CONTATOS, INCLUSIVE ASSESSORIAS DE IMPRENSA:
FALE CONOSCO!

Navegue à vontade

Na coluna à direita, logo abaixo das postagens preferidas do leitor, está o ZAPPING. Através dele você tem acesso direto às noticiais do dia, nacionais e internacionais, além de informações sobre quase tudo. ZAPPING. Uma central de notícias e entretenimento em que você escolhe o que quer.

28 de fevereiro de 2013

BENTO XVI NÃO É MAIS PAPA. ESCOLHA DE NOVO PONTÍFICE DEFINE FUTURO DA IGREJA CATÓLICA

castel_gandolfo

Multidão se aglomera diante de Castel Gandolfo e saúda Bento XVI

Bento XVI já não é mais papa. O peso representado pelos casos de pedofilia na igreja católica, homossexualismo, intrigas, disputas pelo poder, escândalos financeiros e a perda gradativa de fiéis venceram a resistência do alemão Joseph Ratzinger.

Em meio a críticas e declarações de apoio ao gesto de renúncia, Bento XVI (cujo nome escolheu continuar usando) refugia-se em Castel Gandolfo. Por decisão da cúpula da Igreja, foi transformado em papa emérito.

Para evitar choques de poder, apressou-se em declarar “reverência e obediência incondicionais” ao novo papa, a ser escolhido em conclave. A declaração seria desnecessária, pois, embora a renúncia papal seja fato incomum, não se esperam gestos de insubordinação do, agora, ex-papa. Diante das circunstâncias, a frase pode ser entendida como recado para acalmar algumas alas sacerdotais.

O futuro do mundo católico pode estar em jogo. Esperam-se mudanças, de fato, do novo papa e da própria Igreja. O mundo passa por grandes transformações e a religiosidade não pode ser empecilho para o progresso da ciência.

No aspecto interno, a questão do celibato precisa ser resolvida. A proibição do casamento não é bíblica, mas uma deliberação da igreja. Padres casados tenderiam a constituir patrimônio pessoal, ideia rejeitada pela Santa Sé.

A mensagem à comunidade católica precisa direcionar o foco para o aspecto genuinamente espiritual da religião. O que, aliás, deveria justificar a existência da Igreja. Apenas isso.

*** *** ***

O refúgio, em Castel Gandolfo. Aqui

Há farto noticiário, na rede, sobre a renúncia papal. Por exemplo, você encontra informações aqui.

________________________

Imagens: Bento XVI acena para a multidão – link /  Chegada a Castel Gandolfo - link

RÁDIO É PREFERIDO DE 70% DA POPULAÇÃO. PUBLICITÁRIO SABE DISSO?

bom_da_midiaRádio, o mais antigo e tradicional veículo de comunicação eletrônico, é também uma das mídias mais presentes na vida das pessoas. De manhã, de tarde, de noite ou durante a madrugada, o rádio se mantém firme na preferência de mais de 70% da população.

Esses dados fazem parte do livro “50 anos de Pesquisa Marplan”, escrito pela professora Carla Patriota, da Universidade Federal de Pernambuco, em dupla com o diretor da divisão de Mídia da Marplan do Brasil, Diego Oliveira.

radio_dia a diaDestacando que o rádio, ao longo dos anos, vem se adaptando às mudanças tecnológicas, midiáticas e de mercado os autores são categóricos ao afirmar que tal versatilidade justifica o sucesso da mídia.

Nunca duvidei disso, mas a queda de faturamento das emissoras de rádio transforma a divulgação do estudo em paradoxo. Como pode um veículo tão prestigiado pela população atravessar fase de tamanho descrédito junto às agências de propaganda?

Que publicitários não gostam de produzir para o rádio (ou não sabem?) é público e notório, mas desconsiderar o poder da mídia em prejuízo do anunciante é descaso com a verba do cliente.

A leitura da obra talvez ajude a responder a questão, em 454 páginas dedicadas ao tema.

*** *** ***

O link leva ao portal Jovem Pan online. Além de informações sobre o livro, há uma sonora (arquivo de áudio) com depoimentos do autor de 50 Anos de Pesquisa Marplan”. Clique aqui

_____________________

Imagens: Rádio, o bom da mídia (modificado) – link / Mundo de fone – link / Logo JP online - link

27 de fevereiro de 2013

TIRIRICA DIRETO DE BRASÍLIA

direto_de_brasilia

Tiririca prometeu, mas não cumpriu. Todos se lembram que durante a campanha de 2010 ele dizia: “eu não sei o que um deputado faz, mas, se eleito, vou contar.” Passados pouco mais de dois anos da posse Tiririca ainda não sabe o que um deputado faz. Prometendo deixar a vida pública em 2015, é possível que não cumpra a promessa de campanha.

Chegaram a dizer, por aí, que Tiririca estaria desencantado com a política, mas a intenção de abandonar a vida pública é por outro motivo, segundo ele mesmo: "Faço mais pelo povo fazendo comédia, palhaçada e fazendo o povo rir."

Se não sabe, ainda, o que um deputado faz, Tiririca já descobriu que o salário de um deputado, R$ 26.700.00, é baixo. Fazendo shows, ele diz que ganha muito mais. Enquanto tem que trabalhar por essa “merreca”, Tiririca usou o tempo passado em plenário para… compor. Isso mesmo, Tiririca acaba de lançar um CD, intitulado “Direto de Brasília”.

Das 13 faixas, algumas foram feitas durante as sessões da Câmara. Como diria aquele locutor esportivo (Milton Leite, do Sportv), “que beleza!” Em vez de trabalhar pelo povo ou, então, descobrir o que faz um deputado, Tiririca gastou o tempo compondo. Remunerado pelo dinheiro do povo. Que ele acha pouco.

