu, tempos atrás, a ampliação da verba do Provita. A intenção, como se apurou, é aumentar os recursos com o Plano Plurianual, que prevê o orçamento entre 2012 e 2015. Embora haja problemas, é certo que nunca houve morte de uma pessoa sequer enquanto estava dentro do Provita, que foi criado em 1996, no Recife, mas tornou-se lei três anos depois.

O objetivo foi fazer com que pessoas ameaçadas pudessem recomeçar a vida em outro estado, com segurança, e colaborassem em inquéritos e processos criminais. A lei nº 9.807 determina ainda ajuda financeira mensal e proteção por dois anos, podendo ser prorrogada.

Nada, portanto, como se assiste em filmes de cinema e tv como acontece nos Estados Unidos. Lá, as testemunhas protegidas e suas famílias não só são transferidos de estado, mas ganham lugares definitivos para morar, tem suas identidades trocadas e conseguem colocações em bons empregos e ótimas escolas. Por aqui – é ou não um insulto à inteligência? – a proteção é por dois anos, quando se sabe que um processo-crime pode demorar por mais de 10 anos. Quase igual...

O casal denunciante que foi expulso do Provita, no Rio, contou que era obrigado a assinar recibos em branco e notas fiscais superfaturadas para pagar despesas com hospedagens. Denunciaram, também, falta de assistência médica, precariedade nas instalações onde ficavam escondidos, além de não ter dinheiro nem para a compra de remédios.

A precária e falida proteção de testemunhas brasileira recebe o repasse de recursos da seguinte forma: o governo federal transfere o  dinheiro  para  os  governos  estaduais, que, em seguida, encaminham às ONGs. Para a vítima acessar o Provita, cada caso é avaliado por um conselho deliberativo, formado pelo poder público, tribunais de Justiça, Defensoria Pública, Ministério Público Federal e Estadual, Ordem dos Advogados do Brasil e outras entidades. Como percebem, sem nenhuma burocracia...

Como sempre, entre nós, a segurança pública não é vista como prioridade. Não é nada estranho, portanto, que o Provita sofra dos mesmos problemas que as polícias Federal, Civil e Militar com a limitação de recursos.

Importante ferramenta no combate à criminalidade, principalmente a organizada, fosse melhor estruturada e respeitada pelas próprias autoridades, atrairia muito mais pessoas, inclusive delinquentes arrependidos a participar de um programa sério de proteção a testemunhas e de ajuda à Justiça.

Como visto ultimamente, até mesmo pelas decisões do Supremo Tribunal Federal, estamos indo na contramão do que se entende por Direito e Justiça no mundo. Aqui tudo se pode ou é facilitado para justificar o crime e aliviar a vida do bandido. Enquanto países mais civilizados e flagrantemente mais sérios que o nosso, esmeram-se em proteger sua gente a via aqui não é de mão dupla, sendo as pessoas de bem cada vez mais esnucadas.

Leia outros artigos da Coluna do Afanasio,  clicando aqui.

Afanasio Jazadji – Jornalista, Advogado, Deputado Estadual por 20 anos, especialista em Segurança Pública e criador do Disque-Denúncia e do Resgate dos Bombeiros. Visite o site: www.afanasio.com.br

Nota do editor: O Provita é um programa do governo federal, implementado pelas unidades da Federação, supervisionado pelo Ministério Público. Em São Paulo, é coordenado pela Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania. O logo que encima a coluna representa o estado paulista. Veja mais

Imagens: http://www.justica.sp.gov.br (logo e link)  / http://www.fonaper.com.br (pndh3 – link) / www.eshoje.com.br (silhueta – link)

20 de julho de 2011

AINDA O COMPLEXO DE VIRA-LATAS

O texto sobre o complexo de vira-latas que assola a seleção feminina de futebol repercutiu bastante neste espaço. Graças a uma ajudinha de Milton Neves, que retuitou o link via Twitter, o artigo chegou a um grande número de pessoas. No entanto, acho que um dos conceitos que eu quis transmitir parece que não ficou claro. Desde já, a culpa não é do leitor. Creio que tenha faltado uma certa habilidade de minha parte para transmitir a mensagem. Acontece. Para encerrar o assunto, vou desenvolver melhor a parte que causou o desentendimento.

