CONTATOS, INCLUSIVE ASSESSORIAS DE IMPRENSA:
FALE CONOSCO!

Navegue à vontade

Na coluna à direita, logo abaixo das postagens preferidas do leitor, está o ZAPPING. Através dele você tem acesso direto às noticiais do dia, nacionais e internacionais, além de informações sobre quase tudo. ZAPPING. Uma central de notícias e entretenimento em que você escolhe o que quer.

31 de dezembro de 2014

FECHANDO A PORTA E ABRINDO A JANELA. OBRIGADO, 2014. BEM-VINDO, 2015

janela do futuro Hora de fechar a porta de 2014 e abrir a janela de 2015. Antes de mais nada, mentalize o que foi bom no ano que termina e o que não aconteceu do jeito que você pensou. Porém, não se aborreça. Agradeça. Mesmo o que não deu certo serviu de aprendizado. Na vida, é o que somos: eternos aprendizes. Com certeza, você saberá como agir se uma situação idêntica ou semelhante surgir, doravante. Encare dessa forma e ‘bola pra frente’.

Assim como os 7 a 1 tomados pela seleção brasileira da Alemanha, todo ‘desastre’ serve de alerta para os tempos que virão. E assim será também para nós, em nossa vida pessoal, social e profissional.

Não rolou? Por quê? Responda com honestidade (até porque você não consegue se enganar, certo?) e não repita a ‘jogada’.

Lembre-se: o Universo conspira em nosso favor, mas é preciso acreditar que é possível. Eu acredito que você terá sucesso em 2015. E você?

Feliz Ano Novo!

*** *** *** *** *** ***

30 de dezembro de 2014

ABC DO FOGO. O VALOR DO PREÇO E O DA SEGURANÇA

Somente extintores de incêndio do tipo ABC poderão a ser usados a partir de primeiro de janeiro de 2015. A resolução 157, do CONTRAN, em vigor desde 2004, vinha sendo aplicada somente em veículos fabricados de 2005 para cá. Até agora, quando o prazo de validade do produto vencia, a recarga era permitida, fosse BC ou ABC. A partir de 2015, o prazo de validade desse equipamento obrigatório passa a ser de cinco anos, findos os quais deverão ser trocados por novos.

Em 2009, nova resolução, de número 333, estabeleceu 2015 como data limite para o fim das recargas e a troca total dos extintores BC que ainda estão em uso. Com isso, o CONTRAN pretende aumentar a segurança de motoristas e passageiros em casos de incêndio seguido de colisão, por exemplo. Entretanto, quando uma medida atinge o bolso do cidadão, a ‘dor’ é mais forte. A troca deve atingir, principalmente, a frota fabricada antes de 2005. Daquele ano para cá, os veículos novos passaram a sair de fábrica com extintores do tipo ABC, mas a recarga dos aparelhos era permitida. Com a chegada de 2015, os antigos extintores do grupo BC saem de cena e a prática da recarga fica proibida.

bibi_032Esse detalhe tem irritado muitos consumidores, que trocaram os velhos BCs pelos novos ABCs, há um ano ou dois, mas terão que comprar uma nova unidade para se adequar à resolução do CONTRAN. E também àqueles que recarregaram qualquer um dos modelos recentemente e deverão gastar de novo com esse item.  Por que não fazer a transição, permitindo que os dois casos fossem contemplados? Bastaria permitir que os prazos de validade restantes fossem cumpridos. Isso é possível e seria uma boa saída para amenizar o impasse. Estão circulando na rede protestos contra a troca, mas a maioria leva em conta o fator econômico.

Resta a questão da segurança. Para falar disso, recorri ao engenheiro Jorge Almada, especialista no assunto. Você deve se lembrar dele, aqui mesmo do blog. Prontamente, Jorge se prontificou a falar do assunto. Vamos ao que o engenheiro diz:

“Prezado Flávio, é um prazer contribuir com o seu blog e prestar alguns esclarecimentos. Vou analisar por partes os conteúdos expostos na internet. Não apenas o carburador e o distribuidor podem contribuir para o inicio de um incêndio. É preciso atentar que existe uma grande variedade de automóveis que tem o tanquinho de partida a gasolina e que, por exemplo, em uma colisão o combustível ali contido poderá contribuir para o inicio das chamas. Também convém lembrar que ainda temos um grande número de automóveis circulando com sistema de carburação e distribuidor. Em caso de colisão esse tipo de veículo pode pegar fogo e atingir um automóvel com injeção eletrônica.

Por outro lado, o uso acentuado de plásticos, borrachas, revestimentos internos, como tecidos, espuma de poliuretano utilizados nos automóveis brasileiros é fator preocupante. A taxa de propagação de chama dos veículos nacionais é muito elevada quando comparada com a de outros países. No Brasil, a taxa de velocidade de queima no interior dos automóveis é normalizada para 250 mm por minuto, enquanto que em outros países é de 100 mm/min, ou seja, aqui é permitido que o fogo se propague nos materiais internos dos automóveis a uma velocidade de duas vezes e meia a de outros países.

Face a esta situação, o Contran modificou a composição dos produtos químicos que vão dentro dos extintores, incorporando o fosfato monoamônico, representado pela letra “A”. Ela indica a presença de um aditivo eficiente no combate ao fogo em materiais sólidos. Cada letra representa o tipo de chama em que o extintor pode ser utilizado.

► Classe A: no principio de incêndio em materiais sólidos, como plásticos, borrachas, madeiras, tecidos, estofados, etc...