Para mim, esse papo de que vai abandonar a política é conversa fiada. Cheira manobra, para ser lembrado pela mídia. De outra forma, como ganharia destaque? E o CD faz parte da armação para voltar a ser lembrado pelo povo. Só isso.

Perto das eleições de 2014, o nobre deputado vai acabar dizendo que as bases pedem que ele concorra à reeleição  e o projeto de abandonar a vida pública fica para depois.

Calma! Você vai dizer que isso é palhaçada? Espere para ver palhaçada maior ainda.

Em 2014, é capaz de essa portentosa figura de nossa política se reeleger.

Isso, sim, é palhaçada.

*** *** ***

Direto de Brasília. Algumas faixas do CD Tiririca compôs no plenário da Câmara dos Deputados. Aqui

________________________

Imagens: Divulgação – link 1 e link 2

25 de fevereiro de 2013

CORINTHIANS: MENOR NÃO VAI CUMPRIR PENA EM PRISÃO BOLIVIANA

Farsa legal! Única expressão que define a fórmula encontrada para “punir” o responsável pela morte do menino boliviano Kevin Douglas Beltran Espada, de 14, durante o jogo Corinthians X San Jose, em Oruro, na Bolívia.

O nosso sistema judiciário e o acordo de extradição entre Brasil e Bolívia apontam para uma punição doméstica do menor infrator. Quando muito, o responsável pelo tiro do sinalizador que matou Kevin pode ser “apreendido” por três anos.

sinalizador Imagem mostra o rastro do sinalizador, acima da faixa da torcida, no momento do disparo

A tendência, no entanto, é de que a pena seja substituída por prestação de serviços comunitários. E só. Nenhuma punição à torcida organizada, à qual o menor diz pertencer.

O time garante que não patrocinou a viagem dos torcedores à Bolívia. Dirigentes da torcida juram que não receberam ajuda financeira do clube. Isto significa que os torcedores absorveram os custos da viagem com recursos próprios.

Chama a atenção o fato de o autor do disparo ser descrito como “o terceiro dos seis filhos de uma família humilde”. O fator econômico, notório, determinaria ser impossível para o acusado bancar os custos da viagem.  

O “mero detalhe” não é questionado e vai  passar batido. Já existe um “culpado” e a lei será aplicada ao pé da letra. Então, para quê forçar a barra, não é? Enquanto houver “laranjas” é o que se verá.

Para muitos, inclusive torcedores alvinegros, a manobra é imoral. Porém, é 100% legal.

São fatos como esse que determinam a repetição de tragédias.  

Tite, o notável técnico corintiano, visivelmente abatido, durante entrevista após o empate com o Bragantino, neste domingo (dia 24 de janeiro), resumiu a questão.

A certeza de impunidade é o maior estímulo para atos de violência como o que ceifou a vida do torcedor boliviano.

A excepcional visão de Tite não se resume às quatro linhas do gramado.

Nada mais a acrescentar.

*** *** ***

O link a seguir mostra a reportagem do Fantástico, da rede Globo de televisão, e revela a estratégia de defesa do menor acusado pelo disparo. Aqui

A entrevista de Tite, ao Terceiro Tempo, de Milton Neves, na Band, está aqui

______________

Imagens: Disparo: reprodução de imagem da rede Globo – link / “Laranjas” – link / Tite, durante entrevista - link

22 de fevereiro de 2013

MUITA CONVERSA E POUCA AÇÃO. ESTÁ SOBRANDO HIPOCRISIA

A sexta-feira passou sem maiores sobressaltos, em São Paulo e no resto do país.

Ainda foram ouvidos ecos da tragédia corintiana e o time já está mais preocupado com possível prejuízo na Libertadores. Além disso, outros assuntos foram comentados e ganharam espaço na rede:

a cobertura da visita (ou sei lá o quê é isso) da blogueira cubana Yoani Sánchez;

Gil Rugai, o rapaz acusado de matar pai e madrasta, pega 33 anos de cadeia (ele se diz inocente, mas quem, na mesma situação, se declara culpado?);

chuva provoca queda de barreiras na serra do Mar e bloqueia Imigrantes e Anchieta, no sentido São Paulo (fazia tempo que não se ouvia falar disso naquele sistema rodoviário);

pancadas de chuva no fim de tarde, costumeiras no Verão, trazem  problemas e dissabores de sempre, na capital paulista;

o contraste é fluminense, onde o sol escaldante produz sensação de calor de 44º graus, no Rio de Janeiro;

ainda no Rio, o comentário gira em torno da ameaça de processo da mocinha beijada pelo “matador” Fred, do tricolor das Laranjeiras;

a todo-poderosa médica(?) Virgínia Soares Souza, sobre quem repousa a suspeita de “deixar morrerem” pacientes para desocupar lugar e abrir vagas na UTI, em Curitiba/PR;

o providencial anúncio do governo, sob críticas de desaceleração, de que obras do PAC atingem 46% da previsão (acredite, quem quiser);

a transferência, pelo papa demissionário Bento XVI, de um bispo católico do Vaticano para a Colômbia, por causa de suposto relatório sobre “corrupção e sexo” na Igreja—nada muda, não é?;

anúncio de recall da BMW, modelo X5 — “até tu, Brutus?”;

fim de rebelião em penitenciária mineira, depois de 31 horas de puro desafio à autoridade;

e, “para não dizer que não falei das flores”, a picuinha entre PT e PSDB que mostram tudo, menos interesse em governar, claro.

