CONTATOS, INCLUSIVE ASSESSORIAS DE IMPRENSA:
FALE CONOSCO!

Navegue à vontade

Na coluna à direita, logo abaixo das postagens preferidas do leitor, está o ZAPPING. Através dele você tem acesso direto às noticiais do dia, nacionais e internacionais, além de informações sobre quase tudo. ZAPPING. Uma central de notícias e entretenimento em que você escolhe o que quer.

2 de novembro de 2013

CAUTELA E CALDO DE GALINHA AJUDAM A INFORMAR MELHOR

Um de meus “defeitos”, segundo a nova geração de radialistas e jornalistas, é ser exigente com a profissão. Na verdade, “acusam-me” de ser intransigente comigo mesmo. Não entendo dessa forma, pois o nível de qualidade que busco em meu trabalho e gosto de encontrar no trabalho dos colegas, é o que diferencia profissionais de amadores. Você logo percebe, pela qualidade (ausente ou presente) quais são um e outro.

Eu não deveria, já que não é problema meu, mas fico aborrecido toda vez que um colega comete uma bobagem que poderia ser evitada com um pouco de atenção. Imagine, então, quando eu piso na bola. Já cometi muitos erros. Cada um deles me ajudou a corrigir normas de procedimento. Ainda hoje tento evitar a distração, risco perene. Basta um descuido e pronto. Dou um exemplo pessoal: no último dia 29 de outubro vi a manchete do Globo Esporte e a compartilhei na timeline de minha página no Facebook. Veja, abaixo, o que escrevi para apresentar o link:

mancada_batistaPouco tempo depois, recebi um recadinho in-box (particular, sem aparecer na timeline) do amigo Aloísio Mathias, da Jovem Pan, me alertando.

mancada_aloisio

Pois é, na hora, troquei as bolas e os treinadores. Em vez de mencionar “Adilson Batista”, cujo nome está na própria manchete do Globo Esporte (repare), por um descuido grafei “Nelsinho Batista”. Na verdade, o sobrenome de Nelsinho é “Baptista”, mas nem os nomes (Adilson e Nelsinho) nem os sobrenomes (Batista e Baptista) serviram para “ligar” meu desconfiômetro. Ambos foram jogadores profissionais e, atualmente, são técnicos de futebol, o que contribuiu para o lapso, mas um pouco de atenção de minha parte teria evitado o tropeço.

Fiz a correção e apontei o erro cometido, sem vacilar. Afinal, devo respeito ao leitor; ser honesto faz parte do pacote. Abaixo, a imagem reproduz o post já corrigido e a explicação:

mancada_batista_corrigida

Mais uma evidência de que, mesmo ao falar de futebol, não dá para chutar de primeira. O que aumenta, ainda mais, o acerto daquele dito popular que ensina “cautela e caldo de galinha não fazem mal à ninguém” e ajudam a informar melhor.

*** *** *** *** ***