CONTATOS, INCLUSIVE ASSESSORIAS DE IMPRENSA:
FALE CONOSCO!

Navegue à vontade

Na coluna à direita, logo abaixo das postagens preferidas do leitor, está o ZAPPING. Através dele você tem acesso direto às noticiais do dia, nacionais e internacionais, além de informações sobre quase tudo. ZAPPING. Uma central de notícias e entretenimento em que você escolhe o que quer.

31 de agosto de 2011

CRACK: INTERNAR NÃO É HIGIENIZAR

O Ministério da Saúde anunciou que o governo federal poderá ajudar financeiramente os Estados e municípios que adotarem a mesma estratégia iniciada pela prefeitura do Rio de Janeiro que passou a promover a internação compulsória de moradores de rua – inclusive menores de idade – viciados em crack. (foto mostra ação policial, no Morro do Jacarezinho, RJ)

Em São Paulo, a Secretaria de Negócios Jurídicos da Prefeitura divulgou, há dias, um parecer técnico que dá base jurídica para a implementação dessa mesma política por parte das secretarias municipais da Saúde e da Promoção Social.

O parecer afirma que toxicômanos são considerados civilmente incapazes pela legislação em vigor, podendo assim ser levados à avaliação de um psiquiatra mesmo contra a vontade, desde que haja avaliação clínica prévia e autorizada da Justiça. O documento também afirma que crianças não têm capacidade para decidir o que querem fazer.

Idêntico é o argumento do ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Para ele, os viciados em crack, nos casos de dependência extrema, perdem o discernimento. “A internação clínica compulsória é ação de proteção à vida, desde que haja profissionais de saúde e de assistência social, após avaliação individual dos dependentes”, diz ele.

Enquanto no Rio de Janeiro e em São Paulo as duas prefeituras mobilizaram-se institucionalmente para adotar essa estratégia, procurando agir de comum acordo com o Ministério Público e com os juízes das Varas da Infância e Juventude, em Brasília o ministro da Saúde não tem apoio nem mesmo na pasta que chefia. Subordinado a ele, o Departamento de Saúde Mental não chegou a um consenso sobre sua proposta. E esta, além disso, tem a oposição frontal da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad).

Há três meses, quando anunciou a conclusão de uma pesquisa nacional sobre o consumo de drogas feita pelo Senad, em colaboração com a Fiocruz e a Universidade de Princeton, a secretária Paulina Duarte afirmou que não há “epidemia de crack” e classificou como “pedagogia do terror” as campanhas institucionais contra o consumo de entorpecentes. Disse ela: “O que se tem no imaginário popular é que o Brasil está tomado pelo crack. Não há um exército de zumbis consumindo num só lugar, mas pequenas ‘cenas de uso’. No levantamento que fizemos, vimos pequenas cracolândias móveis, que migram em busca de melhores condições de sobrevivência. Combaterem-se essas ‘cenas’ com atendimento na rua, não com abordagem higienista, de recolher usuários”, disse Paulina.

dilma_corta_verba

Essa divergência entre o ministro da Saúde e a chefe do Senad é só um dos aspectos da questão da internação compulsória de moradores de rua viciados. Outro aspecto envolve o financiamento dessa política. Embora a presidenta Dilma Roussef tenha afirmado durante a campanha eleitoral que o combate à droga seria uma das prioridades de sua gestão, desde sua posse o governo cortou pela metade as verbas previstas para o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack. Em recente audiência pública no Congresso, a secretária Paulina Duarte deixou claro que, com o dinheiro à disposição, não conseguirá cumprir compromissos firmados no ano passado pelo governo do presidente Lula.

Já dirigentes do Conselho Federal de Medicina (CFM) acusam Dilma de ser “incoerente com compromissos assumidos durante a campanha” e afirmam que o corte das verbas federais mostra que ela jamais teria considerado o combate às drogas prioritário.

Integrante da Comissão de Assuntos Sociais do CFM, o médico Ricardo Paiva diz que há um déficit de 7,5 mil leitos para atendimento de pacientes dependentes de crack que estão em fase de desintoxicação. Segundo ele, “existem atualmente 2,5 mil leitos e o próprio Ministério da Saúde afirma serem necessários 10 mil”.

Fica evidente, portanto, o abandono das promessas de campanha e as divergências entre ministros com relação a questões importantes que o governo Dilma aos poucos vai pecando pela falta de ações coerentes em áreas essenciais, como saúde e segurança. Que os compromissos sejam, urgentemente, retomados a fim de que as cracolândias e suas vítimas não se multipliquem.

Leia outros artigos da Coluna do Afanasio, clicando aqui.