Fica Lula, de um lado, tentando “amedrontar” o tucanato com a promessa de “mostrar pra eles que nós vamos reeleger Dilma, em 2014” e, de outro lado, o balbuciante Aécio Neves tentando tapar o sol com a peneira, dizendo o indizível.

Em vez de falarem de realizações e benefícios para a população parecem “moleques briguentos”, instigados pela garotada de rua na base do “quem for homem cuspa aqui”. O problema é que a cusparada, normalmente, respinga sobre o povo, coitados de nós.

Por essas e outras, menos votadas ou não, é que a sexta-feira passou sem sobressaltos.

Lendo os vários e-mails de assessorias, que recebo diariamente, um deles me chamou a atenção. Trata-se de um artigo assinado por Maria Helena Mauad, ligada à Secovi —Sindicato das Empresas de Compra, Venda e Administração de Imóveis— ou, simplesmente Sindicato da Habitação.

Maria Helena traz para a pauta de discussão o trabalho juvenil, proibido pelo ECA—Estatuto da Criança e do Adolescente.

Numa época em que se deflagram programas sócio-educativos (e se gastam muitos milhões de reais) voltados para a recuperação de jovens infratores e fármaco-químico-dependentes, trabalhar pode ser terapia das mais valiosas.

Nem vou entrar no mérito do evidente aspecto ufanista com que a profissional inicia o comentário, facilmente compreensível, visto que, de certa forma, ela é uma sindicalista. Sindicalistas, como se sabe, são amplamente favoráveis ao governo como nunca, antes, neste país, mas Maria Helena levanta uma discussão pertinente, com extrema objetividade.

O recado que ela passa recebe meu incondicional apoio, pois, há tempos, venho dizendo que a sociedade brasileira tem se preocupado mais em parecer legal do que ser legal propriamente. Com base nessa simples constatação, Maria Helena diz que está sobrando hipocrisia.

Veja, a seguir, o comentário de Maria Helena Mauad:

Menos hipocrisia, por favor!

Maria Helena Mauad

De 20 anos para cá, praticamente zeramos o número de crianças fora da escola no primeiro ciclo do ensino fundamental. Também multiplicamos a quantidade de brasileiros que ostentam um diploma de ensino superior. Pena que essas boas notícias não se traduzam em melhores performances acadêmicas, ganho efetivo de cultura, ampliação do conhecimento ou diminuição da criminalidade.

Mudar esse estado de coisas é urgente. E essa mudança não se opera com a aplicação de métodos pedagógicos escolhidos mais por questões ideológicas do que por sua real eficácia, nem com uma legislação que foi pautada pela utopia e não pelo bom senso e o pragmatismo. É preciso encontrar meios de estimular mestres a ensinarem mais e melhor, e de garantir que este trabalho renderá frutos junto àqueles que estão aprendendo.

É hora, também, de rever o Estatuto da Criança e do Adolescente, que impõe uma série de barreiras ao ingresso do menor de 16 anos no mercado de trabalho e no ensino profissionalizante. Em um país cuja rede pública de ensino não oferece atividades em tempo integral e no qual 37,3% dos lares são chefiados por mulheres (dados do último Censo IBGE), é óbvio que um contingente considerável de crianças permanece sem um adulto responsável olhando por elas durante algumas horas todos os dias. Que tal deixar as crianças mais tempo na escola?

Também não me parece inadequado que se aprenda uma profissão a partir dos 14 anos de idade. Ao contrário: o acesso ao ensino profissionalizante pode fazer a diferença entre abraçar uma carreira digna e ser cooptado para o comércio das drogas. Trabalhar não é coisa feia ou ruim. Ao contrário: é o que dignifica, enobrece, faz crescer e prosperar. Claro que não cogito colocar uma pessoa em tenra idade operando máquinas ou mexendo com produtos químicos. Mas não há contraindicação alguma aos ofícios de auxiliar de escritório ou digitador.

O Brasil já avançou muito. Pena que, em muitos aspectos, continue sendo presa da hipocrisia e dos discursos demagógicos.

Maria Helena Mauad é presidente da Associação Paulista Projeto Ampliar (www.projetoampliar.org.br) e diretora do Secovi-SP (Sindicato da Habitação).

_________________________

Imagens: Na rede – link / Gil Rugai – link / Médica  Virgínia Souza – link / Lula – link / Aécio Neves – link / Logo ECA – link

21 de fevereiro de 2013

TORCIDA MORTAL. EMPATE CORINTIANO ENTRE LÁGRIMAS DE SANGUE

 

No campo esportivo, o destaque é o Corinthians. O jogo desta quarta-feira, 20 de fevereiro, em Oruro, Bolívia, a mais de 3.700 metros de altitude foi o que se esperava.

Os grandes adversários corintianos deveriam ser o time boliviano do San Jose e o ar rarefeito, com todas as implicações conhecidas decorrentes desse fato.

Ninguém esperava vida fácil da equipe do Parque São Jorge, apesar de ser tecnicamente superior ao oponente. E foi o que aconteceu.

Teria ficado nisso, se não fossem os acontecimentos extra-campo.

O desfecho trágico de um ato impensado, levou à morte um garoto de apenas 14 anos.

Um sinalizador atirado, possivelmente, por alguém da torcida corintiana acertou o rosto de Kevin Douglas Beltran Espada.

O menino teve um olho perfurado e morreu em decorrência do ferimento causado pelo artefato explosivo.

Tite, o técnico da equipe, lamentou o episódio e pareceu sincero ao dizer que trocaria o título de campeão mundial pela vida de Kevin.

Edu Gaspar, ex-atleta, atual gerente de futebol do clube, comoveu-se até as lágrimas ao relatar o incidente após a confirmação do óbito do torcedor.