► Classe B: em líquidos combustíveis/inflamáveis, como gasolina, óleo, álcool e querosene.

► Classe C: ideal para chama que começa em equipamentos elétricos energizados, como bateria, alternador e outros equipamentos da parte elétrica do veículo.

Qual a vantagem do Extintor ABC? Vamos a elas:

a) O pó ABC apaga todos os tipos de incêndio automotivo com mais eficiência. Ele é capaz de apagar chamas de até 2 metros em materiais sólidos e de até 4 metros se produzidas por líquidos inflamáveis.

b) Tem validade de 5 anos, outra vantagem

c) A garantia de qualidade por parte dos fabricantes

d) Comodidade para o usuário, que passa um grande período sem preocupações.

Segundo o Corpo de Bombeiros, 7 carros pegam fogo por dia. E isso são apenas as ocorrências registradas. Nenhum veículo está imune, porque a causa do incêndio não costuma estar ligada à idade ou ao modelo do veículo.

Estatísticas de Incêndios no Estado de São Paulo :

Automóveis = 76 %  ---  Outros = 24%

Flávio, veja como a falta de informação contribui para uma visão equivocada com relação à segurança automotiva. Estamos falando não só da segurança e do preço do extintor de incêndio, mas sobretudo da PRESERVAÇÃO DA VIDA. Abraços,

Jorge Almada”

*** *** *** *** *** ***

Jorge Almada participou também de outros dois posts sobre incêndios automotivos:

1) É FOGO! SEU CARRO PODE VIRAR CINZAS EM MINUTOS

2) NAS LABAREDAS DO EXTINTOR DE INCÊNDIO. SALVE-SE QUEM PUDER!

*Jorge Luiz Ramos Almada tem mais de 30 anos de experiência em Polímeros; é professor ministrante de cursos de Plásticos em Escola Técnica - SENAI-SP. Exerce, também, a função de consultor e professor, atuando na formação de funcionários operacionais, “chão de fábrica e técnicos. Contatos: (12) 8182-8600 – e-mail: jorgealmada@uol.com.br

21 de dezembro de 2014

O VERÃO DE VERDADE COMEÇA HOJE E ACABA DEPOIS DO HORÁRIO DE VERÃO

image Com o ‘horário de verão’ em vigor desde 19 de outubro, causa uma certa estranheza saber que a verdadeira estação do Verão começa hoje, às 21h03. (Fonte: Notícias UOL)

No dia a dia, em dez estados brasileiros, já fazíamos de conta que era ‘verão’, por causa da alteração de horário, preferida por uns e odiada por outros.

Para completar o ‘nó na cabeça’ da população atingida, convém não esquecer que o ‘horário de verão’ acaba em 22 de fevereiro, mas o Verão da natureza só termina em 20 de março do ano que vem. (Fonte: Nippo Brasília)

Confuso, não? Nem por isso vamos deixar de saudar a chegada da mais quente, feliz e descontraída estação do ano.

Quem mora nos estados brasileiros em que o horário de verão não vigora, deve se lembrar que o glorioso Verão chega uma hora mais cedo.

Que inveja! Aproveite bem essa ‘hora extra’.

Bem-vindo, Verão!

*** *** *** *** *** ***

19 de dezembro de 2014

NA BRIGA ENTRE ABERT E FABRICANTES DE CELULARES VAI SOBRAR PARA O TATU

Em meio à ‘briga’ surda, mas nem tanto, entre operadoras de telefonia e emissoras de rádio, alguém vai sair perdendo. Você, que me conhece e sabe da defesa que sempre fiz do rádio, não importa qual seja o portador de sinal utilizado, pode achar estranha a minha colocação inicial, mas vamos à justificativa.

3b0625787532daeb956c7ecde5e116c2_XLValendo-se da digitalização da TV, o rádio, espertamente, está migrando para a faixa ocupada pela televisão analógica cujo fim se aproxima, embora ainda não esteja definido. E, a despeito dos “assassinos” do rádio divulgarem sua morte inapelável, ele não está morrendo. Pelo contrário, está se adaptando aos novos tempos com absoluto sucesso. 

A migração do AM para o FM, em andamento, é reflexo disso. Com a atmosfera saturada por sinais das ‘teles’ a sintonia do AM foi muito prejudicada. Quando o AM terminar a migração, o som do rádio e sua sintonia serão favorecidos. De olho na mudança, as emissoras de rádio, representadas pela ABERT- Associação Brasileira das Empresas de Rádio e Televisão, estão pressionando fabricantes de celulares a incluírem o chip de rádio em todos os aparelhos celulares.

Sob o título “Smart é ter rádio de graça no celular”, foi lançada uma campanha publicitária. É uma boa ação de marketing, mas existem alguns obstáculos a serem transpostos. Basicamente, de fundo econômico.

O primeiro deles, é compensar fabricantes de rádio que só aguardam o início da ocupação da faixa estendida, por exemplo, para colocar à venda aparelhos capazes de sintonizar as emissoras que vão operar nessa faixa. A campanha da ABERT praticamente pulveriza o mercado, prejudicando o setor industrial.

01zfacebookapp_pronto Não há como negar a tendência, irreversível, de que os celulares serão os receptores ideais para substituir os tradicionais aparelhos de rádio AM e FM que todos conhecemos. Presentes, cada vez mais em todos os lugares, os celulares já fazem parte do dia a dia das pessoas e são usados muito mais para outras finalidades do que para fazer ligações telefônicas. Aliás, telefonar continua tão ruim ou até pior do que há vinte anos.