Afanasio Jazadji – Jornalista, Advogado, Deputado Estadual por 20 anos, especialista em Segurança Pública e criador do Disque-Denúncia e do Resgate dos Bombeiros. Visite o site:www.afanasio.com.br

Imagens: www.noticias.r7.com (link) / www.enfermagem-news.com.br (link) / www.politicalivre.com.br (link) / www.meionorte.com (link) / www.isaude.net (link)

KEILA LIMA, EX-REDETV, EXIBE CASCA GROSSA AO DESPEDIR-SE DO MANHÃ MAIOR


Ninguém pode dizer que Keila Lima, ex-colega de apresentação de Daniela Albuquerque, no programa Manhã Maior, da RedeTV, é medrosa. Ontem, 30 de agosto, foi o último dia de Keila na atração. Desde hoje, Regina Volpato, ex-Casos de Família, do SBT, divide com Daniela o comando do programa.
Keila Lima, segundo as próprias palavras, tem 12 anos de carreira. Vinda da reportagem, ainda guarda aquela arrogância e um autoritarismo (sempre confundido com autoridade) que costumam estar presentes na expressão facial, nos gestos e no tom de voz de mocinhas e mocinhos que enchem a telinha (e a paciência do telespectador) de caras e bocas.
Quem asssitiu a qualquer um dos programas Manhã Maior, ao longo dos cinco anos em que esteve no ar com a participação de Keila, deve ter notado, sem dúvida, uma constante ponta de grosseria indisfarçável da profissional, agora substituída, não apenas contra os  colegas de apresentação (antes, Arthur Veríssimo dividia com Keila e Daniela o comando do programa) mas também em relação aos convidados. De temperamento forte, Keila cortava a palavra de quem estivesse falando como a passar a mensagem “aqui, quem manda sou eu!”
Trabalhando ao lado de Daniela Albuquerque, mulher de Amilcare Dallevo, um dos donos da emissora, acho até que Keila Lima durou muito no ar. Era visível o constrangimento de Daniela com algumas atitudes da colega.
Se Keila não gostava da função de “mestre” da mulher do patrão, que se mantém no ar apenas por isso, não deveria ter aceitado a missão de forjar uma apresentadora. Dizer, como disse, que ensinou tudo o que sabe à Daniela não foi apenas grosseria de Keila. Foi, também, um atestado de incompetência, visto que Daniela não aprendeu muita coisa.
O comportamento agressivo da apresentadora demissionária foi mantido até o último instante. Numa demonstração de que não se intimida, tirou o ponto eletrônico do ouvido (para não ser interrompida, aos gritos, pela direção) e mandou o recado de despedida.
Para onde Keila Lima vai, ainda não se sabe. Seja qual for o destino dela, porém, será difícil manter-se no ar com o mesmo tipo de atitude. Exceto, talvez, se voltar à reportagem.
Keila deve ter assistido ao desempenho de Regina Volpato, a substituta, na estreia. E, certamente, entendeu (espero) que gentileza, cordialidade e boa educação, cabem em quaisquer lugar e atividade.
Veja a despedida de Keila Lima, aqui ou clique sobre o botão do Youtube, acima. Dois cliques ampliam a tela.
O incidente, que originou este comentário, foi noticiado pela coluna Outro Canal, escrita por Keila Jimenez, da Folha. Veja, aqui.
Imagens: www.portalpin.com (link) / www.forum.hardmob.com.br (link)

UM GIRO NA REDE – 31.08.2011

EDITORIAL (PRECIPITADO?) DO FINANCIAL TIMES ELOGIA DILMA ROUSSEFF
ft_dilma
Editorial do jornal britânico Financial Times defende a “faxina” da presidente Dilma Rousseff, em combate à corrupção. Segundo o jornal, as denúncias envolvendo os ministérios do Turismo e dos Transportes eram previsíveis, diante dos próximos eventos esportivos de grande repercussão, a Copa do Mundo de Futebol, em 2014 e a Olimpíada, em 2016. Citando uma informação divulgada pela Fiesp – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, sobre o custo da corrupção no Brasil, o jornal acredita que o próximo passo é uma reforma tributária para sanear o contaminado cenário político nacional. Além disso, permitir o crescimento da corrupção poderia ser perigoso para a estabilidade social da nação. Como exemplo, o Financial Times menciona os protestos, na Índia, contra suborno, nepotismo e desvio de dinheiro público (veja, aqui). Os três ingredientes são constantemente denunciados em nossa política. Se o editorialista do Financial Times esperasse mais um dia para escrever, talvez não manifestasse a mesma opinião. Com a absolvição, ontem, da deputada Jaqueline Roriz, acusada de envolvimento no episódio do mensalão do DEM, em Brasília, fica difícil acreditar que o tom positivo do editorial fosse o mesmo. Veja, aqui e aqui.
N.R. Equivocadamente, publiquei a reprodução, em foto, de outro editorial do FT, no lugar do que, agora, está corrigido. Agradeço a Marcos Vinicius Gomes, pelo aviso.