A vida não tem preço e a morte é irreparável.

À família do menino resta a dor imensa de perder um ente querido em plena flor da idade, cancelando o futuro de maneira violenta. 

Independentemente das medidas cabíveis a serem adotadas, o que fica é uma lição definitiva: estádios de futebol não podem mais se transformar em arenas onde se desenrolam combates mortais.

Futebol é espetáculo, arte, paixão, alegria e assim deve ser praticado. Empatar, perder ou ganhar são alternativas da competição. Atos de violência fria e calculada precisam ser banidos do esporte, particularmente do futebol.

Aos clubes, deve caber o papel de esclarecer a massa torcedora. Atos extremos, em nome do “amor” ao time, resultam em penalidades para a agremiação.

Não se pode admitir sanções causadas por atitudes irresponsáveis como lançar objetos dentro do campo (incluindo moedas em protesto contra “mercenários”), invasões do gramado, brigas nas arquibancadas e/ou depredações do estádio. 

As torcidas organizadas, por exemplo, levantam a bandeira do clube e precisam agir com lucidez. Não podem se transformar em porta-vozes da mensagem de violência a qualquer preço.

policia_boliviana Agora, apuram-se responsabilidades e discutem-se medidas punitivas. Como se a questão, daí por diante, estivesse resolvida.

O incidente reveste-se de aspectos que vão demandar tempo e muita discussão jurídico-esportiva até que se chegue a algum veredito e se responsabilize alguém. Se é que isso vai acontecer. 

Está na hora de também a crônica esportiva repensar valores, critérios, métodos e atitudes. Um bom começo, seria abolir dos “pegas” o caráter de guerra com que são tratados.

Jogos de futebol aparecem na mídia como disputas de vida ou morte. Talvez o objetivo, ao criar o “clima”, seja o de capitalizar as atenções sobre cada partida. É tudo ou nada. Batalha campal em que o inimigo deve ser destruído.

Ao focalizar competições esportivas sob esse ângulo, incentiva-se o quê?

Por óbvia, a resposta é desnecessária.

*** *** ***

Polícia boliviana prendeu grupo de 12 torcedores. Foi acidente, disseram. Aqui

Tite pareceu sincero ao fazer proposta impossível. Aqui

Neste link, Edu Gaspar lamenta a tragédia e o Corinthians manifesta pesar, em nota oficial. Clique aqui

Na crônica esportiva, há manifestações favoráveis à exclusão corintiana da competição. Veja

________________

Imagens: Escudo corintiano – link / Kevin Douglas Beltran Espada – link / Tite e Edu Gaspar – link / Logo Conmebol – link / Polícia boliviana - link

CRÍTICAS DE PELÉ A NEYMAR DEIXAM TODO MUNDO LOUCO, OBA!

pele_comemora

Pelé, o atleta do século XX, está em cena mais uma vez.

Habituado ao estrelato, desde que surgiu para o cenário futebolístico mundial, Pelé ganha espaço na mídia novamente.

Desta vez, por ter criticado a maior estrela midiática do futebol tupiniquim na atualidade.

Edson Arantes do Nascimento não deixou barato e disse o que pensa de Neymar da Silva Santos Júnior.

O que Pelé falou resume o pensamento do brasileiro, independentemente do clube do coração de cada torcedor.

Revelado para o mundo pelo Santos Futebol Clube, time em que joga Neymar, Pelé revelou preocupação com o atleta que hoje é considerado o maior destaque entre os jogadores nacionais.

A Joia da Vila, como é chamado, é a grande esperança na Copa do Mundo de 2014, a ser disputada no Brasil.

O que Pelé falou, afinal, que está gerando ondas de descontentamento e protestos? Pelé disse o que muitos torcedores gostariam de dizer, mas não têm vez nem voz na grande mídia.

Tenho no Santos, em razão de Pelé, meu segundo time. Diante da grandeza de Sua Majestade, meu respeito pelo Rei do Futebol não se restringe à memória do que ele foi dentro das quatro linhas, mas se estende aos exemplos deixados ao longo da carreira de inigualável sucesso. E palavra de Rei é palavra de Rei. Ponto.

Neymar, surgiu para o futebol através de campanhas de marketing bem elaboradas, apoiadas, é claro, no inegável talento que transformou o garoto na maior revelação futebolística dos últimos tempos, no Brasil.

Produzido nas escolas de base do time praiano, Neymar já deu retorno ao clube muitas, mas muitas vezes superior ao que foi investido na preparação do atleta. Não interprete esta observação como crítica, porque não é mesmo.

Tomara todos os clubes tivessem o seu “Neymar”. Ganhariam os torcedores, com a beleza dos espetáculos dentro do campo. Ganharia o futebol brasileiro, que já foi considerado o melhor do mundo. E, no fim, ganharia o esporte bretão em âmbito mundial.

Habituado a ter sempre alguém cuidando dos interesses dele, Neymar talvez não tenha se dado conta de que parou de evoluir futebolisticamente faz tempo.

Hoje, Neymar tem brilhado mais nas campanhas publicitárias do que jogando bola.

Entendo a situação de alguns colegas de profissão ao defenderem a joia santista, quando perguntados sobre as críticas de Pelé à Neymar. Como Arouca, por exemplo.

Entendo que Neymar se sinta também pouco à vontade e prefira não responder às observações do Rei.

Entendo que a mídia faça estardalhaço em torno do assunto, para atrair a atenção do público. 

Só não entendo declarações desvairadas afirmando que Pelé seria inferior a Neymar, se jogasse hoje.

Como é que é?