A jogada articulada pela ABERT permitiria à radiodifusão, ampliar seu mercado (chegando ao ouvinte) através dos celulares. Hoje, não se esqueça, há mais celulares no país do que habitantes. Aí, as operadoras de telefonia acordaram e entenderam que vão se transformar em portadoras gratuitas do sinal das emissoras e passaram a reivindicar remuneração do setor.

Em contrapartida, as emissoras argumentam que são produtoras de conteúdo e devem ser remuneradas por isso. No fundo, é jogo de cena de ambas as partes. As rádios terão mais audiência e vão se dar bem, atraindo anunciantes. A evidência despertou ainda mais o apetite das teles. Para levar o sinal do FM ao celular querem dinheiro.

Nas assinaturas pré e pós pagas, o usuário é descontado do crédito ou acrescido à conta mensal, o valor correspondente ao consumo de dados. Quando usa a Internet para acessar o que deseja, o internauta consume dados e paga para ter esse direito. O sinal do rádio captado pelo celular não precisa da Internet, segundo a Abert, mas quem tem celular sabe que não é bem assim.

image Outra coisa: a ABERT também diz que ouvir FM pelo celular não gasta bateria. Será, mesmo? Veja no fórum a seguir a opinião de usuários sobre o assunto: (Fonte: Hardware. com.br) 

Como vimos até aqui, todo mundo tem uma ponta de razão, mas ninguém quer botar a mão no bolso. E quem vai pagar, então? De graça, não vai acontecer.

A resposta, a meu ver é esta: o tatu, o único que tem casca nas costas, vai pagar! Não através de uma taxa à parte, mas embutida no preço do consumo de dados. Ou qualquer outro artifício. Imaginação, para eles, é que não falta.

Ah… o tatú (como sempre, só lembrado por último) somos nós.

*** *** *** *** *** ***

18 de dezembro de 2014

FELIZ TUDO PARA VOCÊ

feliz_tudo_2014 Nestas festas, pensei em dirigir uma mensagem especial à cada pessoa que participa do grupo de 'amigos da rede'. Chamo de  'amigos da rede', leitores habituais e ocasionais do blog "FG-News, onde os fatos se encontram" e, também, seguidores e simpatizantes das páginas que tenho mantido no Facebook e no microblog Twitter.

Pensei, como disse acima, mas desisti. Ainda que eu me limitasse a escrever uma linha para cada amigo ou amiga aos quais eu sigo ou que me seguem, seria impossível escrever a todos desejando Feliz Natal e Próspero Ano Novo. Mesmo que, por hipótese, eu fosse capaz de realizar a façanha, não haveria a menor chance de criar um recado diferente para cada pessoa.

Então, ao reconhecer a impossibilidade física e mental de concluir a tarefa imaginada, quero manifestar meu desejo de paz, amor, união e fraternidade entre os 'amigos da rede' nas festas de fim de ano e pela vida afora. Como temos a vida toda pela frente, não importa o quanto essa vida vai durar, que ela seja de intensos prazeres, alegrias e realizações.

Feliz tudo o que estiver reservado para você. Agora e sempre.

*** *** *** *** *** ***

* Pesquisas de julho deste ano apontavam que fecharíamos 2014 com cerca de 108 milhões de internautas, no Brasil. (Fonte: E-Comerce News) Entre eles, eu e você, naturalmente. Alguns de nós nunca nos 'esbarraremos' pelos caminhos virtuais da Internet, mas estamos juntos, fazemos parte da mesma massa. Por essa razão, este recado é para você também. Vai que, justamente agora, a gente acabou se esbarrando…

A VOLTA E A HORA DO BANHO

Olá, amigos da rede. Ausente desde a última sexta-feira, vi que muitas coisas aconteceram nesse período. Não sei, ainda, se valerá a pena torrar sua paciência com uma ‘retrospectiva’. Quem sabe eu comente um destaque desse período. Porém, o blog volta à normalidade logo mais, às 21 horas. Só a partir de então verei o que fazer.

Osmar Santos, em seus áureos tempos de narrador esportivo, quando queria dizer que um jogador estava mal na partida e merecia ser substituído, sapecava uma pergunta, esclarecia e dava um conselho, como se estivesse falando diretamente com o atleta:

— “Fulano, sabe quem telefonou pra você? NINGUÉM! Peça para sair e aproveite: vá pro vestiário tomar banho, garotinho.”

Sabe quantas pessoas notaram que não dei as caras por aqui? Pois é… acho que tá na hora de pedir para tomar banho.

*** *** *** *** *** ***

11 de dezembro de 2014

IGREJAS GASTAM MAIS DE 1 BILHÃO DE REAIS NA TV E NO RÁDIO

O descumprimento das obrigações no uso das outorgas de rádio e televisão, finalmente, chega ao Ministério Público. Uma das condições iniciais impostas ao candidato à outorga, é ter plena capacidade financeira e técnica para suportar os custos de produção e veiculação dos programas. Estes, deverão ser voltados para entretenimento, jornalismo, educação, cultura, saúde, prestação de serviços e utilidade pública, entre outros setores.

Como consequência, vai-se ao encontro do artigo 221 da Constituição Federal, que visa valorizar a produção local e independente, gerar empregos, fomentar o mercado produtor e obter uma profissionalização mais apurada, eficiente, diversificada e útil do setor de comunicação. (Fonte: www.mc.gov.br) 

Fazendo de conta que o assunto não é com eles, detentores de outorgas de rádio e TV têm alugado parte de sua programação a concessionários que se obrigam a fornecer o conteúdo para as horas contratadas.

