CONTATOS, INCLUSIVE ASSESSORIAS DE IMPRENSA:
FALE CONOSCO!

Navegue à vontade

Na coluna à direita, logo abaixo das postagens preferidas do leitor, está o ZAPPING. Através dele você tem acesso direto às noticiais do dia, nacionais e internacionais, além de informações sobre quase tudo. ZAPPING. Uma central de notícias e entretenimento em que você escolhe o que quer.

29 de setembro de 2012

ELEIÇÕES 2012: SEMANA DECISIVA NA CORRIDA AO VOTO

OLHO

Estamos na reta final da propaganda obrigatória no rádio e na televisão. O período começou no dia 21 de agosto e termina neste dia 4 de outubro, quinta-feira. Na Internet, jornais e revistas anúncios pagos por candidatos ou partidos políticos podem ser publicados até o dia seguinte. Serviços de alto falantes e carros de som operam até sábado, dia 6.

Tudo o que os candidatos não disseram até agora deverá ser dito, atropeladamente, no prazo que resta. Muitos fazem isso de caso pensado, para confundir o eleitor. Principalmente aqueles que, sem propostas concretas, tentam ludibriar a boa fé do povo e “falam pelos cotovelos”, prometendo mundos e fundos. O quadro vai ser observado em todo o país.

Nessa modalidade também estão os prefeituráveis da capital paulista quando apontam “soluções” para o transporte de massa e o preço das passagens, por exemplo. Até o eterno aerotrem, agora apelidado de monotrilho por outro candidato, está na roleta das opções.

bilhetes

Em relação à tarifa, o cardápio vai do Bilhete Único atual, melhorado, ao Bilhete Único Mensal, se estende ao Bilhete Único gratuito e à Tarifa Proporcional ao trecho utilizado pelo usuário.

Tanto faz, todos prometem coisas inviáveis, segundo especialistas. Prometem e vão continuar prometendo até o último suspiro, como se diz. Depois, é outra história. Basta uma mexidinha aqui, outra ali e estamos conversados. O eleitor que se conforme, até a próxima eleição.

Há um entendimento (!) de que promessas de campanha são, apenas, promessas de campanha. Podem ou não ser cumpridas. Tal raciocínio equivale à licença para que sejam aplicados verdadeiros “contos do vigário”, pois os candidatos sentem-se à vontade para prometer aquilo que sabem, por antecipação, que jamais será cumprido.

promessas

Compete ao cidadão, em último caso, acreditar ou não na promessas. Não me cabe dizer a você o que fazer, mas alertar sobre o engano a que os candidatos podem levar o eleitor é uma atitude da qual não posso fugir.

E você também, na qualidade de cidadão, pode fazer a mesma coisa. Quando notar que seu amigo, seu vizinho, seu colega de trabalho, enfim, pessoas do seu círculo de relações pessoais, sociais ou profissionais estão “encantadas” com as fabulosas promessas dos candidatos, por que não arriscar um conselho?

A gente sabe que certos assuntos acabam virando autênticas caixas de marimbondos. A sabedoria popular ensina que não devemos pôr a mão em vespeiros, mas, nos casos em que tivermos maior liberdade para falar, por que calar? Se você precisa de um incentivo, lembre-se que um voto mal dado por outra pessoa vai ter consequência direta sobre a sua vida. A democracia, como se vê, tem efeitos colaterais. Pense nisso e use o seu voto com sabedoria.

Outras informações sobre a disputa pela prefeitura de São Paulo estão aqui, aqui e aqui.

_____________________________

Imagens: Olho – link / Bilhete 1 – arquivo / Bilhete 2 – link / Bilhete 3 – link / Bilhete 4 – link / Promessas - link

MORRE HEBE CAMARGO

* Atualização: 30 de setembro de 2012, às 12h31

Morreu, aos 83 anos de idade, Hebe Camargo. Em luta contra o câncer no peritônio, desde 2010, Hebe sofreu uma parada cardíaca, na casa em que morava, no Morumbi, Zona Sul da capital paulista.

O corpo de Hebe foi velado no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. Prevista, inicialmente, para as 18h00 deste sábado, a visitação pública começou, de fato, a partir das 20h00. Antes, o local do velório ficou fechado para cerimônias particulares exclusiva da família de Hebe. Muitos artistas e personalidades de outras áreas estiveram presentes. Um dos destaques foi Silvio Santos. Em vida, os dois sempre brincaram no palco quando a oportunidade surgia de atuarem juntos, como nos programas Teleton. Hebe insistia em dar em Silvio um “selinho”, marca registrada da apresentadora, o que o “patrão” sempre dispensou. Na despedida, o dono do SBT cedeu ao capricho da loira.

ss_selinho

O sepultamento aconteceu no cemitério Gethsemani, neste domingo. O cortejo fúnebre partiu do palácio do governo, às 9h30. Populares compareceram ao cemitério e aplaudiram o enterro, como homenagem final à estrela maior da televisão brasileira.

adeus_hebe

Eu estava na primeira fila daqueles milhares de brasileiros e brasileiras que gostaram da notícia da volta ao lar. No SBT, Hebe se sentia, realmente, em casa. E o retorno teria sido maravilhoso para todos. A Silvio Santos, o mérito de ter feito a loira sorrir novamente, depois do período de profunda decepção com a última emissora a que esteve vinculada.