Uma coisa é a falta de preparação mental que eu notei nas jogadoras brasileiras durante a partida contra os EUA há dois domingos. Outra é a falta de estrutura (e ela já virou desculpa-muleta para os sucessivos insucessos) que o futebol feminino vive no Brasil. E falta de estrutura significa uma série de situações. Uma delas: até hoje, os grandes clubes não investem na modalidade e, com isso não temos um campeonato nacional que dê visibilidade às nossas jogadoras. (Acho que aqui se aplica o efeito Tostines: como não temos um campeonato nacional, os grandes clubes não investem na modalidade)

Notas do Editor: biscoitos Tostines explorava o slogan “é fresquinho porque vende mais ou vende mais porque é fresquinho”? — É comum usar-se a expressão quando se deseja mostrar que uma coisa leva à outra. Agradeço, também, ao “canhão” Milton Neves, pelo apoio ao blog.

Esses problemas não deveriam impedir a seleção feminina de conquistar títulos expressivos. Claro que devem existir outros fatores, e o blog Futepoca até esmiúça outros deles de forma bem competente.

Entretanto, continuo achando que ainda falta força mental às meninas do Brasil. Não há ninguém que chegue a elas e diga: “Vocês podem vencer. Vocês são maiores que toda essa falta de estrutura”. Existem excelentes profissionais trabalhando nessa área conhecida como Psicologia do Esporte que poderiam ajudar.

Um nome que vem à lembrança agora é o de Suzy Fleury. Bom, se a CBF não tem verba suficiente para contratar um nome já consagrado como o dela, outros nomes podem fazer esse trabalho de forma eficiente e barata.

O que não dá é ficar jogando tudo na conta da falta de estrutura. Espero ter sido claro nesta breve explicação.

Para ler mais artigos do mesmo autor, no FG-News, clique aqui.

Acompanhe também os textos sobre futebol deste colunista no site de cultura pop Laboratório Pop:http://www.laboratoriopop.com.br/geral

Você pode ouvi-lo também nas jornadas esportivas da equipe Expressão da Bola:
http://www.expressaodabola.com.br

Imagens: www.semprebahia.com (caricatura m.neves – link) / www.atribuna.com.br (seleção feminina – link) / www.futepoca.com.br (logo) / www.engenhod.com.br (tostines: pesquisa google produtos) / www.internews,jor.br (s.fleury – link)

16 de julho de 2011

ACREDITE, SE QUISER. DATENA PODE ESTAR DE VOLTA AO MORUMBI

datena_back.jpg

 José Luiz Datena volta à Bandeirantes!

A frase, embora pareça absurda, está muito perto da realidade.

Recém-recontratado pela Rede Record, em operação milionária que incluiu, além de regalias salariais, o perdão de uma indenização que Datena teria que pagar à contratante por força de ação judicial anterior, o irado gorducho pode voltar para a emissora dos Saad.

A informação foi publicada na coluna de Mônica Bergamo (acesso restrito a assinantes), na Folha.com e, também, na coluna de Flávio Ricco (sem restrições), no portal UOL. A própria Folha.com veicula um texto a respeito, aberto a todos. Certamente, a notícia encontra-se replicada em muitos outros veículos e mídias como estou fazendo agora.

José Luiz Datena já se encontrou algumas vezes com o diretor presidente do Grupo Bandeirantes de Comunicação e o assunto tem sido o provável retorno do apresentador ao Morumbi. O próprio Datena, com o jeitão blasé de sempre, admite os encontros e a possibilidade de voltar.

Uma coisa é o direito inalienável que empresas e profissionais têm de buscar o que é melhor para os próprios interesses e, outra, bem  diferente, é o que certas negociações fazem supor. No caso em questão, é impossível deixar de pensar em alguns fatores que envolvem e atingem os personagens da história.

Johnny Saad – Se Datena era tão importante para a empresa dele, por que o dono da Band não se mexeu antes da efetivação da saída do apresentador? Será que os “cabeças-pensantes” daquela emissora imaginaram que Datena estava blefando? Outro ponto negativo: como ficam as pessoas das quais Datena declarou que não gosta e que ainda estão na casa? Provavelmente não ficam. Barbas devem estar de molho…

Record – A empresa do bispo Macedo cai em descrédito, diante do telespectador, após ter feito tantas concessões ao jornalista. Até o comandante Hamilton, piloto de helicóptero, considerado braço direito do apresentador, entrou no pacote de exigências para a transferência. Não deve ser nada agradável saber, agora, que Datena cogita a possibilidade de voltar ao antigo emprego. Soa como traição pura, difícil de engolir.