Os empresários-locadores, livram-se de quaisquer responsabilidades quanto à produção e ao conteúdo do que é veiculado. Dando uma de Pilatos, lavam as mãos.

Quem aluga o horário, naturalmente, vai maximizar seus interesses e que nunca estão de acordo com as normas do setor de radiodifusão. Estas, devem ser cumpridas pelo portador da concessão pensam, com razão, os locatários.

Os principais “clientes” são as igrejas, de todos os credos. Com o caixa abastecido pelo maná que cai abundantemente do céu, chegam a alugar 22 horas diárias da grade de programação. (Fonte: Notícias da TV) 

Alegando exercer o direito da livre iniciativa, as igrejas poderão se defender dizendo que não há nada ilegal nisso. De fato, o uso do dinheiro para o exercício do poder econômico não é proibido. Evocando outra vez a Constituição, ela não condena o exercício do poder econômico nas atividades comerciais. Porém, o seu abuso para usufruir vantagens na formação de cartéis e monopólios que alterem as estruturas do mercado é, nitidamente, proibido. (Fonte: Instituto Avante Brasil)

Agora, assustados com as possíveis consequências, os empresários já começam a se justificar. A principal argumentação é a de que ‘se não puderem alugar, vão quebrar e haverá desemprego’.

Que sensibilidade! O mesmo desemprego que promoveram, ao alugar horários, está no centro das preocupações dessa gente, agora que o abuso pode cortar o dinheiro fácil que não os constrange de ganhar.

Ora, se para obter a concessão o interessado é obrigado a comprovar saúde financeira, a obrigação deve continuar valendo, presumo, no decorrer do usufruto da concessão. Se não podem com as calças, entreguem-nas para alguém que possa. Evita essa “aflição social” e revitaliza o mercado. Vê se querem isso. Não são bobos!

O problema de aluguel de horários atinge, como sabemos, rádio e televisão, mas a autoridade para resolver questões do rádio é o Ministério das Comunicações.

Para solucionar impasses da TV, a responsabilidade é da presidência da república. Dois pesos e duas medidas para questões iguais. Ou, para sermos diretos, a decisão vai depender dos interesses de cada parte. Só no Brasil.

*** *** *** *** *** ***

10 de dezembro de 2014

NOTÍCIAS DA MANHÃ, DO SBT, COMEÇA A PERDER PONTOS DE IBOPE.

SBT_LOGO Depois de “festejar” a saída de César Filho, a realidade começa a se delinear diante dos olhos dos diretores do SBT. A notícia da “comemoração” pegou mal, quando foi publicada. A manchete, infeliz, deu a entender, duas semanas após a saída do profissional, que foi um alívio ele ter sido contratado pela Record.

Na verdade, a direção da tevê de Silvio Santos estava aliviada porque o “Notícias da Manhã”, com Neila Medeiros, vinha mantendo os bons índices obtidos por César Filho. Ou seja, a direção temia um desastre com a troca na apresentação o que, na época, não estava acontecendo. A audiência continuava na casa dos quatro pontos, pouco mais. (Fonte: Notícias de TV)

Manchete tendenciosa à parte, o temor de antes está virando realidade; os números do “Notícias da Manhã” estão recuando. Na última terça-feira, bateu nos 2,1. Um dia antes, tinha ficado nos 2.5.

A queda é notória e não se deve exclusivamente à saída do César Filho. A estreia do “Hora 1 da Notícia”, na Globo, das cinco às seis, tem peso nesse contexto, mas também não é só isso.

É impossível não notar que o “Notícias da Manhã” tem feito o impossível para deixar Neila Medeiros mais sorridente, mais boazinha, mais light e outros predicados que se consideram desejáveis para atrair a simpatia do telespectador, mas o artifício não funciona.

Sem entrar em detalhes pessoais, numa emissora que tem a top model Isabella Fiorentino entre seus contratados, profissional que conhece como poucos o conceito de elegância, o que significa o guarda-roupa que Neila tem usado no ar, durante o “Notícias da Manhã”? 

Convoquem, urgentemente, a assessoria da modelo para dar um jeito nisso. Ou deem como tarefa ao “Esquadrão da Moda”, que Isabella Fiorentino apresenta com Arlindo Grund, esse desafio. Vestir impropriamente Neila Medeiros, confundindo realce ao físico com toque de classe é erro tão primário quanto querer mudar a personalidade de uma pessoa acrescentando a ela gestos, caras e bocas de ocasião. Nos dois casos, não funciona.

Neila tem estado tão espremida em alguns vestidos, passando a impressão de que uma hora ela vai tropeçar e cair. Ou então, invade a telinha com calças (pantalonas?) tão largas quanto compridas, que é um verdadeiro milagre o tecido de uma pena não se enrolar na outra e jogar a coitadinha de boca no chão.

Alguém, no SBT, pode não estar preocupado com isso, mas, como uma coisa leva à outra, a queda dos números é, um pouco, reflexo desse mau gosto indumentário. Vão esperar até que Neila se estatele no cenário?

*** *** *** *** *** ***

9 de dezembro de 2014

‘BEM, AMIGOS’ FALHA E MOSTRA QUANDO A IMAGEM COMPENSA A FALTA DO SOM

Este post é mais voltado ao segmento masculino e ao crescente público feminino que vem demonstrando mais simpatia pelo futebol.

