CONTATOS, INCLUSIVE ASSESSORIAS DE IMPRENSA:
FALE CONOSCO!

Navegue à vontade

Na coluna à direita, logo abaixo das postagens preferidas do leitor, está o ZAPPING. Através dele você tem acesso direto às noticiais do dia, nacionais e internacionais, além de informações sobre quase tudo. ZAPPING. Uma central de notícias e entretenimento em que você escolhe o que quer.

30 de outubro de 2011

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL: CHEGA DE FEITIÇARIA COM A LOTERIA

“Problema” no sistema da Caixa adiou o rateio do concurso 1332, da Mega Sena do sábado, 29, para a manhã deste domingo, 30 de outubro. Os mais bem humorados poderão dizer “é… as bruxas estão soltas, afinal o Halloween está perto.” 

Sim, é verdade, o Halloween é comemorado neste 31 de outubro. Parece engraçadinho, mas não é. Rotineiramente, a Caixa atrasa a divulgação do número de ganhadores e, não raras vezes, demora a divulgar, inclusive, as dezenas sorteadas causando desconfiança entre os apostadores.

“Sorteio é uma coisa. Apuração do rateio é outra, muito diferente”

A inspiração da Mega Sena veio do popular jogo de tômbola, também conhecido por Loto. No velho e popular joguinho, ganha a bolada quem preencher primeiro todos os números da cartela. Para aumentar as chances dos jogadores, em quermesses e eventos empresariais, pricipalmente, premiam-se os felizardos que preenchem os ternos, as quadras, as quinas (cinquinas) e senas, ao longo da rodada.  As “pedras” são retiradas de um saco e “cantadas” pelo anunciador.   

Nas brincadeiras domésticas, entre amigos, usam-se feijões, milho, pedregulhos e o que mais servir para marcar os números sorteados. Em eventos maiores, costumam-se marcar as cartelas com caneta ou simplesmente furando os números “cantados”.

Nestas ocasiões também utilizam-se, alternativamente, um globo para realizar o sorteio. Todos conhecem o jogo e sabem do que estou falando, certo? Portanto, está claro que a finalidade do sorteio é, apenas, a de estabelecer os números que concorrem. Isso não depende de informatização.

“Transparência é fundamental”

A Caixa, visando a dar transparência ao sorteio, costuma realizá-lo em praça pública, nos Caminhões da Sorte. Em alguns casos, isso é feito em ambientes fechados, sob a fiscalização de auditores  profissionais e representantes da sociedade civil, para garantir a integridade da apuração.

A segunda etapa, o rateio, ou seja, apurar quantos acertadores houve entre os apostadores, esta sim, deve ser processada através do sistema que a Caixa alega ter apresentado problema. A apuração manual das apostas premiadas seria algo impensável. Tanto mais quando, nos últimos tempos, a desconfiança geral sobre a possibilidade de manipulação de resultados tem sido aguçada por acontecimentos, no mínimo, suspeitos.

Para não ir longe, basta recordar dois episódios recentes. Clique aqui. Os resultados oficiais constam do site da Caixa  e estão aqui e aqui, para você conferir. Alguns matemáticos viram na coincidência algo normal, possível de acontecer, mas… ficou a suspeita na cabeça do povo. Em nome da credibilidade do sistema a Caixa Econômica Federal deveria se pronunciar criteriosa e vigorosamente, para esclarecer a dúvida.

Eu mesmo já procurei obter informações, junto à Caixa, sobre atrasos eventuais na divulgação dos resultados apurados em sorteio e o posterior anúncio do rateio. Em vão. O máximo que obtive foi uma resposta-padrão e burocrática sobre diâmetro, peso, material, densidade das bolinhas e o raio que as partam. Detalhes meticulosos, próprios de burocratas, que não explicam e complicam.

É nítido que ninguém, na Caixa, está a fim de dar satisfação a ninguém, mas está mais que na hora de alguém se preocupar seriamente com isso e se aprofundar no “mistério” dos problemas ocorridos no sistema. A demora em anunciar o número de ganhadores dá margem a muitas interpretações. Nenhuma é lisonjeira à Caixa. Agora sim, aproveitando, a proximidade do Halloween, vamos identificar as bruxas. Chega de feitiçaria com a loteria, bem entendido.

A propósito, os números sorteados na Mega Sena, concurso 1332. foram 03 - 05 - 13 - 24 - 35 e 59. O prêmio de R$ 2.900.000,00 saiu para uma aposta de… (peraí que vou dar uma olhada)…  Ah, encontrei, o ganhador é de Brasília!