Li, em uma das inúmeras reportagens sobre a morte de Hebe, uma declaração de Carlos Alberto Nóbrega, segundo a qual todos sabiam que a rainha da tv brasileira não conseguiria estrear, diante da gravidade do quadro de saúde que ela apresentava. Sendo assim, mais um ponto para Silvio Santos por demonstrar profunda sensibilidade e conhecimento da alma humana. Ao anunciar a volta de Hebe ao SBT, Silvio talvez quisesse, de fato, homenagear uma das mais carismáticas figuras da telinha de todos os tempos. E acertou em cheio. Além da homenagem, o gesto de Silvio permitiu à loira descansar em paz, plena de alegria. A conhecida alegria que Hebe, incansavelmente, distribuiu a fãs e admiradores ao longo da carreira.

A vida é cheia de altos e baixos e ninguém escapa dessa realidade. Hebe Camargo, apesar da fase ruim provocada pela doença, sempre se manteve em alto astral, acreditando que venceria o câncer.

Depois da notícia de que voltaria a trabalhar na emissora do “patrão” Silvio Santos, Hebe caiu em deslumbramento e grande alegria. Nesta sexta-feira, a loira disparou uma mensagem, via Twitter, para os fãs: "Meus lindos, nem acredito! Estou de volta ao SBT, meu coração está disparado! Feliz, feliz, feliz, feliz".

A gente não consegue deixar de imaginar que, ao redigir o texto, Hebe sorria, como sempre, já pensando no reencontro com o público que a adorava. Uma pena.

A causa atribuída à morte de Hebe Camargo foi uma parada cardiorrespiratória. Como fã, embora lamentando o desfecho, gostaria de imaginar que o coração de Hebe, transbordante de felicidade, tenha acelerado as últimas horas de vida da estrela.

Hebe morreu feliz? Tomara. Morrer de felicidade seria um grande final para uma grande história. Uma história digna de Hebe. Ela era uma gracinha!

Leia mais sobre Hebe Camargo, aqui, aqui e aqui.

Veja outros posts relacionados à estrela. Aqui, aqui, aqui e aqui.

__________________________________________

Imagens: Hebe – link / Hebe – link / Selinho de Silvio em Hebe – link / Homenagens à Hebe - link

28 de setembro de 2012

HEBE CAMARGO… É COISA NOSSA! A LOIRA ESTÁ DE VOLTA AO SBT

A boa notícia para quem curte televisão, veio no final do dia de ontem, quinta-feira, 27 de setembro: Hebe Camargo volta ao SBT. A primeira participação da estrela será no Teleton, em novembro. Na foto acima, o “patrão” e a “loira” atuam no programa de 2011 em prol da AACD.

Desde o início dos problemas salarias da loira na REDETV! os comentários davam como certo o retorno da estrela à antiga casa. Silvio Santos é admirador confesso de Hebe e não escondia o desejo de vê-la, novamente, no quadro de funcionários da emissora.

Nós, que não temos nada com isso, ficamos imaginando o que pode ter determinado a saída de Hebe Camargo do SBT. Dinheiro, certamente, não foi o problema. A rainha loira foi para a concorrente ganhando menos, ao que se informou na época.

Isso, porém, não importa mais. O que vale é o final da história. Como não se consegue agradar a todos, já circula por aí uma versão não autorizada (e medíocre) contando que Hebe volta por estar no fim da vida.

Silvio Santos sempre foi bom comerciante, esperto nos negócios, homem de televisão que conhece o meio em que vive e, acima de tudo, é tido como uma pessoa extremamente leal e honesta.

Com os devidos descontos, por causa dos problemas de alguns empreendimentos do ex-dono do Baú, o fato é que Silvio goza de uma espécie de unanimidade no meio: se tem um patrão legal, esse patrão é Silvio Santos.  A própria Hebe chegou a louvar o  ex-camelô.

Ao vivo, no programa “O maior Brasileiro de Todos os Tempos”, apresentado por Carlos Nascimento, no SBT, “puxou as orelhas” dos donos da REDETV!

Disse, em alto e bom som, que “Silvio nunca atrasou um dia sequer o salário dos funcionários”. E chegou a comparar o empresário a um país, o país Silvio Santos.

Se Silvio fosse outra pessoa, a frase poderia produzir grande efeito no coração patronal do apresentador, a ponto de, por causa disso, recontratar Hebe Camargo. Ele, no entanto, está mais do que calejado com elogios e, sabe-se, o dono da Tele Sena detesta puxa-sacos.

Com base nessas evidências, os autores da versão de que Silvio Santos traz Hebe de volta por sentir pena da estrela podem tirar o cavalinho da chuva. Essa, não emplaca. E viva Hebe Camargo, o que realmente interessa!

Veja o anúncio da volta de Hebe ao SBT, aqui.

A declaração da loira, comparando Silvio a um país, está aqui.

_________________________________

Imagens: Em ação no Teleton – link / Hebe Camargo – link / Amilcare Dallevo e Marcelo Carvalho, donos da REDETV! - link

27 de setembro de 2012

A RECORD MUDOU, MAS NEM TANTO. O TUDO É POSSÍVEL PODE MUDAR, MAS NEM TANTO

* Atualizado às 17h22A Record, mais uma vez, ganha espaço na mídia. E, como na maioria das ocasiões, não por mérito próprio. É que o nome da emissora, acaba se projetando às custas de profissionais vinculados à concorrência. De quando em quando, aparece uma notinha informando que a Record “está de olho” em um artista ou jornalista da Globo.

A emissora de Edir Macedo sempre acreditou que a origem global é suficiente para garantir o sucesso da contratação. O raciocínio dos diretores deve ser “se trabalha na emissora líder, vai dar certo aqui”. A prática demostrou que nem sempre isso é verdade.  

Independentemente do talento e da competência de alguns dos contratados pela Record, na maioria das vezes eles não devolveram, em audiência, o valor despendido na contratação. De todos, talvez, Brito Júnior tenha sido o melhor custo benefício, na área de entretenimento.