Ontem, segunda-feira, o programa “Bem, Amigos”, do Sportv, foi especial.

Valendo-se do final do Campeonato Brasileiro e o início das férias dos jogadores, Galvão Bueno apresentou o programa que, na verdade, era para ser um show de premiação aos craques que se destacaram na competição. Abaixo, Guerrero, atacante do Corinthians.

guerrero Gravado em dependências do estádio do São Paulo Futebol Clube, na capital paulista, o programa até pode ter sido um sucesso para os presentes, mas, para o telespectador, foi um exercício de paciência e muito controle. Remoto, naturalmente.

Do início ao fim, o telespectador precisou ajustar—ora para mais, ora para menos—o volume do televisor. Se, por hipótese, ele não tivesse o acessório, teria ficado aborrecido e cansado de tanto ‘senta e levanta’ para aumentar ou diminuir o volume do televisor.

A equipe técnica não se acertou—do começo ao fim—e levou “um baile” dos microfones. Em total desequilíbrio, os ‘sem fio’ atrapalharam o desenvolvimento do programa.

Da microfonia inicial, aos irritantes ‘silêncios’ durante a fala de convidados e homenageados, o fato é que a Globo, ontem, mostrou que o nível dos profissionais do setor de sonorização decaiu muito nos últimos tempos.

goleada 10 X 0 Se houvesse um placar para avaliar o desempenho dos engenheiros, técnicos e operadores de áudio, ontem, eles teriam sido derrotados por goleada. O “Bem, Amigos” desmentiu a máxima de que “uma imagem vale por mil palavras”. Imagens de pessoas que falam, mas ninguém escuta, valem, seguramente, apenas de pretexto para se trocar de canal.

Para quem, como eu, insistiu em acompanhar o programa, uma boa revelação.

joana de assisA repórter Joana de Assis, que nos “Bem, Amigos” semanais (quase nunca apresentados por Galvão Bueno) apenas lê e-mails (e olhe lá) foi escalada para fazer dobradinha com Galvão na condução do programa-cerimonial de ontem.

A performance da moça foi surpreendente. Não pela agradável capacidade de improvisação demonstrada, quando os microfones permitiam, mas pela boa forma física insuspeita. Sentadinha diante de um notebook, nos programas normais, lendo algumas poucas mensagens dos telespectadores, ninguém poderia supor que a aparente menina franzina fosse ‘tudo aquilo”.

Dona da chamada barriga negativa e dotada de uma derrière positiva, bem ao encontro da preferência nacional, a silhueta de Joana de Assis, era um colírio e tanto para os olhos. Para dizer a verdade, foi ela quem mais se destacou no programa, nos momentos em que, por pixotada dos responsáveis pelo som do programa, as imagens ficavam em evidência. Nos casos em que a repórter estava na tela, ninguém sentia falta do áudio. Também, não precisava.

samuel_rosaPara finalizar, a participação de Samuel Rosa, vocalista do grupo musical Skank e torcedor fanático do Cruzeiro mineiro, nos mostrou que o vocalista e os demais integrantes do grupo são indissociáveis.

Como se não bastasse o problema sonoro do programa, que tirou ainda mais o brilho da apresentação do cantor, a falta da banda mostrou que o Skank só é o Skank quando atua em conjunto. Aliás, como ocorre no futebol.

Em tempo: espero, daqui para frente, que o pessoal do som, da Globo, também se lembre disso. Apesar da importância da imagem na TV, o som é complemento fundamental.

Se faço a observação é porque vocês sempre foram reconhecidos pela competência. Assim, bem na hora de entregar o caneco para a boleirada brasileira, vocês não podiam ter pisado na bola.

*** *** *** *** *** ***

6 de dezembro de 2014

MENINO DE OURO SAI DA TELA DEPOIS DE ANUNCIAR AUMENTO DE IBOPE

bacci_vai acabar Luiz Bacci vai deixar a faixa de programação vespertina da Band, com menos de quatro meses no ar. Um corte de 25 milhões de reais no orçamento da emissora para 2015, obriga a direção da emissora a conter gastos. A contenção vai determinar o fim de quatro programas: “Tá na Tela”, “Sabe ou não sabe”, “Polícia 24 horas” e “Zoo” — este, nunca vi e nem sei como é ou era. (Fonte: Notícias da TV)

cafe_gelado O corte surpreende, pois o “Tá na Tela”, segundo informações recentes, vinha crescendo em audiência. (Fonte: Audiência e TV.com)

Deixando a grade vesperal, Luiz Bacci passa a comandar o “Café com Jornal”, edição nacional, que será apresentado de 8 às 9h30. Presumo que o “Dia Dia”, programa culinário, também será atingido devendo ficar mais mais curto, mas a Band não se pronunciou a respeito.

A mexida é tratada com reservas pela direção da emissora, no entanto é impossível não notar uma certa incoerência na medida. Se o motivo determinante da mudança é de fundo orçamentário, a continuidade do “Café com Jornal” chega a ser incompreensível. Havia tempos que o programa estava a preocupar, exatamente pela relação custo/benefício deficitária. Mesmo modificado em seu formato, o programa deve continuar gastando muito mais do que fatura.

Porém o que mais causa estupefação é saber que 25 milhões de reais eram usados para a produção da grade que, agora, será alterada. Burros, os dirigentes da Band não são. Pergunto: ninguém, por lá, viu que era muito dinheiro para produzir tão pouco?