Imagens: www.gracieladacunha.blogspot.com (link) / www.anacaldatto.blogspot.com  (link) / www.elisefernandamello.pbworks.com  (link) // www.caraubas24horas.com.br (link)  / http://www.capitaldojerico.com  (link) / www.luciareisousatic.blogspot.com (link) / www.tcmudancas.com.br (link) / www.terracostambore.blogspot.com (link)

29 de outubro de 2011

PALAVRAS DESCRUZADAS – ANO I – EDIÇÃO Nº 5 – 29/10/2001

DISSERAM, SIM, MAS NÃO ERA BEM ISSO…

Gazeta Esportiva.com 21.10.2011

EM DUELO DE OPOSTOS, BOTAFOGO VISITA AVAÍ PARA CONTINUAR NA BRIGA

MVG: Duelo de opostos? Em todo duelo pressupõe-se que existam dois lados opostos. No caso em questão, referindo-se ao esporte, temos dois times adversários que se enfrentam em uma partida, visando a conquista do campeonato. Vejamos duas definições do Dicionário Michaelis para oposto:

adj (lat oppositu) 1 Que faz oposição, que se opõe; contraditório. 2 Que é diretamente contrário a outrem ou a outro.

Ou seja, o oposto é o contraditório - e aqui o contraditório é time adversário.

Ao lermos o texto, vemos que a oposição descrita na manchete refere-se a outro tipo de oposição, que é a de situações distintas. De um lado o Botafogo em situação privilegiada no Campeonato Brasileiro, enfrenta o Avaí, ameaçado de rebaixamento por estar nas últimas colocações da tabela. Fazendo a reescrita da manchete, e seguindo a lógica do texto, temos "Em duelo de realidades opostas, Botafogo visita Avaí para continuar na briga."

Significado de oposto

Imagem: www.http://www.gazetaesportiva.net (link)

Folha.com 23/10/2011

ENEM COBRA REDAÇÃO SOBRE INTERNET

MVG: O Enem está sob suspeita de ter sido fraudado em alguns lugares e ainda 'cobra' alguma coisa? Estranho... Acreditamos que uma avaliação não 'cobra' nada e sim tem requisitos específicos para avaliar os candidatos. Um destes requisitos é a redação, que pode ter vários temas. Seguindo o raciocínio, podemos sugerir que " Enem tem, na redação, tema sobre Internet" , ou ainda "Internet é tema de redação do Enem."

Imagem: www.maisindaia.com.br (link)

Folha.com 25/10/2011

ESTUDOS DESCARTAM RISCO PSIQUIÁTRICO EM DROGA ANTIFUMO

MVG: A manchete se refere ao medicamento antitabagismo Champix, usado em tratamento de fumantes. Havia uma suspeita de que o medicamento causasse problemas psiquiátricos nos pacientes. Entretanto, a manchete, da forma como foi redigida, dá a entender que o risco psiquiátrico é 'na droga antifumo'. Seria melhor ter dito que "Estudos descartam risco psiquiátrico em usuários de droga antifumo", pois o que se temia era que as pessoas fossem afetadas pelos efeitos do medicamento.

Imagem: www.francoanicley.com (link)

Folha.com 25/10/2011

DIRIGENTE SÃO-PAULINO CONFIRMA QUE PROCUROU PALMEIRAS POR FELIPÃO

MVG: Confusa essa manchete, não acham? Parece que o dirigente teria procurado o time do Parque Antártica satisfazendo uma vontade  do técnico Felipão. Porém, essa dúvida seria sanada se fossem feitos ajustes - "Dirigente são-paulino confirma que procurou por Felipão no Palmeiras", o que foi fato real, visto que Scolari estava com baixa produtividade na liderança de seu time, sendo um possível bom nome para assumir o  tricolor do Morumbi.

Imagem: www.blogdonavarro.com (link)

Correio Braziliense 22/10/2011

TÉCNICA DE MANIPULAÇÃO COM AS MÃOS PODE AMENIZAR SINTOMAS DE VÁRIAS DOENÇAS

MVG:  Vejamos duas definições para manipulação :

sf (manipular+ção) 1 Ato ou efeito de manipular. 2 Preparação manual.

Então vira algo redundante dizer 'técnica de manipulação com as mãos', pois toda manipulação é manual . Há, claro, outra significação, que não se encaixa aqui, que é manipulação como algo arquitetado, visando objetivos bem definidos em conflitos de interesses.

Para apagar a repetição de idéias, podemos escrever "Técnica terapêutica com as mãos pode amenizar sintomas de várias doenças". Outra variante seria “Técnica de manipulação pode amenizar sintomas de várias doenças”, porém menos clara, pois a primeira impressão transmitida pela manchete remeteria à ideia de manipulação de medicamentos, já consagrada.

A técnica referida na manchete, chamada de osteopatia,  se utiliza das mãos do terapeuta para auxiliar no tratamento de doenças, através da melhora do fluxo sanguíneo e é  feita por profissionais da área de fisioterapia.

Imagem: www.saudemelhor.com.br (link)

CURTAS E GROSSAS

Para ver os exemplos, na origem, clique nas manchetes

O Imparcial  28/10/2011

PROFESSORA DESMAIA APÓS SER ATINGIDA POR ALUNO COM BOLA DE BASQUETE

MVG: O aluno ' se arremessou ' contra a professora segurando uma bola de basquete?

Na verdade, quem atingiu a professora foi a bola arremessada pelo aluno. E este é, infelizmente, mais um episódio de agressão contra a escola, contra os professores e contra a própria sociedade que não dá à educação sua devida prioridade.