Deu tão certo em “A Fazenda”, que seu estilo não escapou aos olhos atentos de Tom Cavalcante. A paródia “O Curral” era, de fato, hilária, mostrando o humorista travestido de Cabrito Jr. Outro global bem sucedido na Barra Funda é Rodrigo Faro, vindo da teledramaturgia. Ocupando o lugar de Márcio Garcia, que voltou para a Globo, Faro deu conta do recado com muita competência em “O Melhor do Brasil”.

adiana_celso_anap

Adriana Araújo, Celso Freitas, e mesmo Ana Paula Padrão pouco conseguiram acrescentar em termos de audiência ao Jornal da Record.

Profissionalmente, nada a discutir. São excelentes e merecem o destaque que têm, mas não foram decisivos para alavancar índices de Ibope.

Outro exemplo, na Record News, foi Heródoto Barbeiro. Passou de estrela fulgurante, na CBN, para astro de menor grandeza, na Rua da Várzea.

Nesse caso, é bom que Barbeiro se cuide, pois o buraco negro do ostracismo engole, impiedosamente, os que perdem o brilho da fama.

A explicação para isso é simples. Seja em novelas ou jornalismo, ninguém faz nada sozinho. Apenas a título de exemplo, se a Record tirasse William Bonner do Jornal Nacional — a maior audiência entre os telejornais brasileiros — isso não quer dizer que o telespectador trocaria de canal apenas para ouvir o “boa noite” do moço em outra casa.

E fim de papo.

Parece que, agora, a emissora da Barra Funda, Zona Oeste da capital paulista, está mudando de tática e lança olhares sobre profissionais de outras concorrentes. É o caso do interesse da Record sobre Luciana Gimenez, segunda-dama da REDETV!

A informação, de Keila Jimenez (nenhum parentesco com Luciana) colunista da Folha de S.Paulo, esclarece que o projeto visa a substituição de Ana Hickmann no “Tudo é Possível”, aos domingos. Ana passou a dividir o comando do “Programa da Tarde” com Brito Jr. (de segunda à sexta) e a direção da TV quer evitar a superexposição da imagem da modelo-apresentadora.

Falando com sinceridade, acho que, desta vez, a Record vai dar uma dentro. Ambas são grandalhonas. Ana mede 1,85m. Luciana tem 1,81m. A diferença desaparece no salto alto. A troca, exceto pela cor dos cabelos de ambas, será quase imperceptível.

A claque, paga para isso, vai continuar aplaudindo, no auditório dominical. O telespectador, se não fizer uma forcinha, dificilmente notará que saiu Ana e entrou Luciana. O nível artístico das duas se equivale, literalmente.

Desde que a Record não deposite, em Luciana, todas as fichas, acreditando que a audiência do programa vai subir, a contratação pode dar certo. Afinal, tudo é possível.

Veja a nota de Keyla Jimenez, aqui.

* Por último, hoje a Record faz 59 anos. Para marcar a data, o site da emissora colocou alguns depoimentos de artistas da casa. Nessas quase seis décadas de existência, a Record acumulou não apenas experiência, mas, também, ajudou a escrever páginas importantes da história da televisão no Brasil.

Que o passado sirva de alento nesta hora em que se coloca a perspectiva dos muitos anos que virão, unindo esporte, notícia, entretenimento e prestação de serviço nas doses exatas da aspiração popular.

Parabéns, à empresa e aos funcionários que fazem dela o que ela é.

Para ir ao site da Record, clique aqui.

__________________________________________

Imagens: Logo Record – link / Brito e Cabrito Jr. – link / Luciana Gimenez – link / Ana Hickmann – link / Trio Record – arquivo / Bastidores - link

26 de setembro de 2012

NO MEIO DO CAMINHO TINHA UMA PEDRA. SERRA NÃO VIU

O processo eleitoral para a escolha do novo prefeito da capital paulista tem apresentado uma evolução surpreendente.

No início, instalado no galho mais alto da árvore frondosa dos partidos políticos que se lançaram na disputa, o candidato tucano, José Serra, parecia soberano.

Trinava, ops, falava com a “experiência” de quem foi  secretário municipal de Planejamento, deputado constituinte, deputado federal,  senador, ministro do Planejamento, ministro da Saúde, prefeito e governador do estado. Uma vida pública “testada e aprovada”, segundo ele próprio.

O detalhe que Serra se esqueceu de verificar foi como o eleitor de São Paulo enxergava essa trajetória. Se tivesse pensado nisso, teria visto que “no meio da caminho tinha uma pedra”, como disse o poeta mineiro Carlos Drummond de Andrade, nascido em Itabira, em 1902.

Considerando-se a  natureza política cultivada silenciosamente em Minas Gerais, os versos de Drummond devem ser interpretados, sempre, como alerta.

No meio do caminho de qualquer pessoa pode existir uma pedra. A de Serra se traduz pela interrupção do mandato de prefeito da capital paulista, em 2006, para se lançar candidato à presidência, contra Lula. Derrotado, a “pedra” foi colocada não apenas no meio do caminho de Serra, mas, também no sapato dos tucanos.

Da polarização esperada entre Serra e Fernando Haddad, candidato de Lula, as pesquisas de intenção de voto começaram a mostrar que o tucano corria o risco de não emplacar nem para o segundo turno.

A gente já se acostumou com as declarações que “explicam” pesquisas. Se favoráveis, usam-nas como trunfo. Caso contrário, é melhor dizer que a única pesquisa válida é a votação.