Vou usar, com muito prazer por sinal, dois versos do genial cantor e compositor Silvio Brito: “pare o mundo, que eu quero descer”, porque “tá todo mundo louco, oba!”

*** *** ***

Eleição de Pelé como Atleta do Século, aqui

A entrevista de Pelé, ao jornal “O Estado de São Paulo”, gerou a onda em torno de Neymar. Aqui

Colegas do atleta, como Arouca, amenizam a situação quando solicitados a opinar. Aqui

As declarações desvairadas do empresário de Neymar, aqui 

Letra e música de “Pare o mundo que eu quero descer”, aqui

De “Tá todo mundo louco”, aqui

_________________

Imagens: Pelé comemora – link / Pelé aponta – link / Neymar – link / Arouca – link / Wagner Ribeiro – link

20 de fevereiro de 2013

AURÉLIO MIGUEL, DEMÓSTENES TORRES E RENAN CALHEIROS EM BUSCA DE UMA BOA IMAGEM

Atualização: reeditado, para inclusão de nova imagem*aparenciasImagem é tudo. Com base nessa premissa, às vezes, vemos coisas absurdas em nome da “boa figura”.

Na maioria dos casos, porém, o reflexo límpido pretendido não resiste ao peso das evidências. A verdadeira face de quem pretende se mostrar mais atraente aos olhares gerais surge com traços indeléveis de que a tentativa de parecer “bem” não passa de mero engodo.

Poderíamos apontar vários exemplos, mas vamos ficar com apenas três.

Em nível doméstico, vale lembrar que o vereador do PR eleito por São Paulo, Aurélio Miguel, sobre quem pesam sérias suspeitas de receber propinas, é um exemplo.

Tão logo surgiram os primeiros sinais de irregularidades envolvendo o nome do ex-diretor do setor imobiliário da prefeitura, Hussain Aref Assad, no episódio das garagens de shoppings centers (mas não apenas isso), o vereador se instalou na presidência de uma CPI sobre o IPTU.

Agora, Aurélio Miguel, desfazendo as aparências de paladino, é acusado pelo Ministério Público paulista de participar do esquema corrupto.

Passando ao nível federal, todos se lembram da “impoluta” figura do senador Demóstenes Torres exigindo a CPI da corrupção.

Muito jogo de cena para, depois, o país saber do envolvimento dele com o banqueiro do jogo do bicho Carlinhos Cachoeira. Não por outra razão, Demóstenes perdeu o cargo e ficou inelegível até 2027.

E agora, depois da descoberta, em 2007, de que lobistas pagavam a pensão de uma ex-mulher do senador Renan Calheiros, do PMDB de Alagoas, o parlamentar volta como estrela do cenário político. É verdade que os fachos de luz sobre ele foram lançados em consequência de uma eleição muito contestada, para presidir o Senado.

Preocupado com a “boa imagem institucional da Casa”, Renan Calheiros promete cortar gastos administrativos da ordem de mais de 260 milhões de reais. Parte desses gastos se refere a mordomias que os 81 senadores estão habituados a receber e, certamente, vão lutar para continuar recebendo.

É necessário lembrar que, antes de Renan, o senador José Sarney também já havia prometido cortes no orçamento parlamentar. Sarney exerceu a presidência do Senado e passou batido pela promessa.

Não se espera nada diferente de Renan Calheiros, mas, como se sabe, por uma boa imagem vale tudo. E não será um punhado a mais de promessas que fará diferença se não forem cumpridas.

Tudo em nome de uma boa imagem. 

*** *** ***

O caso do vereador Aurélio Miguel, está aqui

Demóstenes Torres, ex-DEM-GO, perdeu o mandato de senador por envolvimento com o bicheiro Carlinhos Cachoeira. Aqui

Antes de Renan Calheiros, o ex-presidente do Senado, José Sarney, do PMDB do Amapá, também prometeu cortes. Mas não cumpriu. Aqui

E já que prometer não custa, aqui está a promessa do senador Renan Calheiros, presidente do Senado e do Congresso Nacional. Clique no link

_________________

Imagens: *Aparências – link / Aurélio Miguel – link / Demóstenes Torres – link / Renan Calheiros - link

19 de fevereiro de 2013

LUIZ FERNANDO MAGLIOCCA NA RÁDIO DISNEY. IMAGINAÇÃO ILIMITADA

magliocca

Leio nas colunas especializadas que Luiz Fernando Magliocca é o novo consultor da rádio Disney, em São Paulo, capital.

Profissional experiente, multifacetado —como se diz— Luiz Fernando Magliocca é nome indiscutível quando se fala em rádio AM ou FM.

Atestam sua capacidade as passagens bem sucedidas pelos maiores grupos de comunicação do país, entre eles, Difusora (da verdadeira Tupi), Excelsior (rede Globo), Rádio Cidade, Transamérica, 89 FM, Jovem Pan e Bandeirantes sempre com muito sucesso.

Luiz Fernando Magliocca está no topo de qualquer boa lista de dirigentes que reúnem conhecimento, competência e atualidade.

Na rádio Disney, a função de Magliocca será a de dar a “cara” que o grupo pretende para a frequência paulistana e, certamente, encontrar o melhor caminho visando a interação da emissora com as várias plataformas da web e o ouvinte.

Eu estava ciente da contratação de Magliocca, mas mantive silêncio. Não sou mineiro, mas também achei que um “auê” exagerado, na fase das tratativas preliminares poderia despertar reações indesejáveis, como você sabe. Agora, que o assunto “caiu na boca do povo”, congratulo-me com o amigo (foi meu diretor na Bandeirantes, até 1992) e com o grupo Walt Disney, pela contratação.

magliocca_new_friends

Visita de LFM (1º à esquerda) aos novos colegas de emissora

Como bônus, acreditem, vocês estão agregando ao convívio corporativo uma excelente pessoa, em todos os sentidos. Daquelas que se encontram cada vez menos, hoje em dia. Profissionalmente, se alguém reúne as condições ideais para implantar o projeto de rádio da Walt Disney Company, esse alguém é, sem dúvida, Luiz Fernando Magliocca.