*** *** *** *** *** ***

5 de dezembro de 2014

‘JORNAL DA IMPRENÇA’ É DICA DE LEITURA PARA FECHAR A SEMANA COM BOM HUMOR

Considerando que mentes saudáveis e inteligentes precisam estar em constante exercício, hoje faço uma indicação de leitura que, além de me dar a oportunidade de propagandear as virtudes de um colega da mais alta estirpe, ainda me permite dar um presente a você, que me lê.

Sou um, entre incontáveis outros, leitor semanal da coluna de Moacir Japiassu. Japi, como gosta de se apresentar, é jornalista, escritor e torcedor do Vasco.

Indico, com muito prazer, o ‘JORNAL DA IMPRENÇA’, publicado semanalmente, às sextas-feiras, no Portal Comunique-se.com.br. Se você o conhece, sabe do que estou falando. Se não, não perca mais tempo e passe por lá.

Odiado por uns, a maioria dos “gênios” que inventam a roda todo dia, e idolatrado por outros, que dão graças por existir um mestre sempre pronto a iluminar, em qualquer circunstância, os caminhos da correção sobre todas as coisas. Ignorante que sou, deixo-me banhar pela luz generosa de Japi.

Encontre nos detalhes—e você vai encontrá-los abundantemente—a vigilância incansável e arguta de quem até corre o risco de perder um amigo, mas não deixa passar nenhum escorregão no uso do idioma. Principalmente quando empregado no jornalismo.

E chega de papo, pois, daqui para a frente, o dono da sua atenção é Moacir Japiassu. Devore o ‘JORNAL DA IMPRENÇA’ e clique, também, nos links indicados por ele. É leitura de primeira classe, escrita de um jeito que só quem conhece sabe escrever.

*** *** *** *** *** *** ***

Para acessar, clique no link “PETISTA DIZ QUE JANISTRAQUIS TEM ‘ORIGEM GROSSEIRA’ E ELE FICOU PUTO DA VIDA

Colaborem com a coluna, que é atualizada às sextas-feiras: Caixa Postal 067 – CEP 12530-000, Cunha (SP), ou japi.coluna@gmail.com.

Moacir Japiassu (*) Paraibano, 72 anos de idade e 52 de profissão, é jornalista, escritor e torcedor do Vasco.

Trabalhou, entre outros, no Correio de Minas, Última Hora, Jornal do Brasil, Pais&Filhos, Jornal da Tarde, Istoé, Veja, Placar, Elle. E foi editor-chefe do Fantástico. Criou os prêmios Líbero Badaró e Claudio Abramo.

Também escreveu nove livros (dos quais três romances) e o mais recente é a seleção de crônicas intitulada “Carta a Uma Paixão Definitiva”.

3 de dezembro de 2014

MARIANA GODOY FECHA COM A REDETV! NÃO VAI SER FÁCIL, MAS É POSSÍVEL, MARIANA

Mariana Godoy foi anunciada na tarde desta quarta-feira, 3 de dezembro, como nova contratada da RedeTV!. Depois de 23 anos trabalhando na Globo, Mariana, que nos últimos três anos se dividia entre São Paulo e Rio, pediu para sair em 10 de outubro, logo após as eleições. (Fonte: Televisão:UOL)

Tinha chegado ao fim a permanência da jornalista na Cidade Maravilhosa. Incumbida de apresentar o “Jornal das Dez”, na GloboNews, Mariana Godoy passou a ficar de segunda à sexta no Rio e voltar para a capital paulista nos fins de semana, para estar com a família. “Cheguei ao limite de tempo para um casamento a distância”, disse, ao justificar a decisão difícil e corajosa.

Deixar a segurança global e arriscar o futuro profissional demonstra, em primeiro lugar, muita confiança em si mesma. Afinal, se por um lado, trabalhar na Globo exige capacidade individual, por outro lado, a empresa oferece todas as facilidades para que o trabalho seja feito da melhor maneira possível.

Sabendo que fora da Globo o cenário é bem diferente, Mariana sondou o mercado paulistano, ouviu propostas até fechar com a RedeTV! — uma surpresa. Sem dúvida, um grande desafio. mariana_godoy_contrato_redetv Franz Vacek, novo superintendente de Jornalismo e Esportes da empresa de Amilcare Dallevo e Marcelo Carvalho, declara-se feliz com a contratação. Mariana Godoy deve comandar um talk show, ainda sem data de estreia nem periodicidade e duração. Sabe-se, apenas, que deverá estrear no primeiro semestre de 2015. (Fonte: RD1.ig.com.br)

Sou admirador do trabalho de Mariana. Aos 45 anos (que ela confessa, sem nenhum temor), é dona de uma beleza clássica, rara, e fala como convém, ou seja, de maneira clara, simples e direta. Além disso, é simpática. Desejo que ela alcance sucesso fora do ‘globo dourado’, sem traumas. Não me preocupo com a provável escassez de recursos da casa nova. Toda limitação, tecnológica ou financeira, dá para tirar de letra com o talento. Isso ela tem de sobra.

Meu receio, e torço para estar errado, é a instabilidade da direção artística da casa. Administrativamente, parece que ‘a água pelo pescoço’ está abaixando. Este ano, fecha no “azul”. Pode ser um bom presságio. (Fonte: natelinha)

O problema é que a RedeTV! faz parte do trio formado também pelo SBT e a Bandeirantes. Nunca se sabe se as intenções vão sair do papel. E, quando saem, quanto tempo vão durar?

Por curiosidade, dei uma olhada nos santos protetores dos profissionais e encontrei que jornalistas contam com a “força” de São Francisco de Sales.