A tendência, no entanto, está se confirmando. Os mais recentes dados do Ibope revelam que Haddad está na frente de Serra.

As especulações dando conta de que o Partido dos Trabalhadores iria apoiar Celso Russomano, na eventualidade de um segundo turno, contra Serra, começaram há mais ou menos duas semanas.

O desempenho do candidato do PRB não deixava alternativa ao PT. Agora, com a divulgação de que Haddad supera Serra, abrem-se algumas possibilidades que vale a pena observar. Claro, que tudo em termos de especulação, mas nunca se sabe.

Para não me alongar no assunto, sem deixar de dar meu pitaco, peço que você note o seguinte: Celso Russomanno sempre teve em Paulo Maluf, do PP, um mentor político.

Rompidos, Russomanno mudou de partido e passou a dizer que preferia ver o diabo a carregar a cruz malufista. “Nunca mais; quero distância dele. Vou me esquecer que ele foi meu padrinho político…” passaram a ser frases comuns na boca do candidato do PRB.

Muitos já disseram que política é arte de engolir sapos e, se olharmos apenas por esse lado, não resta a menor dúvida de que é mesmo. Pois, com a nova tendência do eleitorado paulistano, uma das forças capazes de levar Russomanno à prefeitura é Paulo Maluf.

Quem deve estar rindo à-toa, é Lula. Criticado por muita gente do próprio PT, o ex-presidente se manteve na convicção de que Maluf era “o cara”.

A foto do trio, sorridente, no fechamento do acordo, fez Luiza Erundina, PSB, abandonar o posto, nunca efetivamente ocupado, de vice-prefeita.

Marta Suplicy, PT, saltou da frigideira sem pestanejar. Depois de negar apoio à candidatura de Haddad, voltou atrás quando ganhou o ministério da Cultura  e passou a “ver com simpatia” a figura do apaniguado de Lula.

E agora, imagine só, Lula irá decidir o que vai querer em troca do apoio a Russomanno.

Maluf, nesse contexto, já deve estar tomando moderadores de apetite para resistir à tentação de fazer um banquete particular. Vai ser difícil segurar o homem.

Russomanno, coitado, precisa se acostumar com a ideia de pedir — novamente — “a benção” ao padrinho Maluf.

Nem preciso dizer que tal cenário deve estar provocando urticária no bispo Edir Macedo e outros próceres religiosos que têm botado muita fé no desempenho do pupilo Russomanno em troca de — digamos — “influir politicamente” nos destinos de São Paulo. coceira

Os pruridos de pele provocariam coceiras incontroláveis se, de repente, fossem verdadeiros os boatos de que Maluf e Russomanno  nunca romperam de fato. Tudo não teria passado de mera encenação.

Mesmo se fossem apenas boatos, a simples hipótese de ser uma história verdadeira merece nota dez entre os fãs de teorias de conspiração.

Os abutres estão à solta. Os acordos continuam. Gabriel Chatita, digo, Chalita, do Pe eu Me Dei Bem,  quero dizer, PMDB, faz parte do pacote. Veja, abaixo.

O único que pode espantar o bando é o eleitor, porém no meio do caminho tem sempre uma pedra. Uma das soluções seria o voto através do sistema de múltipla escolha, mas as alternativas, vamos combinar, não ajudam.

Haja pedra.

O pacotão de arrumações inclui Chalita. Aqui.

_________________________

Imagens: José Serra – link / Carlos Drummond de Andrade – link / Polarização Haddad x Serra – link / Afilhado – link / Paulo Maluf – link / Coceira - link

25 de setembro de 2012

ERA UMA VEZ, O PAÍS DO FUTEBOL…

No meio da tarde, estava no Twitter. Vejo chamada de Milton Neves, para o site Terceiro Tempo da notícia publicada pelo jornal espanhol SPORT, sobre a venda de Neymar, ao Barcelona.

O texto de Milton, seguramente o jornalista esportivo mais bem humorado do país (genuinamente bem humorado, é bom que se diga, pois há muitos, por aí, fazendo o tipo “alegrinho, leve e solto”, mas…) era um misto de incredulidade e deboche. Com razão, pois, afinal, Neymar é vendido o tempo todo. Cada vez para um clube diferente.

MN_neymar

Ninguém ignora que o presidente do Santos Futebol Clube, Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro, tem mantido a Joia na Vila, graças a uma operação de marketing bem sucedida, que gera uma bela quantia em dinheiro para o craque e dá muita visibilidade ao clube também.  

Claro que sobra o chamado “pixulé”, uns trocadinhos, no dizer dos matutos caipiras como eu. Trocadinhos que, fariam a alegria de muitos clubes brasileiros, pois, na verdade, são apenas modo de dizer.

Os valores, como é de praxe, o Santos não confirma. Nem desmente, que é para matar a concorrência de inveja. Enfim, é o tipo de acordo bom pra todo mundo.

Santista como é, Milton tem o dom de “emoldurar” todo e qualquer assunto que diga respeito ao clube praiano. Pelo sim pelo não, pois tatu é que tem casca nas costas (inda mais agora, como mascote da Copa) fui espiar o noticiário esportivo que, assumo, não acompanho de perto.

E, de cara, encontrei uma declaração do presidente do Santos, para o Estadão, que joga uma pá de cal sobre a venda de Neymar, mesmo após 2014. (Nunca se sabe, porém)

Diz Luís Álvaro que está negociando a permanência de Neymar no Brasil e que tem boa chance de o acordo ser firmado. Neste caso também é melhor a gente ficar prevenido, pois o presidente do peixe é “bom de bico” e a propaganda sobre a renovação com o craque pode ser, apenas, para “inglês ver” e valorizar ainda mais o passe do atleta. Por essas e outras é que ainda não entendi, direito, o “rolo” com Ganso. A diretoria santista tinha bala na agulha para enfrentar o “tiroteio” da renovação ou a venda do paraense de Ananindeua, como se verificou. A dificuldade, entre as partes, esbarrou em outra coisa, sem dúvida.