Na rádio Disney, Jota Quest se apresenta ao vivo

Para encerrar, vejo com muita alegria a união de duas forças criativas, Disney & Magliocca. Afinal, cinema e rádio sempre utilizaram como matéria prima a imaginação. Imagine, então, o que pode vir por aí.

Enquanto isso, algumas grandes empresas brasileiras de comunicação continuam insistindo em burocratas que, fechados em salas refrigeradas, põem-se a imaginar como será o rádio do futuro. Rádio que, no presente, desconhecem. Assim, não dá.

*** *** ***

Conheça a rádio Disney que opera, em São Paulo, na frequência de 91,3 Mhz. Visite o site aqui

Siga Luiz Fernando Magliocca no Twitter e fique por dentro das mudanças. Aqui

_________________________

Imagens: Luiz Fernando Magliocca, foto de perfil do Twitter – link / Logo rádio Disney – link / LFN visita a rádio Disney – link /Jota Quest – link  /

18 de fevereiro de 2013

CHIPS OBRIGATÓRIOS NOS VEÍCULOS EM CIRCULAÇÃO NO BRASIL, ATÉ 2015

O chips eletrônicos vão equipar todos os veículos, no Brasil, até 2015. Previstos para se tornarem realidade neste ano de 2013,  os chips receberam fortes críticas desde que foram divulgados. A maioria dos protestos partiu dos defensores do direito constitucional de ir e vir. Com os chips, disseram os críticos, não haverá mais confidencialidade e o cidadão será monitorado em qualquer ponto do país.

Uma bobagem monumental, considerando-se que, hoje, os celulares já fazem isso. Rastreada através do telefone,  qualquer pessoa pode ser localizada em qualquer lugar. Ao que me conste, ninguém se coloca contra os telefones móveis alegando impedimento ao direito de ir e vir.

A pedido dos Detrans estaduais, que julgaram-se incompetentes para implantar e operar o sistema em tempo hábil, a obrigatoriedade dos chips foi adiada, mas tem prazo máximo até 30 de junho de 2015 para ser efetivada.

Os idealizadores do sistema garantem que a tecnologia a ser empregada no Brasil é “a mais avançada do mundo”, isenta de riscos para condutores e proprietários de veículos.  Você há de se lembrar, claro, que também dizem isso dos sistemas operacionais dos home bankings, o que não impede invasões e quebras de segurança, mas acredito que não haverá alternativa a não ser “pagar para ver”. 

Falando nisso, o custo do chip deve girar em torno de 5 reais a serem pagos no momento do licenciamento do veículo. Neste ponto, creio que o custo poderia ser absorvido pelo IPVA, sem prejuízo para o erário. Já se paga muito além do desejável pelo Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores. 

De qualquer forma, à primeira vista, as vantagens do chip parecem superar muito as desvantagens o que, de saída, conta pontos para o sistema.

Imagino que, em futuro breve, as torres de monitoramento (no exemplo ao lado) vão controlar —além da velocidade— o rodízio de veículos (no caso de São Paulo, capital), emitir multas comuns de trânsito, fiscalizar estacionamento em vias públicas, obediência a semáforos (sinais, sinaleiros ou faróis —nomes que variam nas várias regiões brasileiras) e uma série de outras infrações.

Uma das primeiras providências e mais urgentes, seria fazer com que o chip impedisse atender ou ligar celulares, com o veículo em movimento. A prática, comum, coloca em risco a segurança não apenas dos ocupantes do veículo em que o motorista comete o abuso, mas, também, a segurança de terceiros, no trânsito.

Sendo otimista, prevejo que (finalmente) será possível fazer com que motoqueiros (que são diferentes de condutores de motocicletas) comecem a respeitar as leis de trânsito. Hoje, considerados “bandoleiros urbanos”, conduzem(?) motos pelas ruas e avenidas na mão ou contramão —incluindo calçadas— sem respeitar limites de velocidade, nada ou ninguém.

*** *** ***

Neste link, você vai encontrar vários detalhes sobre o funcionamento dos chips. Clique aqui

_____________________

Imagens: Vigiados pelo chip – link / Torres vão monitorar – link / Torres de celulares – link

15 de fevereiro de 2013

RAFINHA BASTOS REAPARECE EM VÍDEO “SÉRIO” PARA REPUDIAR DENÚNCIA

rafinha_bastosRafinha Bastos, aquele mesmo que foi praticamente enxotado do “CQC” depois da piada com a cantora Wanessa (e com o bebê, me lembram aqui) e da passagem meteórica (meteoro está na moda) pela REDETV com o “Saturday NIght Live”, que era para ser uma grande atração humorística, andava meio sumido desde então.

Andava. Agora, Rafinha está “nas bocas”, como se diz. O motivo é simples. Indignado com  uma informação publicada no portal R7, Rafinha resolveu contra-atacar. Em vídeo, o grandalhão tenta desmentir o boato, segundo ele, veiculado levianamente pelo portal com o propósito de atacar sua honra (dele) e dignidade (dele também, claro).

Na missão “desagravo”, Rafinha Bastos contou com a mãozinha de José Abreu, bi-sexual assumido (na verdade, poli-sexual, segundo ele mesmo confessa).

