CONTATOS, INCLUSIVE ASSESSORIAS DE IMPRENSA:
FALE CONOSCO!

Navegue à vontade

Na coluna à direita, logo abaixo das postagens preferidas do leitor, está o ZAPPING. Através dele você tem acesso direto às noticiais do dia, nacionais e internacionais, além de informações sobre quase tudo. ZAPPING. Uma central de notícias e entretenimento em que você escolhe o que quer.

8 de novembro de 2013

COMEÇOU A DANÇA DO “AM”, MAS ATÉ ACERTAR O PASSO MUITOS PÉS SERÃO PISADOS

Alguns amigos da rede me perguntam o que penso do decreto de migração do rádio AM para o FM. Já me referi a isso, aqui mesmo, neste FG-News. Para oferecer outra ótica ao assunto, indico dois textos bastante esclarecedores sobre a questão. Um, é assinado por Marcos Lauro, parceiro de Rodney Brocanelli no blog “Radioamantes”. O outro, foi publicado no site “Tudo Rádio” e traz algumas explicações técnicas sobre o rádio. Desde logo, está claro que o poder econômico irá beneficiar alguns grupos de comunicação, em detrimento de pequenos empresários. Os 85 mil reais estimados para a adaptação tecnológica do AM à nova faixa de sintonia são “dinheiro de cachaça” para os grandes grupos de comunicação, mas exigirão enorme sacrifício dos pequenos empreendedores. Além disso, o governo promete cobrar a diferença de preço entre uma concessão de AM e outra de FM, mais cara, segundo o ministro Paulo Bernardo. Isso vai dar uma confusão dos diabos, na hora de estabelecer valores.

Como fazer a equivalência de preços entre uma outorga nova em FM e uma emissora AM com 60, 70 anos de atividades que conferem um valor agregado extraordinário decorrente da tradição, da história e do próprio valor de mercado dessas emissoras? Como será determinada a frequência em que vai operar cada AM que ocupar o FM? Como estabelecer as classes de potência e destinação de uso que hoje diferenciam as FMs entre si? Para embolar mais ainda, quando houver o apagão analógico, algumas redes de televisão vão querer transferir para suas emissoras de rádio as frequências que ocupam nas bandas 5 e 6. Mais uma evidência de que serão privilegiados os empresários com muito dinheiro.

Falando em dinheiro, teremos eleições em 2014.  A “propaganda eleitoral obrigatória” anunciada com “cara feia”, na TV, e com um certo “rancor” demagógico, no rádio, é paga pelo governo a preço de tabela cheia (sem descontos). Não é preciso ser gênio para prever que NENHUMA grande rede vai meter a mão no bolso. Os “custos adicionais” relativos à concessão de uma outorga em FM serão absorvidos pela contrapartida eleitoral. Simples, eficiente e, mais uma vez, prejudicial ao pequeno empresário de radiodifusão.

Este é o país das diferenças sociais, sem dúvida. Porém, unidos, os donos de emissoras de rádio AM em todo o Brasil podem fazer muito barulho. Um barulho que não interessa ao poder. A migração está apenas no papel. Prepare-se para o que vem por aí.

*** *** *** *** ***

Para ler o texto do blog “Radioamantes”, clique no link “Começou a novela da migração do AM para o FM

O artigo do site “Tudo Rádio” está no link “O Radio: técnica” Veja, também, os links relacionados

_____________

Fontes: http://radioamantes.wordpress.com - http://tudoradio.com  / Imagens: Migração do AMAM/FMHorário Eleitoral