CONTATOS, INCLUSIVE ASSESSORIAS DE IMPRENSA:
FALE CONOSCO!

Navegue à vontade

Na coluna à direita, logo abaixo das postagens preferidas do leitor, está o ZAPPING. Através dele você tem acesso direto às noticiais do dia, nacionais e internacionais, além de informações sobre quase tudo. ZAPPING. Uma central de notícias e entretenimento em que você escolhe o que quer.

30 de setembro de 2013

PARA LULA É MELHOR AGIR NOS BASTIDORES E MANTER O PODER

Lula não é bobo. Depois de dois mandatos presidenciais seguidos e de ter feito a sucessora no cargo, seria uma besteira monumental tentar a reeleição em 2014. Declarando-se “no jogo” eleitoral, o ex-presidente afirma que será a “metamorfose ambulante” de Dilma Rousseff.

Certo de que ainda goza prestígio junto ao eleitorado, particularmente a população de baixa renda, alvo dos programas sociais que compram votos, o todo-poderoso petista revela a estratégia para as eleições. Lula diz que não será candidato à presidência no ano que vem, mas fará o impossível para reeleger a atual presidente.

A tarefa não é fácil, embora tenha sido aliviada com o novo julgamento dos envolvidos no escândalo do mensalão. O tema ficará em banho-maria no Supremo dividido, até depois das eleições. A oposição, igualmente envolvida em escândalos e maracutaias, não vai poder tirar proveito disso e terá que se manter calada para não arriscar o telhado de vidro. 

Diante do fraco desempenho, a atual gestão não tem o que mostrar ao eleitor em termos de realização. Talvez a espionagem norte-americana sobre a Petrobras e o governo brasileiro, ganhe uma versão bufa em que a presidente vai “responder à altura” ao governo de Barack Obama, no horário eleitoral gratuito.

A “gerentona”, “osso duro de roer”, pode atacar na base do “não me toques, que reajo com violência”. Por outro lado, “sensível”, vai confessar o quanto se emocionou com a “voz das ruas”. Desempenho risível, digno da série “Acredite, se quiser”.

Lula, se assumisse a candidatura para voltar ao planalto, estaria demonstrando ao eleitor do PT que errou feio na indicação da sucessora. Para o ex-presidente o melhor negócio é a reeleição de Dilma. Embora ela se esforce para mostrar independência em relação ao ex-presidente, ninguém ignora quem é que dá as cartas na mesa do poder. Camuflado, agindo nos bastidores, sem aparecer para o eleitor, sempre haverá à quem culpar por qualquer coisa. Mais maquiavélico, impossível.

Lula não tem estudo, mas ninguém pode duvidar da inteligência dele. Tanto é verdade, que não existe, hoje, no cenário nacional, algo ou alguém capaz de fazer frente à maior expressão política do PT. Infelizmente.

*** *** *** *** ***

A estratégia petista está no link Lula afirma que, em 2014, atuará como ‘candidato’

________________

Imagens: Lula / Ópera bufa / Dilma Rousseff