30 de agosto de 2011

DEPUTADOS ABSOLVEM JAQUELINE RORIZ EM ATO DE AUTOPRESERVAÇÃO


jaqueline_roriz_thumb[4]
Simplesmente vergonhoso. Em votação secreta, deputados garantiram o mandato da colega Jaqueline Roriz, do PMN do DF, acusada de receber dinheiro de Durval Barbosa. Como se recorda, Barbosa foi o pivô da denúncia do mensalão do DEM. (relembre, aqui)
A imagem de Jaqueline recebendo o dinheiro foi veiculada por todo o país e até no exterior. A deputada, mais tarde, alegou que o dinheiro não tinha nada a ver com o propalado mensalão; era verba de campanha, via caixa-dois.
A defesa da parlamentar descaracterizou o crime, sob a alegação de que o fato ocorreu em 2006, antes de Jaqueline Roriz ser eleita e empossada no atual cargo de deputada federal. Sendo assim, ela não poderia ser acusada de quebra de decoro parlamentar, pois, na época, ainda não exercia o mandato.
Protegidos pela votação secreta, certamente, alguns colegas de Jaqueline, na Câmara, discursaram para a TV, mas inocentaram a deputada na hora de votar contrariando, inclusive, orientação da bancada. O receio, dizem especialistas, era criar um mecanismo punitivo do qual, amanhã, qualquer deputado pudesse perder o mandato diante de acusações de quebra de decoro. Ou seja, quem usa cuida.
Em discurso aos colegas, a parlamentar ainda encontrou um jeitinho de culpar a imprensa pela desonra de foi vítima—como tem se tornado habitual a toda personalidade política acusada de improbidade. O sorriso zombeteiro e desafiador de Jaqueline, na foto acima, é revelador.
Tancredo Neves costumava dizer que “o voto secreto gera uma vontade de trair danada”. Tancredo estava forrado de razão. O traído neste dia, sem dúvida, foi o povo brasileiro.  Veja aqui, aqui e aqui.

UM GIRO NA REDE – 30.08.2011

BALAIO DE GATOS: COMBUSTÍVEIS. CADA UM DIZ UMA COISA. QUEM ENTENDE?
Diferentemente do que você leu, viu e ouviu a menor adição de álcool à gasolina, pode não baratear o preço do produto para o consumidor final. Essa era a perspectiva do governo, ao anunciar a medida. Agora, o SINDICOM – Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis alerta que não é bem isso. O problema reside na tributação do álcool anidro, via ICMS. O sindicato afirma que o preço deve se manter estável, levando-se em conta a situação no Rio de Janeiro. Em São Paulo, o cenário é diferente. Diante da política de tributação empregada no estado paulista o preço, na bomba, pode sofrer elevação de 1,5%. A nova mistura da gasolina é uma tentativa de evitar a falta de álcool combustível no mercado. Os cidadãos mais velhos certamente se lembram do slogan, no lançamento do Proálcool, em 1975: “Carro a álcool. Um dia, você vai ter um”. A política do governo para o setor tem gerado a expectativa de que o carro a álcool pode desaparecer do mercado. Quem é que entende? Veja aqui, aqui, e aqui.
PRIMEIRO DIA: PROIBIDOS CELULARES EM AGÊNCIAS BANCÁRIAS EM SÃO PAULO
Era de se esperar. Toda vez que o Estado, em qualquer nível, falha na tentativa de oferecer segurança, quem paga o pato é a população. Visando a impedir a prática criminosa conhecida como “saidinha de banco”, desde ontem, em São Paulo, é proibido usar telefones celulares nas agências bancárias. Bancos e clientes ignoraram o primeiro dia da proibição. A Febraban, antecipou-se à medida e comunicou que não tem poder de polícia. Portanto, não pode impedir que o cliente use o telefone celular no interior das agências. E, muito menos, vai tomar o telefone do eventual infrator. Em tese, a medida pretende oferecer mais segurança ao cidadão. Em tese, porque os “olheiros” do crime vão continuar dentro das agências, observando livremente quem saca grandes quantias em dinheiro. O código de sinais substituirá o celular, com um agravante: diante da lei municipal, a polícia vai “lavar as mãos” e deixará de patrulhar as regiões bancárias. Enquanto isso, de olho na receita da indústria da multa, 700 fiscais vão percorrer agências bancárias da capital paulista, multando infratores. É mais fácil e lucrativo punir o cidadão de bem. Fora das agências, o problema vai continuar existindo. Preso por ter cão, preso por não ter cão. Veja aqui e aqui. Além disso, leia a opinião do consultor de segurança da Rede Globo, o ex-agente do Bope carioca, Rodrigo Pimentel. Aqui.
MEDALHA DE OURO PARA FABIANA MURER NO SALTO COM VARA

Se, por um lado, Jaqueline Roriz faz malabarismo político para ultrapassar a barreira da cassação, por outro lado Fabiana Murer, esbanja determinação para vencer a prova de salto com vara, no mundial de atletismo. Fabiana Murer, 30 anos, atleta brasileira especializada no salto com vara, enche de orgulho o peito do brasileiro. Depois de saltar, no domingo, apenas o suficiente para se garantir na final da competição, hoje, em Daegu, Coreia do Sul, Fabiana conquistou a medalha de ouro para o Brasil. A atleta ultrapassou 4,85m. Depois de garantir a medalha, Fabiana tentou superar a marca, mas derrubou o sarrafo, em 4,90, e 4,92m. Fabiana Murer escreveu com classe o nome do Brasil na competição. Veja aqui, aqui e aqui.
Imagem: http://www.gazetaesportiva.net (link)
DEPUTADOS AGIRÃO CONTRA O PRÓPRIO FUTURO E CASSANDO JAQUELINE RORIZ?

