CONTATOS, INCLUSIVE ASSESSORIAS DE IMPRENSA:
FALE CONOSCO!

Navegue à vontade

Na coluna à direita, logo abaixo das postagens preferidas do leitor, está o ZAPPING. Através dele você tem acesso direto às noticiais do dia, nacionais e internacionais, além de informações sobre quase tudo. ZAPPING. Uma central de notícias e entretenimento em que você escolhe o que quer.

3 de outubro de 2013

HERDEIROS DO RÁDIO NÃO APRENDERAM A IDENTIFICAR O TALENTO

Ser a voz dissonante no coro da ignorância é cansativo. E chato. E cabotino. E alvo de críticas, claro. Por isso, me sinto recompensando quando percebo não estar sozinho no meio da multidão. O desabafo do colega jornalista, locutor e apresentador Sérgio Cursino, reproduzido em imagem, abaixo, vem ao encontro de minha visão sobre a incompetência reinante no rádio atual. Cursino usou o Facebook, na manhã desta quinta-feira, dia 3 de outubro, para fazer um protesto. Ponderado. Correto. Inteligente.

Culpam o rádio, aqueles que não conhecem o rádio. Ser dono de uma concessão radiofônica não implica conhecimento, apenas indica posse, que se perpetua de pai para filho por sucessivas gerações. Muitos herdeiros, criados exclusivamente sob o ótica empresarial do lucro, não conseguem ver o talento — imaterial, mas impossível de ser negado, como a energia elétrica. Você não vê, mas nota quando falta. Em síntese, é o que Sérgio Cursino coloca nas entrelinhas do comentário sobre o tema.

Rodney Brocanelli, ao participar da programação da radioweb Showtime, no sábado, 28 de setembro, fez uma revelação preocupante. Assumindo o comando de uma importante rádio da capital paulista, o filho de conhecido empresário do setor faz planos para “revitalizar” a programação matinal da emissora. Como estratégia para modernizar a programação, o “neófito-todo-poderoso (e nervoso)-empresário” (à quem não se pode chamar de jovem) pretende substituir o programa tradicional que, há muitos anos, ocupa as manhãs da rádio da família. Solução imaginada por ele: reproduzir um programa gerado pela RedeTV, denominado “Morning Show”.

Para não ser injusto, assisti ao programa, ontem, 02 de outubro. Não me lembro de ter visto algo mais ridículo na TV. E não consigo imaginar que uma coisa dessas está sendo pensada para substituir o programa da rádio em questão.

Se Rodney Brocanelli não fosse um profissional digno de confiança, que se destaca na cobertura da mídia rádio, eu diria que ele ouviu o galo cantar em algum lugar e escreveu bobagem, mas não é o caso. Rodney sabe o que diz e, se diz, sou levado a crer. De onde concluo que o problema do rádio moderno é pior do que imaginei.

Leia a opinião de Sérgio Cursino, a seguir. Depois, vá até o site Radioamantes e ouça a participação de Rodney Brocanelli na webradio Showtime. A declaração que mencionei, acima, está inteira no áudio que você vai encontrar. Se preferir, adiante a gravação até os três minutos e 40 segundos, onde está o trecho a que me refiro. É simplesmente inacreditável. Pobre rádio!

*** *** *** *** ***cursino_face

_______________

Fontes: página de Sérgio Cursino, no Facebook  e http://radioamantes.wordpress.com / Imagens: Sérgio CursinoRodney Brocanelli