O resultado da gravação, é… bem, acho que você deve dar uma olhada, mas posso antecipar que se Rafinha não voltar a fazer humor de qualidade, no nível que se espera de um bom humorista (que ele é), o próximo passo do ex-jogador de basquete pode ser em direção às telenovelas.

É bom notar que, apesar dos pesares, Rafinha continua corajoso e afiado.

Como? O que eu disse? AFIADO! O que você entendeu?

*** *** ***

Aqui, a notícia e o vídeo. Clique para ver. O vídeo está no final da página.

E para que ninguém diga que eu falei o que não devia, veja o próprio José Abreu contando sobre suas (dele) preferências. Clique aqui e aqui

________________________

Imagens: Rafinha Bastos – link  / José Abreu e Rafinha – link

ACOSTUMADO A SACAR, TANDE É SACADO DO ESPORTE ESPETACULAR

Você deve ter lido, em algum lugar, que Glenda Kozlowski estava demorando para reformar o contrato com a rede Globo de televisão. O compromisso venceria brevemente, mas a apresentadora não teria demonstrado, ainda, interesse na renovação.

A notícia esteve replicada em centenas de blogs e colunas especializados em TV.  A razão para o impasse era atribuída à Glenda, às vezes, e à Globo, outras vezes. Ninguém sabia, ao certo, o que poderia estar acontecendo. Via de regra, os artistas considerados do primeiro time da emissora têm seus contratos renovados até com um ano de antecedência, para evitar o assédio das outras TVs. A demora, no caso de Glenda, era estranhável.

Neste dia 14, Flávio Ricco, um dos mais bem informados colunistas especializados no setor, informou que o assunto Glenda X Globo caminhava para o final feliz. A certeza era transmitida pelo pai da apresentadora. 

Hoje, inesperadamente, a Globo toma a decisão de afastar do programa “Esporte Espetacular” o ex-jogador de vôlei Tande. O apresentador havia sido promovido da madrugada para as manhãs dominicais da Globo e passou a fazer dupla com Glenda. Novamente Flávio Ricco é o jornalista que confirma a notícia.

No lugar de Tande entra Ivan Moré, já no próximo domingo. O ex-atleta do vôlei, acostumado a sacar, acaba sendo sacado, em cima da hora, e tem futuro incerto na TV dos Marinho.

A demora de Glenda Kozlowski em renovar com a Globo teria algo a ver com a informação de que Tande sairia do programa ou foi exatamente o contrário?

Fofoca é com Nelson Rubens, todos sabem, mas que aí tem, tem.

 

*** *** ***

Uma das centenas de replicações da informação sobre a demora de Glenda em renovar com a Globo, está aqui

A notícia da renovação contratual, aqui

E a saída de Tande, sacado do “Esporte Espetacular”, está aqui

____________________

Imagens: Glenda Kozlowski – link / Tande – link / Ivan Moré - link

GOOGLE “LIMA” ILUSTRAÇÃO DE METEORITO DEPOIS DE INCIDENTE NA RÚSSIA

google_meteoro

Vire essa boca pra lá!

Você conhece a expressão e o significado que ela tem, certo?  Por essa razão, o Google acabou considerando oportuno tirar da página inicial do buscador, o Doodle (nome que se dá à ilustração que surge quando se acessa a página) que era visto na manhã de hoje. O desenho (acima) era uma referência à passagem do meteoro 2012 DA14, previsto para a noite desta sexta-feira, a cerca de 22 mil quilômetros da Terra.

A decisão de tirar a ilustração do ar foi tomada após a queda de um meteorito na Rússia, hoje cedo. O incidente assustou a população local e provocou, além de pânico natural, ferimentos em aproximadamente quatrocentas pessoas. Outras fontes chegaram a citar mais de mil feridos. A foto abaixo mostra a passagem do meteorito no céu da Rússia.

Pelo sim, pelo não a direção do Google decidiu “limar” a homenagem ao meteoro desta noite. Pode não acontecer nada, como afirma a NASA, mas vai que… né? Além disso, a lembrança da passagem do meteoro, depois do que aconteceu na Rússia, hoje, passou a ser considerada de profundo mau gosto.

Bola dentro!

*** *** ***

A decisão de retirar o desenho da página. Aqui

Na Rússia, meteorito imprevisto cai, assusta população e fere mais de quatrocentas pessoas. Veja fotos e vídeo da queda do corpo celeste. Veja

Site português chegou a mencionar 1200 feridos. Aqui

 

____________________________

Imagens:Doodle do meteoro – link /  Rastro no céu da Rússia – link /

AURÉLIO MIGUEL: DO TATAME PARA O VEXAME

Passado o Carnaval, voltamos à velha rotina. Além dos estragos provocados pela chuva, ontem, em São Paulo, capital, os jornais locais de hoje, 15 de fevereiro, dão destaque ao estonteante enriquecimento do vereador Aurélio Miguel, em segundo mandato, eleito pelo PR.

aref

Aurélio, para que não haja dúvida, é, sim, o lutador de judô, medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos de Seul, em 1988. E também é o mesmo personagem sobre o qual pesa uma suspeita de envolvimento no escândalo que atingiu em cheio o ex-diretor do setor da prefeitura paulistana encarregado de aprovar empreendimentos imobiliários, Hussain Aref Saab. Os dois, segundo evidências colhidas pelo Ministério Público paulista, teriam ligação com o episódio das vagas de estacionamento em shoppings, na capital paulista.

Eu não estranho o crescimento patrimonial do vereador, ex-lutador. Encaro isso como consequência natural do que acontece com todo cidadão que ingressa na política, neste país. Deve ser uma espécie de benção com que são beneficiados quando se dispõem a ingressar na vida pública para defender os menos favorecidos, você não acha?