Façam suas apostas! Jaqueline Roriz, PMN-DF, será punida ou absolvida? Manifestantes se espalham por Brasília com faixas pedindo a cassação da deputada. Todos se lembram da origem do caso. Jaqueline Roriz foi flagrada, em vídeo, recebendo dinheiro “vivo” do delator do mensalão do DEM, Durval Barbosa. O vídeo pode ser visto no link que vou lhe passar, já já. O recebimento foi Inicialmente negado com ferro e fogo. Mais tarde, a parlamentar disse que aquilo era verba de campanha, via caixa-dois. Ou seja, dos crimes, o menor. Se é que para esse tipo de coisa deve haver alguma tolerância, não é? O cheiro de impunidade está no ar. Colegas da deputada não querem criar precedentes que possam vir a puni-los, amanhã. Afinal, nunca se sabe o que a vida de parlamentar lhes reserva. A votação que decide o futuro de Jaqueline Roriz acontece nesta terça-feira. Veja mais, aqui (onde o vídeo pode ser assistido), aqui e aqui.

29 de agosto de 2011

GIRO NA REDE – BRASIL: 29.08.2011


ESTADO DE SAÚDE DE RICARDO GOMES, TREINADOR DO VASCO DA GAMA

Ricardo Gomes, treinador do Vasco da Gama, do RJ,  continua em estado grave, porém estável, após sofrer um AVE hemorrágico, durante o jogo entre Vasco e Flamengo, no Engenhão. Segundo os médicos que acompanham o caso, o treinador foi submetido, com êxito, à operação para estancar a hemorragia. Gomes é mantido em coma induzido, como parte do processo de recuperação. O prazo para um prognóstico mais confiável é de 72 horas. Em 2010, quando era treinador do São Paulo, Ricardo Gomes teve uma leve isquemia cerebral (falta de irrigação sanguínea) e ficou afastado do clube paulista durante alguns dias. O problema de agora provavelmente está relacionado à hipertensão. Veja mais aqui, aqui e aqui.
DATENA: EM ACESSO DE LAMÚRIA, APRESENTADOR SE DIZ VÍTIMA DAS APARÊNCIAS
“Olham para a minha cara e me associam a tragédias”. Esse é um dos desabafos de José Luiz Datena ao jornal O Estado de São Paulo. Se alguém colaborou intensamente para a construção do conceito foi ele mesmo, ao longo da carreira.
Tentando se fazer passar por um “cara” comum, o apresentador do sanguinolento Brasil Urgente, da Band, diz que não quer tocar no assunto, mas cutuca a Rede Record. Menos de dois meses depois de abandonar a televisão dos Saad e se mudar para a rua da Várzea, em São Paulo, capital, sede da emissora que o tirou do antigo emprego, Datena voltou para a Band, sem dar muita explicação. Diante disso, a Record promete cobrar na Justiça os prejuízos sofridos durante o episódio.
Afirmando ser vítima de censura, Datena acha que a emissora de Edir Macedo é que lhe deve. Em assunto onde está envolvida uma grande soma em dinheiro, o melhor a se fazer é olhar os detalhes com muita atenção. Eles podem revelar mais do que pretensas declarações “humanas” como, por exemplo, “tomo Viagra, mas peço para minha mulher comprar. Tenho vergonha.”
Lendo a entrevista, não resta dúvida: Datena está querendo levantar, sim, alguma coisa que, no entanto, passa bem longe da área genital. Como diz antigo ditado, “por baixo desse angu tem caroço”. Leia, aqui.
GOVERNO ANTICIPA MEDIDAS CONTRA CONTÁGIO DA CRISE GLOBAL
Governo brasileiro divulga medidas, antecipando-se a possíveis problemas econômicos relacionados às crises norte-americana e europeia. Adicionando mais 10 bilhões de reais ao superávit primário (economia do governo central para pagar a dívida) de 81 bilhões de reais em 2011, o ministro Guido Mantega espera “garantir o crescimento da economia e a geração de empregos, sem afetar os gastos com programas sociais." O objetivo central das medidas anunciadas nesta segunda-feira é o de conter a elevação dos juros. A manobra passa por terrenos instáveis, como as relações do governo com a base aliada. Para ver os detalhes, clique aqui, aqui e aqui.
Imagem: (link)
REDE RECORD SE DIZ PREJUDICADA POR ONDA DE BOATOS E ATACA A GLOBO
O amigo Rodney Brocanelli me avisa que, em comunicado ao público, a Rede Record informa ter sido alvo de boatos. A emissora do bispo Edir Macedo afirma que tudo o que dizem sobre a troca de comando na cúpula da emissora e nos rumos da programação é mentira. O propósito da boataria é desestabilizar a trajetória segura, planejada para atingir a liderança de audiência entre as TVs abertas. E, como já se tornou habitual entre quem se julga perseguido, culpa, também, a imprensa.
Como pano de fundo, nas entrelinhas, a Record ataca a Rede Globo, nítido alvo do comunicado. O texto menciona, por exemplo, que o Grupo “tem como princípios básicos oferecer uma alternativa livre e democrática de informação e entretenimento para os brasileiros”.
Observação dispensável, pois ninguém é obrigado a ver os programas da Globo. Essa é uma opção livre, única, exclusiva e soberana do telespectador. Sugerir que tal decisão é manipulada antidemocraticamente pela emissora dos Marinho é partir do pressuposto que o público, idiota, não sabe escolher. O comunicado, na íntegra, está aqui.