Voltando ao assunto, dificilmente Neymar vai resistir à pressão de todos quantos querem vê-lo jogando na Europa. Entre os que defendem a saída da Joia, está Ronaldo, ex-Fenômeno.

Para o, agora, El gorducho (tô sendo bonzinho, hein?, ao afirmar que o título cabe agora) e alguns craques da seleção brasileira a questão é insolúvel. Ou Neymar vai para a Europa ou jamais atingirá todo o potencial futebolístico que possui como dom, mas precisa ser burilado em uma escola em que o futebol é tratado a sério, em alto nível. 

Este é o ponto que eu quero destacar. Neymar, o procurador dele e sejam quais forem os envolvidos no assunto, estão certos em exigir o melhor para um dos mais geniais jogadores surgidos no Brasil nos últimos anos. Se não for, disparado, o mais genial.

Neymar nos remete, forçosamente, ao tempo em que o Brasil era considerado “o país do futebol”. Hoje, para um craque verde-amarelo atingir sua plenitude, precisa jogar na Europa. O que aconteceu com o futebol brasileiro?

A declaração de Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro, sobre a negociação com Neymar, está aqui.

A notícia do Terceiro Tempo está aqui.

________________________________

Imagens: Milton Neves, Terceiro Tempo – link / Teaser da conta de Milton Neves, no Twitter / Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro – link / Milton Neves, bandeira – link /

DIA DO RÁDIO: EM MEIO A TANTAS MUDANÇAS, O RÁDIO CONTINUA O MESMO?

Hoje é o Dia do Rádio. A pergunta que se renova, ano após ano, é: “qual será o futuro do rádio?”

Costumo dizer que o passado é a base do presente, sobre a qual edificamos o futuro. E a razão para isso é simples. Fazemos hoje o que aprendemos ontem, preparando o amanhã. Então, a resposta sobre o futuro do rádio está contida na própria pergunta. Basta que se observe o que, hoje, o rádio tem feito.

Muita gente anda confundindo mídia com conteúdo.

“A Internet mudou tudo; o rádio nunca mais será o mesmo” — dizem os pseudo-especialistas da mídia. Em termos, pois a Internet mudou, por exemplo, o aparato tecnológico necessário para a propagação do áudio, mas o resto continua sendo o rádio tradicional.

A diversificação de formato e conteúdo atende aos mercados que se renovam, o que acontece também com o cinema, a TV, os jornais, as revistas, os CDs e o que mais você imaginar. O rádio é apenas um veículo que vem se adaptando às novas tecnologias. Na verdade, a mídia é que tem apresentado grandes mudanças. Veja o cinema 3D, por exemplo. Não é mais cinema? Por mídia, entende-se qualquer suporte de difusão de informações. Isso engloba rádio, TV, jornal, revista, livro,  CD, DVD, celular, Ipod, Iphone e o que vier a ser criado.

Portanto, seja através da propagação de ondas eletromagnéticas, em AM ou FM, em sinal analógico ou digital, seja através das redes cibernéticas a cabo convencional, fibra ótica, wi-fi ou satélite o que importa é o conteúdo. Sob esse aspecto, o rádio ou web rádio continuará sendo rádio.

Já faz algum tempo que não me preocupo nem mesmo com a qualidade da mensagem. O que é péssimo, para mim, é excelente para outras pessoas. E não adianta discutir sobre isso, pois o critério de bom e ruim é questão pessoal. Essa é a razão que leva um programa medíocre (em meu conceito), ser admirado por multidões de ouvintes e se tornar um sucesso.

O contrário também é verdadeiro. Uma atração de níveis informativo, intelectual e artístico elevados pode ser odiada por pessoas que não tenham bagagem cultural suficiente para decodificar a mensagem. E qual seria o limite lógico entre uma coisa e outra? É difícil dizer. No máximo, pode-se esperar que os dois públicos selecionem o que gostam de ouvir. Como fazem, hoje e farão amanhã, ao mudar de emissora de rádio ou de televisão quer transmitam em sinal aberto, a cabo ou pela Internet. Ou seja, nada mudou nem mudará.

Se você me perguntar como vejo a utilização do rádio, atualmente, e como o profissional do meio é visto pelo empregador, aí é outra história. Não existe nenhuma relação entre a evolução tecnológica e o mercado de trabalho.

Os custos operacionais diminuíram drasticamente. Como exemplo, posso citar as transmissões esportivas.

O off-tube enxuga custos com viagens, estadia, alimentação da equipe, linhas e equipamentos no local da transmissão.

Quando muito, algumas emissoras de rádio, as maiores, mandam um repórter ao estádio. O narrador e o comentarista, em frente à televisão, fazem o resto.

E não dá para o empresário alegar queda no faturamento. Dados da própria Abert, órgão representativo do setor, informam que a publicidade no rádio cresceu 11,5% no primeiro quadrimestre deste ano.

O resultado ratifica o bom desempenho do veículo, no ano passado. A curva ascendente do mercado publicitário no meio rádio elevou o faturamento, em 2011, para R$ 1,13 bilhão.

Em cinco anos, descontada a inflação, o faturamento do rádio aumentou 14,5%. Já “o salário, ó…” como dizia o professor Raimundo, personagem do saudoso e inesquecível Chico Anysio.