Folha.com 22/10/2011

APÓS DOIS 2 ANOS, LAURA PAUSINI APRESENTA NOVO DISCO NO MÉXICO

MVG: Para se assegurar que eram dois anos verdadeiramente, a manchete foi escrita com o número 2 após o seu valor, por extenso! Que falta de confiança em si mesma e no leitor!

Hoje em dia 28/10/2011

MONIQUE EVANS DESAPROVA POSSÍVEL ENSAIO NU DA FILHA DE 20 ANOS

MVG: Estamos tão avançados, que hoje em dia as mães desaprovam as 'mancadas' dos filhos (e das filhas) com antecedência, baseadas nas probabilidades!

F5 24/10/2011

SOFIA VERGARA POSTA FOTO DE BIQUINI NO TWITTER

MVG: Mais uma celebridade que posta 'foto de roupas' no Twitter... Não seria o caso de afirmar que  "Sofia Vergara posta sua  foto,  de biquíni, no Twitter"?

Folha.com 24/10/2011

CONTRA A FREGUÊS ARGENTINA, BRASIL FATURA TETRA NO HANDEBOL

MVG: Esperamos que nenhum de nossos hermanos da 'freguesa Argentina' tenha lido essa manchete. Não pelo tom de chacota, mas pela falta de atenção na redação. O redator, ao que parece, pensou na Argentina como “time”, substantivo masculino, daí o equívoco da frase. Em outra manchete, sobre outro esporte, em outra data o Estadão acerta: BERNARDINHO PREVÊ JOGO DURO COM A FREGUESA ARGENTINA

Folha.com 24/10/2011

E-MAILS REVELAM QUE GOVERNO PEDIU CARGO NO BANCO PANAMERICANO

MVG: Não, o 'governo' nunca chegou às portas do falido Banco PanAmericano exigindo que este lhe desse um cargo  para 'compensar', talvez, a compra da instituição pela Caixa Econômica Federal. O que o governo pediu foram cargos para seus aliados.

Concluímos mais uma coluna. Não se esqueça que o nosso espaço é atualizado aos sábados. Espalhe o endereço do blog para seus amigos. Assim, você pode nos ajudar na divulgação deste trabalho. Obrigado pela leitura e volte sempre. Abração.

Para ver as outras colunas, clique aqui.

Visite também meu blog, NOTAS DE MÍDIA. Clique aqui: http://notasdemidia.blogspot.com/

NA INTERNET, AS MEDIDAS MASCULINAS. CHEGA DE DÚVIDAS?

A Internet, sempre digo, é rica em boas informações. Infelizmente, também acumula montanhas de lixo.

Não tenho ideia de como vão fazer uma reciclagem da matéria ruim, portanto, cabe a nós fazermos a seleção do que presta e jogar fora o que não tem valor.

Essa escolha seletiva deve ser feita com critério e um mínimo de desconfiança. Não se pode para acreditar em tudo, cegamente. Caso contrário a gente compra gato por lebre, sem dúvida.

Seja por total desconhecimento ou pura falta de desconfiança, pessoas tomam como verdadeiras informações que não fazem o menor sentido. É o que explica, por exemplo, as intermináveis correntes com denúncias, dicas “valiosas”, alertas “importantíssimos” que nos custa a crer como podem ser levados a sério.

De quando em quando navego procurando novidades. Eu já dava como encerrada a busca desta semana, quando recebi uma colaboração de Moacir Japiassu.

O colega jornalista edita o Jornal da ImprenÇa, conhecido por apontar, com bom humor, mas sem piedade, erros, cochilos e outras barbaridades cometidas, infelizmente, por colegas de profissão. Ninguém, é claro, está livre de se equivocar, mas há que se tomar o máximo cuidado. O que está em jogo, sempre, é a credibilidade. Atualmente, o Jornal da ImprenÇa é veiculado em dois endereços: no site Comunique-se (exige cadastro), aqui, e no blog Antes que eu me esqueça, aqui.

O considerado Japi me enviou um e-mail com um link curioso, que fui examinar. Trata-se de um mapa, indicando as regiões da Terra onde estão os maiores e os menores pênis do mundo.

O quê? What? Was? Quoi? Vad? ¿Qué? Che cazzo? Что? ماذا؟

É isso mesmo! Com a ajuda do tradutor do Google, tentamos reproduzir, em vários idiomas, o espanto que tal revelação é capaz de causar.

TargetMap.com

Não encontrei fundamento médico-científico para embasar a pesquisa que o site, administrado pelo Target Map, exibe aos navegantes. Mesmo assim, decidi publicar este post e indicar o link do tal mapa.

Você poderá, com toda a razão, exclamar:

—Flávio, se não tem respaldo científico,  o mapa não pode confundir ainda mais?

—Sim — sou obrigado a responder. 

O leitor poderá, inclusive, se decepcionar. Isso é bem possível de acontecer. Não é o caso de se matar de preocupação. O brasileiro está em 14º lugar no mundo. Razoável, não é? Mas se você não se conformar e quiser tirar a prova, dar uma espiadinha, passe lá.