26 de agosto de 2011

QUADRILHA PODE TER DESVIADO 100 MILHÕES DE REAIS DA PREFEITURA DE SÃO PAULO

A denúncia vai causar mais do que um simples desconforto ao prefeito da capital paulista, Gilberto Kassab. Em operação conjunta, a Corregedoria Geral do Município, a Polícia Civil e o Ministério Público descobriram uma fraude que pode ter causado prejuízo de até 100 milhões de reais ao erário municipal. O desvio de cerca de 50 milhões  de reais já foi identificado.

O esquema que permitiu o desvio desse dinheiro, está relacionado a permissões para a construção de prédios com área acima dos limites permitidos na capital paulista. Falsas guias eram preparadas por funcionários, mas o recolhimento das taxas não era efetivado. É muito dinheiro para que o rombo não fosse notado.

kassab_nariz Isto posto, as investigações devem avançar até o ponto em que a conexão revele os detalhes do esquema e quem é quem no “organograma do crime”.

Vai sobrar farofa no ventilador de Kassab. Farofa, no caso, é mera expressão polida. O termo exato é outro, claro. Você sabe e não preciso falar, certo?

Veja aqui, aqui e aqui.

Imagens: www.saopaulodefato.com.br (link) / www.fatosepolitica.com.br (link da foto original)

COSTA LESTE DOS ESTADOS UNIDOS. CIDADES EM FUGA. IRENE VEM AÍ

Cidades em fuga. A costa leste dos Estados Unidos vive momentos de grande apreensão. Cerca de 65 milhões de pessoas podem se transformar em alvo de um elemento extremamente furioso. Elemento da natureza, cuja força devastadora é estimada como a mais violenta dos últimos anos, na região. Chuvas torrenciais, ventos fortes, inundações, danos de grande monta. Prejuízos materiais que podem superar a bilhões de dólares e, teme-se, a provável ocorrência de mortes, se não forem tomadas as devidas precauções. Os moradores da ilha de Manhattan são aconselhados a deixar a cidade, em busca de abrigo.
O presidente Barack Obama pede à população que se apresse. Qualquer perda de tempo pode ser fatal. A ameaça atende por um nome feminino, como são batizados os furacões. Irene é o mais ameaçador furacão a passar por Nova Iorque em muitas décadas. Até o metrô novaiorquino pode sofrer consequências nunca antes imaginadas.  O sistema de transporte deve ser paralizado. Veja mais aqui, aqui, aqui e aqui. Os links relacionados trazem mais informações importantes.

SILVIO SANTOS NÃO TEM MAIS O QUE FAZER E INVENTA TROFÉUS

Flávio Ricco, um dos mais conceituados colunistas especializados em televisão neste país, escreveu no portal UOL que Silvio Santos, sabe-se lá por quais motivos, acaba de eleger os contratados mais bonitos do SBT.  
Quem preferir, pode ir direto à fonte, mas, lá, está escrito: (aguarde a página carregar completamente, até que se estabilize na altura da nota):
“Troféu SS
Se isso representa alguma coisa em algum momento, sabe-se lá. Mas, Silvio Santos acaba de “anunciar” aqueles que ele considera os mais bonitos do SBT.
Entre os homens, César Filho ganha disparado, seguido do Celso Portiolli.
Do time feminino, os seus votos foram para Hellen Ganzarolli, Lola Melnick e Analice Nicolau. Pela ordem.” trofeu_beleza_SS cópia
Silvio Santos, definitivamente, não tem mais o que fazer. As filhas “numeradas” do apresentador já estão à frente dos empreendimentos mais lucrativos e promissores do grupo SS e, assim, para preencher o tempo, Silvio inventa troféus. Como é, ainda, o dono de tudo, faz o que quiser.
Em defesa do amigo Cesar Filho, que conheço de muito longa data, (mas, por extensão, defendo os demais laureados) faço um apelo: “Titio”, como você acaba de jogar essa “responsabilidade” sobre os ombros de seus funcionários, pense num polpudo aumento de salário para todos. Sabe como é, Silvio, manter a “beleza” custa caro.