Datena – À semelhança do gesto hipócrita dos jogadores de futebol que beijam a camisa “do time do coração” que os contratam a peso de ouro, Datena —ao deixar o Morumbi— afirmou, num aparente misto de sinceridade e emoção, que voltava “para casa”, pois a Record sempre foi o seu verdadeiro “lar”. Datena, então, mentiu ao público. Tudo foi encenação, pura falsidade. E agora, qual será a desculpa?

datena_mau.jpgO que salta aos olhos de todos é o mercenarismo explícito do gorducho que, no entanto, está na dele. Que culpa tem José Luiz Datena se a mediocridade reinante na televisão brasileira depende da figura grotesca, violenta e sanguinária que o profissional representa? Azar dos outros. Inclusive seu, prestes a ser consagrado no papel de teleidiota.

Plim, plim… a Globo deve estar morrendo de rir. A concorrência é amadora demais!

Imagens: fotomontagem -www.analisetv.blogspot.com (link da foto original) www.agenciabrasil.ebc.com.br (j.saad – link) / www.mseleriem.blogspot.com  (e.macedo – link) www.vejasp.abril.com.br (montagem rosto – link foto original) / www.televisao.uol.com.br (datena) link)

15 de julho de 2011

REDE RECORD CORTA SALÁRIOS PARA MANTER ESTRELAS

confusao

A Rede Record de Televisão está perdida! Um dos sintomas mais claros disso é a mudança constante na grade de programação, o que inclui horários das atrações. Outra atitude que leva diretamente ao raciocínio de que as coisas não têm saído conforme o planejado anteriormente, no papel, são as mais recentes aquisições profissionais.

Na luta pelo Ibope, a emissora da Barra Funda, em São Paulo, capital, tem feito verdadeiras loucuras ao contratar profissionais que, a direção acredita, farão a audiência da casa subir feito foguete. Pelo que se desenha no horizonte, a Rede Record voltará à carga para tirar profissionais da concorrência, tal como fez algum tempo atrás. E isso custa dinheiro, claro.

Pelos corredores da emissora cabeça-de-rede e afiliadas ainda ecoam as cifras milionárias que envolveram, por exemplo, a volta de Datena para os quadros da Record.

Roberto Justus, apesar de Silvio Santos ter dispensado a multa rescisória, deve ser regiamente remunerado. E, a se concretizar a intenção de contratar mais gente conhecida, a folha de pagamentos da casa deve crescer assustadoramente.

Some-se ao quadro até agora descrito, o fato de que a Record tem mantido programas no ar sem intervalos (aguarde a página carregar completamente, para ver a nota) comerciais por até quase seis horas ininterruptamente, para evitar que o telespectador mude de canal durante os comerciais e não volte mais.

torneira.jpg

É verdade que a relação com o dinheiro é diferente pelos lados da rua da Várzea. Diante da injeção constante de recursos financeiros que a igreja Universal realiza no caixa da rede, nunca houve uma preocupação nesse sentido por parte da direção executiva da emissora do bispo Macedo. Até então, tem sido um festa!

Parece, no entanto, que alguém decidiu pôr um basta na situação. Afinal, até quando jorrarão milhões pela torneira?

A coluna Outro Canal, de Keila Jimenez, na Folha.com informa que para contrabalançar o grande dispêndio financeiro que a rede vai ter, a nova ordem na emissora do bispo é economizar em cima das equipes técnicas e de produção.  bastidores_record.jpg Parece que a Record se esqueceu que televisão é, como quase tudo na vida, trabalho de equipe. Para que Adriana Reid, por exemplo, coloque o rostinho bonito na tela, um batalhão de profissionais entra em ação para dar o suporte a ela. Portanto, sozinhos (Datena, Justus e quem mais chegar), não podem fazer nada. Ou será que a Universal, habituada a operar milagres —inclusive financeiros—, será capaz de realizar tais proezas também nesse departamento?

É… a Rede Record de Televisão está perdida!

Imagens: http://www.naoacreditei.com  (sinalização – link ) / www.ibope.com.br (logo) / http://www.brasilnanetnoticias.com (luciano – link ) / www.gutocassiano.blogspot.com (torneira – montagem sobre original de guto cassiano - link) / http://espelhotv.blogspot.com (equipe - link / www.microcamp.com.br (bastidores – link ) / www.rederecordblog.blogspot.com (redação – link)  /  http://www.flickr.com  (bastidores) / http://anjosguardioes.com  (motolink – link ) / http://audienciamundotv.wordpress.com  (a.reid – link) / www.www.quasesemquereer.blogspot.com (confuso - link)