As mulheres, principalmente, podem ficar tranquilas. Não há nada explícito. São apenas mapas e gráficos. Tudo muito discreto. Parece geografia. Mas é anatomia.

Na tentativa de encontrar detalhes de algum estudo sobre o dito cujo volume, encontrei outro site com mapa, dedicado ao tema, ou seja, o tamanho peniano. É o Everyoneweb. Multicolorido, coisa e tal, o exame comparativo entre os gráficos leva o pesquisador curioso a concluir que, apesar da profusão de cores, nada muda. Inclusive as dúvidas.

—Então — alguém poderá dizer — qual é o propósito disso? Pensei que a dúvida seria esclarecida, Flávio!

Ora, meu amigo e  minha amiga! Quem conheceu Abelardo Barbosa, *Chacrinha, O Velho Guerreiro, lembra-se do famoso bordão consagrado por ele:

—“Meu filho, eu vim para confundir e não  para explicar. Terezinhaaa!” Fonfon!

O Target Map, está aqui. O Everyoneweb, aqui.

*Saiba mais sobre o Velho Guerreiro, no Portal de O Globo, na página Nostalgia – momentos inesquecíveis da história da TV, por Paulo Senna.

Veiculado em 19 de setembro deste ano, o artigo sobre Chacrinha é satisfatoriamente atual. Aqui.

Imagens: www.uniteceducacional.com.br (link) / www.arswdesign.blogspot.com (link) / http://antesqueeumeesqueca.weebly.com/ (home) / http://www.targetmap.com (link) / www.gruposupersite.blogspot.com (link) / www.tvpiratinicanal5rs.blogspot.com (link)

28 de outubro de 2011

MORRE, NO RIO, O JORNALISTA HÉLIO FERNANDES FILHO

Recebi, do considerado Moacir Japiassu, e-mail comunicando a morte do jornalista Hélio Fernandes Filho, no Rio de Janeiro, aos 57 anos. Japi, como todos nós, manifesta-se chocado com o impacto, para Hélio Fernandes, que perdeu dois filhos em dois meses.

Numa hora como essas, é impossível não nos lembrarmos dos ditados populares que ensinam, “erva daninha não morre” e “vaso ruim não quebra”. Os exemplos são claros, simples e revoltam mesmo: tem tanto vagabundo por aí, que não fariam a menor falta, mas gozam de boa saúde.

Também, pudera, estão sob guarda policial, protegidos de tocaias rivais, comem bem, dormem bem, não trabalham, enfim, vivem às custas da sociedade que, aliás, continuam à explorar mesmo estando presos. A polícia sabe que o tráfico é comandado pelos chefões, de dentro dos presídios. Sem falar de outros, cujo noticiário cotidiano traz, às pencas. Essa é outra questão, mas, de passagem, cabe aqui.

Reproduzo, abaixo, a nota de falecimento enviada por Diana Brito, do Rio de Janeiro, a Moacir Japiassu. E apresento à familia enlutada, profundas condolências.

DIANA BRITO
DO RIO

O jornalista Hélio Fernandes Filho, 57, morreu na manhã desta sexta-feira (28), por volta das 6h, na Clínica São Vicente, na Gávea, zona sul do Rio.
As causas da morte não foram divulgadas pela assessoria do hospital a pedido da família. Ele estava internado na unidade há cerca de seis meses e morreu dois meses depois do irmão, o também jornalista Rodolfo Fernandes, diretor de Redação do jornal "O Globo".
Hélio foi diretor de redação da "Tribuna da Imprensa", jornal fundado por seu pai, Hélio Fernandes. Na década de 1980 ele foi vereador do Rio pelo PMDB e fundou a Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Municipal.
O corpo do jornalista será velado ainda nesta sexta-feira, na Câmara dos Vereadores do Rio.

imagem: http://www.sidneyrezende.com (link)

26 de outubro de 2011

VERGONHOSA ATITUDE DE PROMOTORES

Obrigados a cumprir a Meta 2 da Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp), estabelecida em conjunto pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Defensoria Pública, Ministério da Justiça e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que previa para este ano a conclusão dos 140 mil inquéritos policiais sobre homicídios dolosos instaurados até dezembro de 2007, muitos promotores de Justiça, lamentavelmente, optaram pela solução mais fácil.

Ao invés de arregaçar as mangas e tocar os inquéritos que estavam esquecidos nos cartórios policiais, dando-lhes destino ou determinando novas diligências, os senhores membros do Ministério Público, os chamados “fiscais da lei”, simplesmente determinaram o sumário arquivamento da grande maioria, para, apenas e tão-somente, chegar a dezembro de 2011 com as prateleiras vazias, com a “produção” zerada...

Nessa pressa de “mostrar serviço” e reduzir a carga de trabalho, muitos promotores chegaram a utilizar o mesmo modelo de formulário, mudando apenas o nome das vítimas dos chamados “crimes de sangue”. Há, inclusive, casos de inquéritos que nem foram compulsados por suas excelências, para fundamentar a decisão de arquivamento.