Hoje é dia de festa e, falando sério, não estou a fim de perder o bom humor. Parabéns ao rádio, mas, quem merece, mesmo, o cumprimento é o radialista. Aliás, não custa repetir, o novo dia do radialista é comemorado, agora, em 7 de novembro, desde 2006.

Veja os dados da Abert aqui e aqui.

_____________________________________________

Imagens: Dia do Rádio – link / Webradio – link / Off-tube – link / ABERT – link

24 de setembro de 2012

LEITE: A VACA NÃO TEM CULPA

O que andam colocando no leite?

Você deve se lembrar que há cerca cinco anos as notícias sobre a presença de produtos químicos no leite longa vida abalaram não apenas a confiança, mas, também, a saúde do consumidor. Investigação da Polícia Federal descobriu que no processo de conservação do leite entravam substâncias químicas nocivas à saúde, para aumentar a conservação do leite em caixinha. Na época, chegou-se a ventilar que algumas marcas usavam até formol para garantir que o leite se mantivesse “saudável” por mais tempo.

Os exames laboratoriais não identificaram a substância, mas a dúvida representou um duro golpe na credibilidade de algumas empresas perante o público consumidor. Se, oficialmente, não houve comprovação do uso de formol como conservante, as análises mostraram que as fábricas e cooperativas abusavam do hidróxido de sódio — a popular soda cáustica — e peróxido de hidrogênio, conhecida como água oxigenada.

Mais recentemente, em 2010, nova fiscalização revelou que a indústria de laticínios não se emendou, como se esperava. Análises de algumas marcas comprovaram a adição de amido (maizena), além de soro lático acima do limite tolerável, comprometendo a qualidade do leite. A prática servia, basicamente, para duas coisas: aumentar o volume do produto e o lucro da indústria. 

Agora, vem a notícia de que em Santa Catarina o leite da marca Holandês é acusado de ter feito mal a crianças no estado. O problema, descoberto no final de semana, levou à retirada dos estoques do mercado.

Desta vez, nada a ver com água oxigenada, soda cáustica, amido ou soro. A substância encontrada foi nitrito, um produto químico usado como conservante. Adicionado ao leite em excesso causa cianose, uma intoxicação que produz a mudança da cor da pele para azul e roxo. Uma coisa assustadora, para dizer o mínimo, e que coloca em xeque, mais uma vez, a qualidade do leite que consumimos.

Trata-se de um caso isolado ou a indústria de laticínios está, novamente, fraudando um dos alimentos mais importantes para a dieta alimentar diária de adultos e crianças? Diante disso, é inevitável repetir a pergunta: O que andam colocando no leite?

Relembre o caso Parmalat, como ficou conhecido, em 2007. Aqui e aqui.

Em 2010, nova descoberta de fraude. Aqui

E, agora, o problema do leite Holandês. Aqui.

______________________________________

Imagens: Parmalat – link / Holandês – link /Bebê com cianose – link / Copo de leite - link

CASO LORE, A MULHER DEGOLADA EM SANTO ANDRÉ, REGIÃO DO ABCD, SÃO PAULO

marido_confessa

O Brasil acompanha o assassinato de Lore de Santana Vaz, 26 anos, a mulher degolada no dia 12 de setembro, em Santo André, região do ABCD paulista (Santo André, São Bernardo, São Caetano e Diadema), São Paulo. A revelação do envolvimento de Allan dos Santos Peçanha, de 27 anos, ex-marido de Lore, esclarece parte do crime, mas fica uma sensação de história mal contada no ar.

Vingança pode ter sido a causa do crime, diz a polícia. Lore cobrava do ex-marido uma dívida de R$ 3.500,00 da época em que os dois eram casados. A intriga começa exatamente aí. Allan preferiu pagar R$ 2.500,00 para dois conhecidos, Raimundo e Robert, “darem um susto” na ex-mulher. O “susto” terminou em execução.

Quem dispunha, como Allan, de dois mil e quinhentos reais para “assustar” Lore, poderia parcelar a dívida e ficar livre da cobrança e do constrangimento que ele alegou estar passando por causa da atitude da ex-mulher. Não faz sentido. É o tipo da história que precisa ser melhor esclarecida.  

Os dois homens apontados como autores do crime negam ter matado Lore. Pode ser estratégia para confundir a polícia e prejudicar as investigações. Allan afirma que não desejava matar a ex-mulher e o advogado Luís Eduardo Crosselli, já deixou claro que essa é a linha da defesa que fará do cliente. “Ele é inocente. Ele disse ‘eu nunca quis matá-la, eu nunca desejei a morte dela’”, enfatiza Crosselli.

Para quem não viu o Fantástico, da Rede Globo, ontem, o próximo link conduz a um vídeo com trecho do programa, em reportagem do portal G1. Aqui.

Mais informações sobre o caso, aqui e aqui.

____________________________________________

Imagens:  Lore de Santana Vaz – link / Allan dos Santos Peçanha - link

 

23 de setembro de 2012

JUSTIÇA ELEITORAL ALIMENTA O “FEBEAPÁ” DE STANISLAW PONTE PRETA

O inesquecível Sérgio Porto, conhecido pelo pseudônimo de Stanislaw Ponte Preta, tinha razão.

Ainda hoje lembrado pelo espírito bem humorado, irreverente e satírico como cronista, escritor, jornalista, radialista e compositor, este carioca da gema estava muitos anos à frente do tempo em que viveu.

Dotado de profunda visão crítica, não perdia nenhuma oportunidade para denunciar a hipocrisia social e a política tupiniquim, em especial a ditadura militar.