Já os comunicadores, têm a proteção de São Gabriel Arcanjo. Rogo a ambos que fiquem de plantão ao lado da moça. Vai ser preciso. (Fonte: Sactorum: santos padroeiros)

*** *** *** *** *** ***

2 de dezembro de 2014

PAULO ABREU PODE ESTAR FAZENDO CAIXA PARA REINAUGURAR A TV EXCELSIOR

PA_grupo_mundial A situação, pelos lados da avenida Paulista, 2200, sede da maioria das emissoras de rádio do grupo Mundial, de Paulo Abreu, continua agitada. E à cada agito, anuncia-se mais uma leva de demissões.

Especula-se qual é o motivo que está levando o empresário de radiodifusão, entre outros empreendimentos, inclusive no setor hoteleiro, a usar o “facão” sem dó nem piedade.

“É para ajustar as finanças”, dizem uns. “O Grupo Mundial vai mal das pernas”, dizem outros. “É alguma estratégia que ainda não está muito clara”, afirma categoricamente aquela turma de sempre, com cara de sabe-tudo. Acho que, desta vez, a turma está perto da verdade. De fato, a razão da “faxina” não está muito clara.

Eu, de há muito, só observo. E observo, principalmente, que as autoridades do setor não estão nem aí. Uma após outra, as emissoras de Paulo Abreu vão se tornando apenas musicais. Nenhum apresentador de plantão. Nenhuma notícia—ou apenas o suficiente para cumprir tabela e enganar trouxa (no caso, o trouxa não é o ouvinte, mas a Anatel, o Ministério das Comunicações e companhia bela).

Se ninguém se esqueceu, a grande jogada de Paulo Abreu, já anunciada, é conseguir reativar a extinta TV Excelsior, fechada na época dos governos militares (na foto, Bibi Ferreira).

Aí, me dá uma tentação de pensar que todas as dispensas havidas nas rádios do empresário devem-se a uma única causa: o homem está se preparando para gastar uma boa grana com a reinauguração da dita TV. E concluo: “televisão é um negócio muito caro”.

Ia ficando por aí, quando me bateu uma dúvida: “será que mesmo cortando gasto com pessoal nas rádios—como tem feito—Paulo Abreu conseguiria levantar a grana toda necessária para montar a TV?”

Nem termino o pensamento e alguém me interrompe: “Ele deve ter um sócio, claro”.

“Caramba, como eu não havia pensado nisso?” Então, me lembro que Paulo Abreu é amigo de gente poderosa. Como se diz no popular, “é assim co’s hómi”.

Não foi ele quem ofereceu um empreguinho de gerente de hotel para José Dirceu sair da cadeia e trabalhar? Coisa pouca, vinte mil reais por mês, lembra?

Como um pensamento puxa outro, uma amizade também puxa outra. Se ele é amigo do Zé, então deve ter ficado amigo do Lula. E Lula, todos sabem, tem um filho que é um verdadeiro gênio dos negócios, Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha. (Fonte: Wikipedia)

Lulinha, é dono de um canal de TV por assinatura, o PlayTV, que não passa de um vitrolão, meio parecido com a finada MTV. Além de tocar música, divulga filmes, animes e games.

Para ir direto ao ponto, genial como Lulinha é, seria uma ótima ideia se ele se associasse a Paulo Abreu e, juntos, ganhassem a concessão da TV Excelsior. Já pensou? Uma jogada e tanto, sem dúvida, e no fim… Será?

É melhor eu parar de pensar, viu. Acho que ando tendo pensamentos de jerico. Mesmo sendo vivaldino, como sabemos que é, nem Paulo Abreu teria coragem de engendrar um plano tão descarado. 

Neste ponto, aquela voz (lá em cima) que me lembrou sobre um possível sócio na parada, voltou a se manifestar: “Bem, o plano pode não ser dele, mas de Lulinha. O homem não é um gênio?”

Fiquei sem palavras.

*** *** *** *** *** ***

Para ler sobre as novas demissões nas rádios de Paulo Abreu, clique no link do site “Bastidores do Rádio”, de Adriano Barbiero: Rádio Iguatemi também demite equipe de profissionais.

Digite “Paulo Abreu” na caixa de busca LOCALIZE O QUE VOCÊ QUER, acima, à direita, e encontre outros posts sobre o assunto publicados neste blog.

1 de dezembro de 2014

JORGEH RAMOS, A VOZ DO CINEMA, SE CALA PARA SEMPRE

irm_lumiere O cinema, como todos sabem, é chamado de ‘a sétima arte’. Muitos, ainda hoje se perguntam: por que sétima arte? A resposta é simples e interessante.

Quando o cinema surgiu, no final do século XIX, os irmãos Gustave e Louis Lumière, franceses, viram na invenção um jeito novo de ganhar dinheiro. Embora existam notícias de que outros dois irmãos, alemães, Max e Emil Skladanowsky, realizaram sessões de cinema antes dos franceses, a crítica mundial aceita os irmãos Lumière como sendo os inventores da técnica que permitiu uma nova modalidade artística.

Mais tarde, já no século XX, Ricciotto Canudo, intelectual italiano que morava na França, escreveu o Manifesto das Sete Artes. Nele, Canudo definiu o cinema como arte plástica em movimento, capaz de reunir a música, a dança, a pintura, a escultura, a arquitetura e a poesia de uma só vez. Assim, era natural chamar o cinema de “Sétima Arte”.