Assim, laudos técnicos realizados por peritos médicos dos Institutos Médicos Legais foram arquivados, provas coletadas nas investigações foram descartadas, evidências foram ignoradas pelos promotores  e  muitos  crimes  antigos, sem autoria definida, deixaram de ser esclarecidos, reforçando com isso o sentimento de impunidade disseminado em toda sociedade.

A estimativa é de que, em média, 80% dos inquéritos sobre homicídios dolosos foram arquivados sumariamente em todos os Ministérios Públicos estaduais. O maior número de arquivamentos ocorreu no Estado de Goiás, onde os promotores estaduais arquivaram 97% dos inquéritos. Depois vem o Estado do Rio de Janeiro, com 94% dos inquéritos arquivados. Em Pernambuco, o Ministério Público arquivou 85% dos inquéritos. Aqui em São Paulo, foram arquivados 71% dos inquéritos. O menor porcentual foi registrado – vejam só! – no Maranhão, onde, de cada 100 inquéritos, 86 resultaram em propositura de ação criminal, 13 foram arquivados e 1 ficou pendente.

A Meta 2 da Enasp tem por objetivo coibir o homicídio, combater a impunidade, reforçar a segurança pública e reafirmar o primado do direito e da justiça.

O arquivamento em massa dos inquéritos sobre homicídios dolosos instaurados até 2007, contudo, está mostrando uma outra triste e terrível realidade.

Em sua grande maioria, esses inquéritos dizem respeito a vítimas que residiam em favelas e bairros violentos da periferia. Muitas tinham prontuário policial e vinham sendo ameaçadas por milícias e narcotraficantes.

O arquivamento em massa dos inquéritos sobre homicídio doloso é, portanto, mais uma prova da desigualdade no tratamento dado aos mortos pobres. Para especialistas da área, a questão é ainda mais grave. Levantamento  do  Núcleo  de Estudos de Violência da USP (Universidade de São Paulo), revela que cerca de 40% dos assassinatos comunicados às delegacias paulistas nem mesmo se converteram em inquérito.

E também nesses casos as vítimas moravam em favelas e bairros da periferia. “O arquivamento revela a deficiência do atual modelo de investigação”, revela Renato Sérgio de Lima, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. (à direita)

Em resposta às críticas, o procurador-geral da República e chefe do CNMP, Roberto Gurgel (foto abaixo), atribuiu o problema aos gargalos da Justiça, mas reconheceu que os índices de arquivamento em alguns Estados são altos e defendeu a aplicação de sanções nos casos em que houve abuso por parte dos promotores.

A verdade é que o balanço da Meta 2 deixou muito bem claro, pelo menos até o momento, que muitos promotores de Justiça não estão nem aí e, muito menos, mostram-se preocupados em reduzir o alto número de assassinatos misteriosos.

E alguns ainda ficam criticando as nossas polícias...

Leia outros artigos da Coluna do Afanasio, clicando aqui.

Afanasio Jazadji – Jornalista, Advogado, Deputado Estadual por 20 anos, especialista em Segurança Pública e criador do Disque-Denúncia e do Resgate dos Bombeiros. Visite o site:www.afanasio.com.br

Imagens: www.criminal.caop.mp.pr.gov.br (link) / www.cnj.jus.br(link)www.assediomoralesaudenotrabalho.blogspot.com (link) / www.eunanet.net (link) /www.olharvital.ufrj.br (link) / www.gazetamaringa.com.br (link) / www.oglobo.globo.com (link)

RAFINHA BASTOS ESTÁ VACILANDO. A BAND, PELO CONTRÁRIO…

geladeira_rafinha.jpg

Parte do que eu disse, neste blog, já está acontecendo. A geladeira, inicialmente, parece ser o destino parcial de Rafinha Bastos, aquele que foi sem nunca ter sido, na Band. Gosto desse aposto na frase, sinceramente. Aliás, tudo vai bem com ele. Além do mais, não compromete. Sempre é possível explicar, negar ou dizer “não foi a minha intenção”…

Equivale aos “supostos” isto, aquilo e aquele outro que a gente vê, todo dia, nos jornais (bem entendido, nos jornais  que não assumem a informação levada ao leitor), seja em páginas impressas na mídia tradicional, como o papel, ou virtual, na Internet. Com a vantagem extra de não desgastar, ainda mais, o já pouco acreditado futuro do pretérito em suas formas várias como seria, teria, iria, faria, riria, sairia, falaria… e por aí afora.

rafinha_geladeira_perto

Voltando ao ponto, a chapa do Rafinha vai esfriar de vez, não tenha dúvida. Após cinco meses de geladeira, que a Band, bondosamente, está propondo ao rapaz, o desfecho já está desenhado. Bem a propósito, vou reproduzir a pergunta que Keila Jimenez faz na coluna Outro Canal —na Folha.com— sobre o caso Rafinha, em nota publicada hoje: “Você acha que cinco meses fora do ar vão resolver as coisas para Rafinha na Band?”