Uma das obras mais famosas de Sérgio Porto foi o livro denominado O Festival de Besteira Que Assola o País, em duas edições, lançadas em 1966 (pela Editora do Autor) e em 1967 (pela Editora Sabiá).

Logo batizados de FEBEAPÁ 1 e 2, sigla formada pelas iniciais do título, os livros simulam o noticiário jornalístico cujas notas reúnem o bizarro e o absurdo, sob o crivo de Sérgio Porto. Notadamente, as bobagens derivadas do regime de exceção e da atitude fingida e patética da sociedade como, por exemplo, o preconceito quando o assunto era o comportamento sexual.

Stanislaw Ponte Preta criou uma frase que traduziu a essência dessa hipocrisia: “Se peito de moça fosse buzina, ninguém dormia nos arredores daquela praça” (qualquer praça, de qualquer cidade), deixando claro que todos “falavam da boca pra fora” quando o assunto era moralidade.

O puritanismo apregoado não passava de disfarce social, pois, às escondidas — ou nos bancos das praças, protegidos pelo escurinho — os rapazes bolinavam as moças, sem pudor.

Mas o que tem a ver Stanislaw Ponte Preta com o tema central deste post? Tudo, como você verá. O Festival de Besteira de Assola o País continua vivo, criativo e mais atual do que nunca. Nem é preciso esforço ou pesquisa para constatarmos isso. Basta observar, por exemplo, os nomes liberados pela Justiça Eleitoral para candidatos a cargos eletivos, em outubro.

De Bunda a Piroca; de Bosta de Vaca a Chulé; de Irmã Xana à Barata Obama tem de tudo o que o eleitor sequer consegue imaginar, devidamente autorizado pelos diligentes e democráticos juízes eleitorais. Identificados dessa maneira, brasileiros se dispõem a representar brasileiros no dia a dia político das cidades, em todo o país. Isso é brincadeira, você poderia pensar. Poderia, sim, mas se alguém está brincando, aqui, não sou eu. Veja, nas fotos abaixo, a “gente fina” e, certamente, “preparada” que pede o seu voto.

Diferentemente do “santinho” que ilustra a postagem ELEIÇÕES 2012. QUAL É, MESMO, O NÚMERO DO CANDIDATO? — que publiquei no último dia 15, os nomes dos candidatos são verdadeiros. Depois de conferir a lista, passe pela postagem que mencionei e use o link disponível, para checar a autenticidade dos candidatos.

É o caso de repetirmos a pergunta que o colega jornalista Moacir Japiassu faz, no e-mail que recebi: Que país é este?!?!? — do qual copiei as fotos abaixo. A lista, dividida por categoria, relaciona os ilustres pretendentes a cargos na vida pública entre INDECENTES, INADEQUADOS e CELEBRIDADES. Examine-a cuidadosamente. Em caso de dúvida, uma consulta ao Pai Gay, candidato a vereador por Recife, PE, pode resolver a questão. Suponho.

Morto em 29 de setembro de 1968, Sérgio Porto ou Stanislaw Ponte Preta continua atualíssimo. Uma das marcas do jornalista eram as frases espirituosas e profundamente verdadeiras que ele criava. Para encerrar, lanço mão de duas delas.

A primeira: “O sol nasce para todos, a sombra para quem é mais esperto” — noção que deve mover os candidatos da lista.

A segunda: “As coisas que mais contribuem para avacalhar a dignidade de um homem são, pela ordem, bofetão de mulher e tombo de bunda no chão” — o que talvez fosse verdadeiro nos anos 1960.

Sérgio Porto, infelizmente, viveu pouco e morreu cedo, pois, se vivo, ao ver a lista abaixo iria criar alguma frase dando o devido “crédito” à Justiça Eleitoral para exemplificar o que seja avacalhação

Para ler mais sobre Stanislaw Ponte Preta, clique aqui.

Para acessar a postagem QUAL É, MESMO, O NÚMERO DO CANDIDATO? clique aqui. 

com_que_nome

com_que_nome_2

com_que_nome_3

______________________________________________

Imagens: As listas, recebidas por e-mail, são atribuídas ao portal humorístico Kibe Loco www.kibeloco.com.br / Febeapá 1 – link / Febeapá 2 – link /

22 de setembro de 2012

DIA MUNDIAL SEM CARRO, EM SP, TEM CONGESTIONAMENTO MAIOR QUE A MÉDIA

São Paulo é uma cidade incrível. Não apenas tudo acontece por aqui, como, também, acontece de tudo. Sendo assim, claro que São Paulo não poderia ficar de fora do Dia Mundial Sem Carro.

A data visa conscientizar o cidadão sobre a importância do uso de transportes alternativos como forma de melhorar a mobilidade urbana e as condições ambientais. Com menos veículos nas ruas, diminui a emissão de CO2 (dióxido de carbono) um dos agentes do efeito estufa, que aumenta o aquecimento global. Isto posto, ações que incentivem o abandono do automóvel, usado na maioria das vezes por uma única pessoa, sempre são bem-vindas, porém, como diz o samba, “ah, porém!”

Com  ônibus a mais colocados à disposição do público (entre 110 e 150 coletivos extras) e 41 quilômetros de ciclofaixas liberadas hoje para marcar a passagem do Dia Mundial Sem Carro, esperava-se um resultado positivo em relação ao propósito. Não foi o que aconteceu, por exemplo, na manhã deste sábado, 22 de setembro, na capital paulista. A CET, órgão municipal encarregado do trânsito na cidade, registrou congestionamento superior à média normal para o fim de semana.

Acredito que, por ter caído num sábado este ano, o insucesso do Dia Mundial Sem Carro, não deve causar espanto. Antes, indica, claramente, que falta às famílias opção de transporte confiável e prática. Além disso, uma coisa, me parece, bastante clara em relação às ciclofaixas.