25 de agosto de 2011

NADA COMO TRÊS ANOS E 11 MESES DE CADEIA

O rumoroso caso do banqueiro Salvatore Cacciola, do banco Marka, volta a ser destaque. Agora, porque o homem foi solto. Em 1999, após uma desvalorização do real ante o dólar, o banqueiro, de origem italiana, “quebrou”. Uma operação irregular do Banco Central, em socorro ao banco Marka, redundou no prejuízo de cerca de 1,5 bilhão de reais dos cofres públicos, na época. Até ser preso, houve lances cinematográficos e outros nem tanto, que beiraram o ridículo e história mal contadas, mas são águas passadas. Com a decisão da Justiça, Salvatore Cacciola vai cumprir o restante da pena em liberdade. Não poderá deixar o país e, de quando em quando, terá que se apresentar à Justiça. O “sacrifício” permitirá que o ex-banqueiro retome as atividades pessoais e profissionais, interrompidas pela prisão. Sobre devolução de dinheiro ou o ressarcimento de prejuízos a terceiros, nenhuma palavra. Capito?
Leia aqui, aqui e aqui.
Imagem: www.economia.estadao.com.br (link com redirecionamento)

MULHERES E CRIANÇAS DEVEM PURIFICAR TRÍPOLI, DIZ ÁUDIO DE KADAFFI



Muito me engano ou Muamar Kadaffi quer promover um sacrifício coletivo para “purificar” (expressão dele), com sangue, mais de quatro décadas de governo autoritário. Esse é o novo pedido do ditador, em gravação divulgada pela TV Al Orouba, nesta quinta-feira. A mensagem pode ser uma tentativa sórdida do líder líbio para manter-se escondido. Talvez ele imagine que mulheres e crianças nas ruas desestimulem ataques dos rebeldes que continuam vasculhando a capital líbia, em busca do governante.
Veja mais, aqui e aqui.

IRENE AGITA BAHAMAS A CAMINHO DA CAROLINA DO NORTE

No panorama internacional o cenário é de furacão a noroeste das Bahamas e na costa do estado norte-americano de Carolina do Norte. A tempestade Irene, de categoria 3 na escala Saffir-Simpson é ameaça aos moradores das regiões em que deve passar. O fenômeno meteorológico pode se tornar ainda mais violento e transformar-se em furacão de nível 4 ou 5, os mais violentos. (clique na foto, para ampliar)

Veja, aqui e aqui.

*Atualização: No site da Reuters Brasil e no portal do jornal O Globo  há informações atualizadas sobre Irene. Veja, aqui e aqui.

Imagem: www.exame.abril.com.br (link)

KADAFI: ESTADÃO MANTÉM CANAL AO VIVO SOBRE OS ACONTECIMENTOS NA LÍBIA  

O portal de O Estado de São Paulo mantém um canal AO VIVO, fazendo a cobertura de tudo o que acontece na Líbia, onde Muamar Kadafi continua sendo procurado pelos rebeldes. Porta-vozes de Kadafi afirmam que ele se encontra a salvo, na própria Líbia.  O canal, dentro do Radar Global, o blog da (editoria) internacional do Estadão, apresenta vários links em que você encontra um bom material analítico e projeções sobre o futuro da Líbia sem Kadafi. Além disso, é possível acompanhar, pelo Twitter, a movimentação dos repórteres e enviados especiais do jornal paulista à região.  O Radar Global está aqui.

Imagem: www.exame.abril.com.br (link)

NOVOS ACESSOS PARA TORNAR MAIS ÁGIL A NAVEGAÇÃO INTERNA PELO BLOG

Você notou que temos tentado criar maneiras simples de acesso às principais postagens do blog. Logo abaixo do relógio-calendário-digital, implantamos o ÍNDICE. Basta um clique sobre o item escolhido para abrir o texto. Na página inicial, iríamos manter apenas três postagens, mas acabei voltando atrás, a pedidos, e serão mantidas  cinco postagens recentes. Na coluna à direita, você dispõe de outros mecanismos de busca, que facilitam, ainda mais, a localização dos assuntos que lhe interessam. Como o blog é feito para você, fique à vontade para sugerir outras formas de tornar ainda melhor a sua navegação entre as páginas internas do FG-News, onde os fatos se encontram.

Imagem: www.hl-web.blogspot.com (link)

24 de agosto de 2011

AINDA O ASSASSINATO DA JUÍZA

O assassinato à bala da juíza fluminense Patrícia Acioli, titular da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo (RJ), foi a terceira execução de magistrados brasileiros ocorridos nos últimos anos.

A primeira vítima do crime organizado foi o corregedor dos presídios de Presidente Prudente, juiz Antonio José Machado Dias.

Dr. Machadinho, como era conhecido, tinha a responsabilidade de julgar os pedidos de liberação e transferência de presos da penitenciária de segurança máxima de Presidente Bernardes, onde a cúpula do PCC – Primeiro Comando da Capital cumpria pena.