Para ver a coluna de Keila Jimenez, clique aqui.

Se você não viu nosso prognóstico sobre o desfecho da “novela”, clique aqui.

A chamada “gota d’água” que levou a essa situação confusa, está aqui. (também, se você não viu)

Imagens utilizadas nas fotomontagens: www.maringa.olx.com.br (link) / www.focotv.com.br (link) / WWW.blog.ieintercambio.com.br (link) / www.veja.abril.com.br  (link) / www.giselepedrosa.blogspot.com (link)

25 de outubro de 2011

ADEUS “BENJAMIM ALUANI NETO”

25102011- Reproduzido do blog de José Nello Marques

A foto mostra Emerson Fittipaldi, nos anos 1970, com o macacão da escuderia John Player Especial, dona do famoso  Lotus preto e dourado, no pé da postagem

O rádio está mais triste nesta terça-feira. O grande companheiro de Jovem Pan, Aluani Neto, faleceu aos 82 anos na madrugada desta terça-feira, em Campinas, no interior de São Paulo, por falência múltipla de órgãos decorrente de um acidente vascular cerebral (AVC). Benjamin Aluani Neto fazia hemodiálise periodicamente depois de retirar um rim, e estava internado no Hospital Vera Cruz desde o último dia 15, devido a um problema de infecção bacteriana.

Aluani Neto era um dos jornalistas mais antigos da Jovem Pan. Na emissora desde os anos 50, ele se consagrou como repórter da cidade, principalmente a bordo do Vermelhinho Jovem Pan. Mas também cobriu diversos outros setores, como Esportes, Detran, Carnaval, Prefeitura de São Paulo, Palácio do Governo, entre muitos outros. Nos anos 70 e 80, também trabalhou na Folha da Tarde e Folha de S.Paulo.

Natural de Barretos, no interior de São Paulo, mas criado em Muzambinho, em Minas Gerais, ele era pai de um casal de filhos e avô de três netos. Trabalhei nos anos 70 e 80 com essa extraordinária figura, carinhosamente chamada de “Turcão” pelos colegas. Fomos juntos setoristas na Prefeitura Municipal, ainda no Ibirapuera e tantas outras coberturas especiais. A maior lembrança que me deixa Aluani é a generosidade com os companheiros, fossem eles experientes ou mais jovens, chegando de lugares distantes (como eu), sem conhecimento da cidade grande.

Saudade! Fique em paz “Turcão”

Por “José Nello Marques”

Imagens: http://zenello.wordpress.com/ (link) / www.theglobeandmail.com (link)

ZUNGA, ZANGADO, DEFENDE O GOVERNO EM CAUSA PRÓPRIA

Como faço todas as manhãs, por volta de 08h30, estava tuitando as manchetes do dia. Entre elas, repliquei na rede manchete (com link) publicada pelo Radar Político, do Estadão/SP, como você vê no destaque em azul, abaixo. Tendo acabado de ir ao link e visto a foto de Lula com a presidente Dilma Rousseff, ambos de cocar, muito sorridentes, chamei a atenção do leitor para o fato, em tom crítico, sim. Estou habituado aos comentários discordantes e, via de regra, eles acontecem em maior ou menor intensidade entre os leitores das regiões a que as manchetes se referem. O Twitter é, portanto, um bom  instrumento de aferição, instantânea, de como a notícia chega ao leitor. manchete_ponte_AM

Pouco depois, recebi uma resposta ao tuite da manchete do Estadão, que  eu acabara de botar na rede. Veja-a abaixo:

zunga_1

Não levei a sério e tuitei de volta três palavras, apenas.

replica_a_zunga

Mas, o “tom” da frase acima, de Zunga, me fez ir ao endereço dele, no Twitter. O que vi, mudou meu humor. Estão lá, para quem quiser ver, as credenciais de José Zunga. Clique aqui.

perfil_zunga_half

Ou seja, não era um leitor contrariado, mas um militante ativo, uma parte diretamente interessada na manutenção da boa imagem do governo. Não tive dúvida e repliquei:

sem_riso

Insatisfeito, Zunga, foi leviano — talvez espelhado na própria conduta — e quis sugerir que, além dele, eu também estaria falando em causa própria. Veja:

zunga_2  Não contente, mandou mais um tuite:

zunga_3

Passarinho que pula no galho, está querendo estilingada, então… mandei:

prato_cheio

Silêncio. Não houve mais réplicas. Prevendo o que poderia acontecer, arquivei rapidamente as mensagens que trocamos. E, agora, publico-as para conhecimento geral.

Por episódios assim, fica fácil imaginar porque o governo fala em criar um marco regulatório para a mídia eletrônica livre, representada pelo território da Internet. Imagine o que faria um conselheiro presidencial desses, como Zunga, tendo a faca e o queijo na mão? A tentativa de intimidação não ficaria nisso, é claro. Seria o cala a boca e fim de papo, não é? Menos, Zunga, menos. Você tem o direito, até, de não gostar da crítica, mas não lhe permito inferir condutas ético-morais a mim, baseado em sua forma de agir.