Liberadas — em São Paulo — somente nos finais de semana, normalmente aos domingos, as vias exclusivas para bicicletas são vistas apenas como opção de lazer. Para uma minoria, é também uma forma de combater o sedentarismo, nada mais. Sem contar, naturalmente, os que veem nas ciclofaixas um local de paquera. Meio estranho, é verdade, mas dizem que funciona. 

Já uma família que pretenda aproveitar o dia para passear ou fazer compras não vai se equilibrar sobre duas rodas ao sair de casa, por maior que seja a boa vontade em colaborar com movimentos de quaisquer natureza. Quem sabe, no próximo ano...

Veja mais sobre o Dia Mundial Sem Carro e o uso de transporte alternativo no mundo, aqui e aqui.

Um panorama da adesão popular ao movimento em algumas regiões do Brasil, aqui.

___________________________________________

Imagens: Dia Mundial Sem Carro – link / Av. Paulista, hoje, de manhã – link / Passeio em família - link

21 de setembro de 2012

DIA DO SORVETE! KIBON DISTRIBUI DELÍCIA GELADA PARA COMEMORAR

* Atualizado em 22 de setembro, às 13h26

Dica gostosa e gratuita, para moradores de São Paulo, capital! Em comemoração ao Dia do sorvete, 23 de setembro, (você sabia disso?), uma das maiores e mais tradicionais fabricantes do produto no país resolveu “botar pra derreter”. Um caminhão inteiramente personalizado, vai circular por alguns locais da cidade, neste domingo, distribuindo picolés, de vários sabores. Como curiosidade, o site da Kibon (responsável pela distribuição) diz que “o sorvete surgiu há três mil anos na China, como uma mistura de neve das montanhas, suco de frutas e mel, servida ainda gelada.”

A In Press Porter Novelli informa que estão reservadas 10 mil unidades para serem distribuídas aos frequentadores da Praça Vinícius de Moraes (entre 10h e 11h30), do Parque do Povo (entre 13h e 14h30) e , também, do Parque Villa-Lobos (das 16 às 19h. * Agradeço à jornalista Roberta Castro, da In Press, que atendeu ao nosso pedido, via e-mail, e mandou os horários da promoção.

Pode ser que a queda de temperatura diminua o ímpeto dos consumidores, mas considerando que sorvete é um alimento que pode ser consumido inclusive em dias frios, 10 mil picolés não devem durar muito. E, de graça, ficam muito mais gostosos o que contribuirá para que o povo “ataque” o caminhão.

Claro que esta ação é uma estratégia de marketing da Kibon, fabricando sorvetes, no Brasil, há 71 anos, mas e daí? É mais um motivo para comemorar. A fabricante não precisa da “forcinha” do blog (que não está cobrando para falar do produto), mas eu achei que você iria gostar de saber da distribuição. Se puder, reúna a família e vá para os locais onde estará o caminhão da Kibon. Encontrei este vídeo, relativo ao Dia do sorvete do ano passado, 2011. Serve para você ir se preparando. Divirta-se e delicie-se!

 

___________________________________

Imagens: Picolés - link / Vídeo - Youtube

LEI SECA: POLÍCIA MILITAR DE SÃO PAULO ANUNCIA MEDIDA AUTORITÁRIA

lei secaA novidade anunciada pelo Polícia Militar de São Paulo é motivo de preocupação, se não virar piada antes. Vi, pela manhã, no Bom Dia Brasil, telejornal da Globo, uma reportagem segundo a qual a PM paulista pretende abordar fregueses em bares e restaurantes da cidade para alertar sobre os riscos da bebida alcoólica antes de dirigir. Equipes de PMs adentrarão os estabelecimentos munidas, inclusive, de bafômetros para realizar testes em consumidores aparentemente alcoolizados.

Sou partidário de todo e qualquer trabalho de conscientização sobre os malefícios do consumo de álcool para a saúde e os riscos para quem vai assumir a direção de um veículo, depois de beber. Porém, o que a Polícia Militar de São Paulo pretende fazer é uma afronta ao livre arbítrio do cidadão, além de se constituir em um flagrante constrangimento ilegal. Nas ruas, a PM já detém poderes suficientes para coibir o abuso no consumo do álcool e punir infratores com as penas que a lei determina. Da porta dos bares para dentro é outra história.

Para dar embasamento emocional à intenção policial, um representante da ONG NÃO FOI ACIDENTE, que falou à reportagem da Globo, disse que “se pelo menos uma vida for salva” por causa da ação, o esforço terá valido a pena. Claro que campanhas de conscientização devem ser incentivadas, mas a ação da PM de São Paulo é, no mínimo, um abuso de autoridade, além de ser hipócrita e demagógica.

Eu gostaria de ver os zelosos homens da lei “conscientizando” clientes de restaurantes finos da capital paulista. Não consigo imaginá-los abordando a clientela nas mesas, obrigando-a ao teste do bafômetro, como ameaçam fazer em bares e restaurantes mais populares da cidade. Principalmente nas áreas conhecidas como redutos boêmios da capital.

A medida, por enquanto só anunciada, é uma demonstração de abuso de poder inaceitável. Os legisladores têm o dever que produzir as leis. Os operadores da lei, entre eles a PM, devem garantir o fiel cumprimento legal, obedecendo, eles próprios, os limites que a legislação determina. Senão, daqui a pouco, cada um decide fazer o que bem entende. Assim, não dá.

Veja mais, aqui. Tem vídeo.

______________________________________

Imagem: extraída do vídeo a que remete o link acima