A segunda vítima foi o juiz Alexandre Martins de Castro Filho, da 5ª Vara de Execuções de Vitória (ES), que integrava uma força-tarefa que investigava a ligação de políticos – inclusive dois ex-governadores – com o crime organizado local.

Nesses três atentados, não resta a menor dúvida de que o objetivo dos executores e os mandantes dos crimes era o mesmo: intimidar os magistrados inflexíveis com organizações criminosas que crescem cada vez mais.

A estratégia intimidativa não é nova e tem sido utilizada pelo narcotráfico no México, na Colômbia e na Bolívia, depois de ter sido empregada durante décadas pela máfia  italiana, que, em  1992, matou  os  juízes  Giovani  Falcone  e Paolo Borselino.

Importante: na Itália, a reação firme da magistratura – que não se deixou intimidar – levou à Operação Mãos Limpas, resultando na prisão de  centenas de chefes mafiosos, seus asseclas, além de muitos políticos e empresários.

No Brasil, as respostas têm sido mais retóricas do que de ordem prática: nem a polícia persegue e prende os bandidos que ameaçam juízes nem estes recebem eficaz proteção policial, nas condições e pelo tempo que for necessário.

Enquanto bandidos cumprem as ameaças, as autoridades não cumprem as promessas de lhes dar o devido combate. E não dar aos juízes a proteção indispensável de que necessitam para aplicar a legislação penal de modo exemplar é dar vantagens ao crime organizado.

Parentes e colegas de trabalho da juíza Patrícia lembram que, apesar de ela vir sendo ameaçada de morte há vários anos, por ter mandado para a cadeia mais de 60 policiais corruptos, chefes de milícia e banqueiros do jogo da Baixada Fluminense, o presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Manoel Rebêlo dos Santos, não deu a ela a proteção devida.

Em 2003, ela passou a andar com uma escolta policial de seis homens fortemente armados. Nos anos seguintes, como relataram seus familiares, a escolta foi reduzida para quatro homens, depois para três, até não restar nenhum.

As  explicações  da  cúpula  do  Tribunal  de  Justiça  sobre  a  redução  da  escolta da juíza e de sua posterior suspensão, além de não serem convincentes, resvalam até numa criminosa omissão. Alguns magistrados manifestaram-se até em artigos pela imprensa e chegam a sugerir que o presidente do TJ fluminense renuncie ao cargo...

As ameaças, e o cúmulo da bárbara execução da juíza, soam como afronta ao poder constituído e à independência do Judiciário. Uma verdadeira agressão covarde ao Estado de Direito, onde 69 magistrados, atualmente, encontram-se ameaçados de morte no Brasil, dos quais 42 dispõem de carros blindados e de escolta policial e 27 vivem em situação de risco.

O mais conhecido dos juízes jurados de morte é Odilon de Oliveira, da 3ª Vara Criminal Federal de Campo Grande (MS), especializada em crimes financeiros. Desde que serviu em Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai, onde condenou 114 criminosos entre junho de 2004 e julho de 2005, tendo ordenado o sequestro de 600 veículos, 18 aviões, 86 fazendas, 50 casas e 30 apartamentos do crime organizado, o juiz Oliveira é protegido dia e noite, inclusive dentro de sua casa, de onde só sai para ir ao fórum.

Nossa Justiça já é falha e quando juízes começam a ser dizimados como forma de intimidação, o poder público precisa dar uma resposta rápida e eficaz, principalmente para tirar a sociedade do desassossego.

Leia outros artigos da Coluna do Afanasio, clicando aqui.

Afanasio JazadjiJornalista, Advogado, Deputado Estadual por 20 anos, especialista em Segurança Pública e criador do Disque-Denúncia e do Resgate dos Bombeiros. Visite o site:www.afanasio.com.br

Imagens: www.routenews.com.br (link) / www.speretta.adv.br (link) / www.itabapoana.blogspot.com (link) / www.wweapons.blogspot.com (link) / www.diariodepetropolis.com.br (link) / www.migalhas.com.br (link)

LIBERDADE DE EXPRESSÃO POR TRÁS DA MÁSCARA DA DEMOCRACIA

Liberdade de expressão. Levada ao pé da letra, a frase traduz o direito de se expressar, qualquer que seja o seu pensamento. Conceitualmente, liberdade de expressão é um dos pontos básicos dos regimes democráticos, em que a censura não encontra um ponto de apoio, ou seja, não se admite.
Alguns fatos recentes contrariam essa ideia que, no fundo, encerra o ideal de não permitir a censura a nenhum meio de comunicação ou a revogação, na prática, do direito individual do cidadão. A começar pelo princípio fundamental de que todos são iguais perante a lei.
A Constituição Federal, no artigo 5º, é explícita:

  • Art. 5º - Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, liberdade, igualdade, segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
    • IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
    • VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;
    • IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença.
    Em adendo aos princípios acima, o artigo 220 da Constituição é claro e inequívoco ao afirmar:
    • Art. 220º - A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.
    • § 2º - É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.
    A censura imposta ao jornal O Estado de São Paulo, em vigor há 754 dias (em 23 de agosto de 2011) tem marca indelével de conotação política, prática vedada, teoricamente, pelo parágrafo segundo do artigo 220, acima. Faz mais de dois anos que o jornal está proibido de publicar notícias sobre a Operação Boi Barrica, da Polícia Federal, centrada na figura de Fernando Sarney, filho do senador e ex-presidente da república, José Sarney. O episódio foi lembrado, ontem, durante a 6.ª Conferência Legislativa sobre Liberdade de Imprensa, realizada na Câmara dos Deputados, em Brasília. Veja, aqui.