Falo, sim, em nome do povo, Zunga. O mesmo povo que não vê a menor graça em arcar com a alta carga tributária que pesa nos ombros e dói no bolso, para manter o gasto desenfreado da máquina, o que inclui assessores, como você, que, além de tudo, se julga no direito de fazer ilações sobre o caráter de terceiros. Neste caso, o terceiro, aqui, tem mandato outorgado pelo leitor, para fiscalizar ações daqueles que, eleitos ou nomeados para exercerem cargos públicos de confiança, acreditam que não devem satisfação a ninguém.

Para encerrar, visto que você é tão próximo do poder, me responda: Lula e a presidente Dilma Rousseff, de cocares na foto, estão rindo de quê? dilma_lula

Imagens: reprodução de tweets enviados pelo Twitter / a foto do ex-presidente Lula e da presidente Dilma Rousseff, se encontra no site do http://blogs.estadao.com.br/radar-politico (link)

OSAMA E KADAFI. O FASCÍNIO PELO PODER LEVA À IDOLATRIA

Primeiro, foram os Estados Unidos. Mataram Osama Bin Laden e jogaram o corpo no mar.

O motivo alegado para o procedimento foi o de evitar que o local do sepultamento do corpo do líder da organização terrorista Al Qaeda, virasse ponto de visitação pública.

Nesse caso, em vez de sepultar com o morto as lembranças de 11 de setembro, o tiro sairia pela culatra, alimentando a idolatria, ainda que por fanatismo.

Agora, os líbios anunciam atitude semelhante à dos norte-americanos. Muammar Kadafi foi enterrado, ao alvorecer desta terça-feira, em lugar incerto e não sabido de um ponto secreto da Líbia.

O destino final do corpo do ditador que governou a Líbia com mão de ferro durante 42 anos, jamais será conhecido, afirmam fontes do Conselho Nacional de Transição (CNT), atualmente no poder.

Os defensores da ideia baseiam-se no mesmo raciocínio formulado em relação ao caso do terrorista Osama: evitar que o local dos despojos mortais de Kadafi atraia curiosos do mundo todo.

Pelo que se viu durante os dias em que o corpo do ex-ditador foi mantido em uma câmara frigorífica (abaixo), exposto à visitação pública, não resta dúvida de que a tumba de Muammar Kadafi se tornaria alvo da veneração popular.

Em vez de terem se livrado, em definitivo, da imagem do tirano de mais de quatro décadas, os rebeldes líbios teriam criado um ídolo.

Em meio ao quadro ainda confuso  e dividido entre os que aprovaram a morte do tirano e os que a recriminam, não resta dúvida de que o mais prudente será manter a destinação final do corpo de Kadafi em segredo.

Que misteriosa compulsão estimula centenas, milhares ou, talvez, centenas de milhares de pessoas a perpetuarem a lembrança idolatrada de um terrorista e de um  ditador? A morte não modificou a natureza, em vida, de nenhum dos dois. Cada um, dentro dos cenários em que atuaram, foi responsável por muita morte, dor e sofrimento. Que força estranha é capaz de transformar um déspota assassino insensível e um terrorista sanguinário em motivos de adoração? A natureza humana, às vezes, é desconcertante.

Veja mais aqui, aqui e aqui.

O fim da era Kadafi, aqui.

Imagens: www.cafebox.com.br (link) / www.jn.pt (link) / www.noticias.terra.com.br (link)

24 de outubro de 2011

ELVIS PRESLEY E ELEIÇÃO: A REALIDADE VIRTUAL, ALÉM DA IMAGINAÇÃO

Em ritmo de segunda-feira, meio ao estilo do cidadãozinho da foto,  sem muito ânimo para nada, olhando manchetes de jornais e constatando que nada mudou, estava sem nenhuma inspiração para escrever alguma coisa.

Claro que se trata de mera opinião pessoal e, então, você pode dizer “pô, tanta coisa acontecendo e você me diz uma bobagem dessas!”

Não vou nem discutir, pois, como eu disse, é impressão subjetiva. Acho que nem o menininho de gorro listrado, ao lado, estaria a fim de discutir o assunto, não é?

Então deixemos assim.

Fuçando aqui e ali, passo os olhos sobre a reeleição de Cristina Kirchner. Como as pesquisas apontavam, a atual presidente argentina foi reconduzida ao cargo. A votação foi tranquila e antes mesmo da meia-noite de ontem os resultados já eram divulgados. Os votos foram contados pelo velho esquema do papel, pois o país platino não usa a urna eletrônica. O sistema brasileiro, tido como 100% seguro, não convenceu, ainda, a los hermanos. Apesar da enxurrada de suspeitas e denúncias de corrupção e enriquecimento ilícito que pesam sobre a presidente Kirchner e muitos membros do atual governo, o povo argentino fez uma escolha. Ademais, não sou analista político. Ponto final.

Ao imaginar as possibilidades de manipulação eleitoral na contagem manual de votos, e não estou dizendo que houve, é impossível deixar de ter um pensamento (mau), sobre a urna eletrônica. É cada vez maior o número de pessoas que suspeitam da possibilidade de manipulação do equipamento. As denúncias contra o sistema manual nem surpreendem mais.