Na grande maioria dos casos de enriquecimento rápido e fenomenal apontados pela mídia, o destaque sempre vai para políticos. Você já notou, com certeza, que ser eleito para um cargo público é garantia de prosperidade. Não sei, mas, além da benção, parece que eles ficam mais inteligentes, não é?

A impressão é a de que ingressar na política desperta faculdades adormecidas. Todos ganham uma prodigiosa capacidade empreendedora. Eles se transformam em réplicas de Midas. Tudo em que tocam vira ouro. Deve ser algo relacionado ao poder, imagino.

Como não sou capaz de decifrar o mistério, faço uma sugestão: para acabar com a pobreza e a distribuição injusta de riquezas, que tal se todos nos transformássemos em políticos? Acredito, piamente, que seria uma grande solução para o bem da nação.

E tenho dito.

*** *** ***

Para recordar a suspeita que pesa sobre Hussain Aref Saab, clique aqui.

Os indícios de participação de Aurélio Miguel no caso, estão aqui.

O Ministério Público de São Paulo não tem dúvida e denuncia Aurélio Miguel por cobrança de propina. Aqui

Veja o crescimento do patrimônio do lutador, hoje vereador de São Paulo, capital. Aqui

Aurélio Miguel, nega as insinuações e diz que tudo é fruto de muito trabalho. Tá vendo? É o que eu digo! O medalhista olímpico ficou rico depois que entrou na política por causa daquele poder que eu mencionei, lá em cima. Estou cada dia mais convencido de que o negócio é dar uma de Miguel e tentar ser eleito também. Não sei, mas suspeito que vou ficar tão inteligente quanto os demais e enriquecer depressa. Aliás, que seja bem depressa, mesmo, pois já estou ficando velho. Clique para ver os sólidos argumentos do ex-lutador, justificando sua fortuna. É impressionante. Aqui 

 

______________________________

Imagens: Vereador Aurélio Miguel – link / Hussain Aref Saab – link

13 de fevereiro de 2013

FÁTIMA BERNARDES NO DETALHE, NÃO DÁ. ENCONTRO PODE MUDAR DE DIREÇÃO

Em 25 de julho de 2012, escrevi um post cuja manchete era ESTREIA DE FÁTIMA BERNARDES, NA GLOBO. NÃO VI, MAS GOSTEI — no  final deste comentário vou colocar o link, se você não leu naquela época.

O título da postagem traduzia meu entusiasmo com o lançamento do programa global, diante do que eu havia lido sobre a proposta da nova produção matinal. Havia uma tendência a valorizar os fatos do dia a dia, tratando-os, de certa forma, como o rádio o faz.

Assim, imaginei que o “Encontro” fosse tratar, entre outros temas, de noticiário factual e até opinativo, quando fosse o caso, sem exagero de imagens. Esse era o motivo maior de meu entusiasmo, exatamente para oferecer à dona de casa a oportunidade de “ouvir” a TV, como está habituada a fazer com o chamado primo pobre da mídia eletrônica. 

Não tendo visto a estreia, durante alguns dias dei uma espiada em trechos do programa. Percebia-se que a produção e a própria Fátima estavam em busca do formato ideal, o que seria de se esperar. Uma coisa, no entanto, me deixou inquieto. Tive a impressão de que a proposta de se adotar a linguagem do rádio na TV estava em risco de não acontecer. Havia muito, ainda, do estereótipo caras e bocas, na tela. De todos os participantes, diga-se, não apenas de Fátima. Pensei “bom, isso vai mudar, certamente; ainda é cedo e todos estão habituados com a dinâmica da TV”. As imagens, fechadas em detalhes, como nas fotos abaixo, sinalizavam desacordo com a proposta anunciada.

Por essa razão, escrevi o parágrafo que repito na íntegra, a seguir: Se a produção do programa não exagerar nas “gracinhas” e a apresentadora não insistir em querer “ser vista” pela audiência, o “Encontro com Fátima Bernardes” vai engolir a concorrência.

Tudo indica que a tentativa global não deu certo, apesar da torcida a favor. Minha, inclusive.

A rede Globo estuda mudanças na grade matinal da emissora. A grande aposta, “Encontro com Fátima Bernardes”, não deslanchou. Dona de casa, enfrenta a pior fase do dia exatamente na faixa horária em que o programa está no ar. Não dá para prendê-la diante da telinha enquanto as panelas estão no fogo; para dizer o mínimo, porque a atribulação dos afazeres domésticos não repousa somente nas panelas.

Boatos que circularam no final do ano voltam a marcar presença nas colunas especializadas.

Boninho deve assumir a responsabilidade de consertar as coisas nas manhãs da Globo.

Se me dissessem que a tarefa recairia sobre as costas de Boni, o pai, eu acreditaria em 1000% de chances de o programa encontrar o ponto.

Boni, hoje empresário bem sucedido com a TV Vanguarda, no Vale do Paraíba, não aceitaria, mas ele veio do rádio, produziu para o rádio, dirigiu o rádio e conhece a língua do rádio.

O filho, habituado a ver TV sob o foco de “trocentas” câmeras, em busca dos detalhes da intimidade de sisters e brothers, pode levar muito tempo para “sacar” que o pulo do gato da TV, no horário do corre-corre da audiência, não é a imagem.

Mas, aí, já é outra história.

*** *** ***

O post do ano passado, aqui

Em busca da audiência perdida, a Globo pensa em mudar. Aqui

De boatos para os fatos, um pulo. Aqui

_________________________

Imagens:  Charge, dona de casa – link / Fátima, detalhes – link / Boni, pai e filho - link