CONTATOS, INCLUSIVE ASSESSORIAS DE IMPRENSA:
FALE CONOSCO!

Navegue à vontade

Na coluna à direita, logo abaixo das postagens preferidas do leitor, está o ZAPPING. Através dele você tem acesso direto às noticiais do dia, nacionais e internacionais, além de informações sobre quase tudo. ZAPPING. Uma central de notícias e entretenimento em que você escolhe o que quer.

15 de setembro de 2013

LIVRO DO EX-MINISTRO DA JUSTIÇA, SAULO RAMOS, REVELA PERFIL DE CELSO MELLO

A passagem está no livro “Código da Vida”, escrito por Saulo Ramos, ex-ministro da Justiça no governo de José Sarney, entre 1985 e 1990. Ramos, morto em abril deste ano, extraordinário jurisconsulto, teve entre os clientes personalidades políticas, empresariais e artísticas deste país. De reconhecido saber jurídico, era procurado para emitir pareceres em assuntos considerados delicados e complicados. Um parecer de Saulo Ramos era meio caminho andado e significava ganho de causa, na maioria dos casos, embora custasse os olhos da cara. Considerando a clientela endinheirada do advogado, preço nunca foi empecilho para ninguém .

Feita a apresentação, embora resumida, o fato é que o mais longevo dos atuais ministros do Supremo Tribunal Federal, Celso de Mello, ingressou no Supremo em 1989, por indicação de Saulo Ramos.

O diálogo telefônico entre Celso de Mello e Saulo Ramos, que destacamos abaixo, é conhecido há muito tempo, mas sua republicação torna-se oportuna diante das circunstâncias.

Extraído do livro “Código da Vida”, revela uma surpreendente explicação de Celso de Mello, já ministro do Supremo Tribunal Federal. Esteve em votação a mudança de domicílio eleitoral do ex-presidente José Sarney para o Amapá. O caso ganhou repercussão. Afinal, os Sarney, até hoje, dominam politicamente o Maranhão.

A validade da transferência do domicílio eleitoral do ex-presidente chegou ao Supremo, que deveria decidir a questão. Após a votação, garantindo a candidatura de Sarney ao Senado por outro estado,  Mello tratou de ligar a Saulo Gomes. O autor do livro relata o episódio. Vamos ao ponto: 

Apressou-se ele próprio a me telefonar, explicando:
-- Doutor Saulo, o senhor deve ter estranhado o meu voto no caso do Presidente.
-- Claro! O que deu em você?
-- É que a Folha de S. Paulo, na véspera da votação, noticiou a
afirmação de que o Presidente Sarney tinha os votos certos dos
ministros que enumerou e citou meu nome como um deles. Quando
chegou minha vez de votar, o Presidente já estava vitorioso pelo
número de votos a seu favor. Não precisava mais do meu. Votei
contra para desmentir a Folha de S. Paulo. Mas fique tranqüilo. Se
meu voto fosse decisivo, eu teria votado a favor do Presidente.
Não acreditei no que estava ouvindo. Recusei-me a engolir e
perguntei:
-- Espere um pouco. Deixe-me ver se compreendi bem. Você
votou contra o Sarney porque a Folha de S. Paulo noticiou que você
votaria a favor?
-- Sim.
-- E se o Sarney já não houvesse ganhado, quando chegou sua
vez de votar, você, nesse caso, votaria a favor dele?
-- Exatamente. O senhor entendeu?
-- Entendi. Entendi que você é um juiz de merda! Bati o
telefone e nunca mais falei com ele
.”


A História, muitas vezes, se repete, todos sabem. Resta saber, em caso de repetição, qual será a explicação.


*** *** *** *** ***


Cópia, em texto, do livro  “Código da Vida” está disponível na Internet, no link indicado, logo abaixo. Depois de clicar no link, comprima as teclas “Ctrl e F”, simultaneamente.  O comando vai abrir uma caixa de busca. Digite “candidatura de Sarney pelo Amapá”. O buscador vai levar você diretamente ao capítulo 85 do livro, no trecho em que Saulo Ramos fala que, ao longo da carreira, conheceu juízes espetaculares e teve, também, algumas decepções. Logo no início da narrativa você verá o diálogo telefônico reproduzido acima. Clique aqui


A notícia da morte de Saulo Ramos está no link Morre Saulo Ramos, ex-ministro da Justiça do governo Sarney


Fontes: http://www.visionvox.com.br  e http://g1.globo.com / Fotos: Saulo Ramos / Celso de Mello