São apenas indícios, alimentados, aqui e ali, por fatos que corroborariam as suspeitas. Entre eles, a resistência da Justiça Eleitoral quanto à impressão dos votos de cada zona eleitoral, o que possibilitaria o confronto entre os números exibidos na tela e os votos tabulados pelo sistema. Pensando bem, é mesmo uma bobagem. Se houver manipulação, e não estou dizendo que há, é claro que a impressão também pode ser manipulada.

database

Equipamentos eletrônicos são programáveis. Computadores, naturalmente, são exemplo disso. Os hackers estão aí, no mundo inteiro, mostrando que a adulteração é uma constante no mundo virtual. O usuário imagina estar realizado uma determinada operação e, na verdade, está sendo manipulado. As consequências, todos conhecem. Diariamente a grande mídia alerta, esclarece e orienta contra possíveis golpes. Mesmo assim, os incautos continuam sendo lesados.

Apesar dos problemas, que podem ser classificados de efeitos colaterais do avanço tecnológico, quem é capaz de imaginar, hoje, a vida sem computadores? E amanhã, então? Impossível.

De capacidade ilimitada e cada vez mais utilizada para praticamente tudo, a computação vive a nos surpreender. Ainda bem que, na maioria das vezes, a surpresa é boa e agradável. Exemplo disso, é o vídeo que o amigo José Maria Scachetti me mandou. As imagens servem muito bem para mostrar que os computadores podem fazer qualquer coisa, mesmo aquelas, antes, consideradas impossíveis. O vídeo veio por e-mail, acompanhado de uma mensagem, esclarecendo tratar-se de montagem artística, reunindo no mesmo placo Elvis Presley e a filha dele, Lisa Marie. O texto que acompanha o vídeo enaltece a qualidade da montagem:

“É, simplesmente, maravilhosa! Aplausos para a pessoa que fez este arranjo fenomenal! A reunião (digital) entre os dois tem 40 anos de diferença no tempo de cada artista. Ele, cantando em 1968 e ela, em 2008. Elvis morreu em 1977. Lisa Marie nasceu em 1966. Com a tecnologia de hoje, encontramos pai e filha cantando juntos. É fantástico e difícil acreditar que seja uma montagem.

BONITO, MAS TEM ALGO ERRADO!

lise_marie

A aparência de Lisa Marie, no vídeo, me chamou a atenção. Não era ela, pois Lisa é esta, à direita.

Se não era Lisa, quem era a moça? Um pouco de pesquisa e, pronto, tudo foi esclarecido.

Encontrei a origem do vídeo que causou a confusão.

A montagem é autêntica, mas a moça é, de fato, Martina McBride, nascida no Texas, EUA, em 1966, ano em que Elvis (não?) morreu.

Martina McBride, cantora de country-music, é fã incondicional de Elvis. Apaixonada pela música Christmas Blue, encontrou na tecnologia, o veículo ideal para “reviver” o rei e colocar-se no vídeo, cantando ao lado de Elvis.

martina_fundo_verde

As imagens foram geradas com o auxílio do chroma key que, neste caso, utilizou fundo verde, mas pode ser azul. Essa técnica, permite recortar imagens e colocá-las em quaisquer cenários ou situações. E assim foi feito, para dar a impressão de que Martina compartilhou o palco com Elvis. O áudio da cantora, claro, foi gravado em estúdio, separadamente, também com o recurso de moderna tecnologia.

martina_mcbride

Veja alguns dados sobre Martina. Em Português, aqui. Em Inglês, aqui. O site da moça, está aqui.

Claro que tratam-se de coisas muito diferentes entre si, a possibilidade de fraude utilizando-se o computador e a concepção artística, mas o resultado deixa claro que a manipulação é uma realidade muito além do virtual.

Sinceramente, não quero nem pensar sobre o assunto. Ainda mais numa segunda-feira modorrenta como esta.

O futuro é irreversível. E, como dizem, o que tiver que ser, será! Se é para imaginarmos, que nossa imaginação seja tão agradável quanto a fantasia nos permite realizar. Veja o vídeo, gravado em 2008, em que Martina MCBride, simula cantar ao lado de Elvis.

E, a seguir, veja como o vídeo foi feito. Está em Inglês, mas as imagens são muito evidentes e a compreensão é intuitiva. O diretor do vídeo, apontado por Martina, é George J. Flanigen, talentoso diretor de clipes musicais conhecido, também, pelo trabalho à frente do Grammy Awards, como um dos curadoress do Conselho do prêmio Grammy de música. Atualmente, Flanigen conduz os trabalhos de premiação a ser apresentada no domingo, 12 de fevereiro de 2012.

Imagens: www.link.dequalidade.com.br (link) / www.noticias.r7.com (link) / www.podemoscriticar.blogspot.com (link) / www.pontoevirgulanofinal.com.br (link) /Lise Marie - link / www.countrymusicislove.com (link)