    Outro exemplo, é o caso da sentença contra a Rede Record de Televisão, condenada a indenizar o promotor de justiça Thales Ferri Schoedl que, no dia 30 de dezembro de 2004, matou a tiros Diego Mendes Modanez, 20 anos, e feriu Felipe Siqueira Cunha de Souza, 21 anos, durante uma discussão, na Riviera de São Lourenço, em Bertioga, no litoral norte de São Paulo. A origem do desentendimento teriam sido prováveis galenteios dos jovens à namorada do promotor. Irritado, Thales abriu fogo contra um grupo de rapazes causando o trágico final.
    O promotor, jovem imaturo, arrogante e autoritário, protegido por uma lei que lhe é favorável, totalmente corporativista, não titubeou em partir para os finalmentes. E nada lhe aconteceu, visto que o disparo de 12 tiros, durante a briga, foi interpretado pela Justiça como legítima defesa. Veja, aqui.
    Pois esse promotor, que deveria ocupar-se da proteção da sociedade, agora julga-se ofendido pelas reportagens daquela emissora. Processada, a Record foi condenada a pagar uma indenização ao promotor-assassino. Veja, aqui.
    Condenação semelhante foi imputada à Editora Abril. Das sentenças cabem recursos, mas não deixa de ser uma tentativa de amordaçar a imprensa, cerceando-lhe a liberdade de expressão. Veja, aqui.
    Entre os veículos modernos, a Internet, dizem, é o reino da liberdade de expressão. Mas, será que é isso mesmo?
    No mundo inteiro, o meio tem irritado o poder, que já se manifestou, várias vezes, favoravelmente ao controle dessa mídia. Veja aqui, aqui, aqui e aqui, alguns exemplos.
    Ou vivemos a plenitude da liberdade de expressão com a correlata responsabilidade, necessária para coibir abusos tais como injúria e difamação (que não se aplicam ao caso do promotor, acima) ou, então, que se retire a máscara da democracia, revelando a face oculta e nefasta do autoritarismo.
    Imagens: www.poracaso.com (link) / www.bahianoticias.com.br (link) / www.ismaelcarvalho.com (link) / www.cidadaonet.com.br (link) / www.dercio.com.br (link) / www.claudiotecnicopc.blogspot.com  (link) / www.novaerahoje.blogspot.com (link)
  • 23 de agosto de 2011

    JOSÉ NÊUMANNE PINTO: O QUE SEI DE LULA - PARA OUVIR, LER E PENSAR

    José Nêumanne Pinto é um jornalista brasileiro. Não é um jornalista comum. Paraibano, natural de  Uiraúna, nascido em  18 de maio de 1951,  Nêumanne, como é chamado, talvez seja admirado—pela competência—por cerca de 80% dos colegas.
    Os 20% restantes, com a mais absoluta certeza, não o admiram. Simplesmente morrem de inveja do talento incomum e da inteligência muitos pontos acima da média que ele tem. É importante salientar que esta projeção abrange não apenas profissionais brasileiros, mas, seguramente, do mundo inteiro.
    Dotado de uma rara capacidade de dizer o que pensa, o diz com extremas simplicidade, clareza e contundência graças ao brilhantismo que lhe é peculiar. Não se pode confundir, no entanto, simplicidade com mediocridade. Jamais.
    Nêumanne é de um refinamento poucas vezes notado em textos jornalísticos e literários. Aqui, também, não se pode confundir refinamento com afetação. Para definir José Nêumanne Pinto adequadamente, o melhor a fazer é ler o que ele escreve. Ou, então, ouvir o que ele tem a dizer.
    Feita a apresentação, sem nenhum exagero, é exatamente isso o que sugiro a você: ouvir o que José Nêumanne Pinto disse, em entrevista aos jornalistas José Márcio Mendonça e Francisco Petros, especial para o site Migalhas. A entrevista, em vídeo, trata do lançamento do mais novo livro de Nêumanne, intitulado O que sei de Lula. Uma visão, por inteiro, do homem, do metalúrgico, do sindicalista, do político, do presidente da república. Depois disto, Lula nunca mais será o mesmo. Acredite.

    Assista à entrevista. Dura pouco mais de 20 minutos, mas, quando termina, você fica com a sensação de que acabou depressa demais. Depois, se puder, leia o livro.

    Você vai achar, sem dúvida, que eu fui comedido demais ao descrever José Nêumanne Pinto, na introdução.

    Veja, aqui.