No princípio, os filmes, em preto e branco, duravam entre 50 segundos e 1 minuto e meio. Não tinham enredo nem atores nem atrizes e mostravam cenas do cotidiano, nas quais populares realizavam seus afazeres diários. À direita, cena mostrando a saída dos operários da fábrica Lumière, um dos primeiros filmes exibidos pelos irmãos.

Do cinema mudo ao sonoro e o desenvolvimento de recursos de som e imagem, transformaram o cinema em veículo perfeito para a realização de sonhos e desejos. Romance, humor, aventura e ficção científica passaram a ser roteirizados; o cinema criou o mundo da fantasia. Hoje, digitalizada e tridimensional, a sétima arte transforma em “realidade virtual” o que era inimaginável até para o mais otimista dos visionários.

Para atrair a atenção do público, o lançamento de um grande filme exige cuidadoso investimento na produção de um trailer bem editado. Esse detalhe pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso de um filme cujo orçamento, não raro, se conta em centenas de milhões de dólares. 

A indústria cinematográfica mundial não economiza na produção de um trailer. Todos os detalhes são considerados, em busca do melhor resultado. Aqui é que entra o personagem deste post.

No Brasil, o pernambucano Jorgeh Ramos (imagem), nascido no Recife, radicado no Rio até pouco tempo atrás, era o dono da voz que narrava os principais trailers de lançamentos cinematográficos.

Ator de teatro, escreveu algumas peças e também dublava. Scar-scar-4985005-576-336É dele a voz de alguns personagens que fizeram muito sucesso em desenhos como “Aladdin” e “O Rei Leão”. (imagem)

Paciente renal crônico e hipertenso, há um ano Jorgeh foi diagnosticado com câncer e lutava contra a doença. Atualmente, morava em Porto Alegre para onde se mudou na expectativa de conseguir um doador mais rapidamente.

Mesmo debilitado, Jorgeh Ramos continuava emprestando a voz para os trailers de cinema. Montou um home studio onde também fazia outros trabalhos de narração.

Locutor de chamadas memoráveis de filmes maravilhosos, muitos com finais felizes, a história de Jorgeh Ramos terminou sem pompa nem circunstância.

Internado havia uma semana no Hospital Mãe de Deus, em Porto Alegre/RS, Jorgeh morreu ontem, aos 73 anos de idade. Chegou ao fim, melancolicamente, a história de um locutor cuja narração, nos trailers, já fazia parte da magia do cinema.

Abaixo, indico alguns links em que você vai encontrar mais informações sobre o profissional da voz. Os links conduzem ao noticiário sobre a morte do narrador e, também a uma rara entrevista dele para televisão.

*** *** *** *** *** ***

1) Aos 73 anos, morre em Porto Alegre o ator e dublador Jorgeh Ramos

2) A entrevista está aqui: Jorgeh Ramos - Um Grande Dublador & Uma Grande Voz Conhecida nos Filmes e nos Trailers de Filmes

30 de novembro de 2014

ROBERTO BOLAÑOS, O CHAVES, PARTIU SEM QUERER, QUERENDO

Roberto Bolaños (imagem), ator mexicano de 85 anos (faria 86 em fevereiro), morreu na última sexta-feira, dia 28 de novembro, em Cancún, no México. Com a saúde debilitada, havia tempos estava no centro das atenções de milhões de fãs pelo mundo afora. Bolaños, criador e intérprete de “Chaves” e “Chapolin Colorado”, durante mais de 30 anos vinha fazendo sucesso no SBT.

Qual a razão para tal empatia com o público ninguém sabe, exatamente, embora existam muitas teorias que tentam explicar o fenômeno. Todas fazem sentido, mas nenhuma é absoluta. A verdade é que “Chaves” é, simplesmente, “Chaves” e cada fã tem um motivo particular que explica sua identificação com o personagem.

A série “Chaves”, produzida pela TV mexicana Televisa, foi dublada em mais de 50 idiomas. No Brasil, desde a estreia, o seriado caiu nas graças do povo. Adultos e crianças, indistintamente, repetem os bordões do menino peralta e inocente que se esconde num barril e se lamenta dizendo “ninguém tem paciência comigo”. (imagem)

Essa e outras frases acabaram sendo incorporadas no dia a dia de muita gente que “sem querer, querendo”, reverencia o personagem repetindo seus bordões.

Da mesma forma, Chapolin Colorado é ídolo de crianças e adultos. Quem de nós não ouviu ou até disse, “não contavam com a minha astúcia” ou “suspeitei desde o princípio”, nos mais variadas situações da vida? (imagem)

Coringa do SBT, “Chaves” tem socorrido a emissora toda vez que algum horário vai mal. Basta tirar o programa que está patinando em audiência e exibir os episódios de “Chaves” no lugar. O público, cativo, responde imediatamente, pois “Chaves” não sai de moda.

Homenagem do SBT

Em reconhecimento ao sucesso das séries e, também, em homenagem a Roberto Bolaños, o SBT realiza uma exposição no Memorial da América Latina, com entrada franca. Sem data para terminar, a “Vila do Chaves” está aberta ao público, no Pavilhão México, onde os fãs podem ver ou rever alguns dos mais divertidos momentos das séries.

O endereço é Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Estação Barra Funda do Metrô – São Paulo/capital. Mais detalhes podem ser obtidos pelo telefone (0xx11) 3823-4600.

*** *** *** *** *** ***

Notícias relacionadas:

1) Morre Roberto Gómez Bolaños, criador de Chaves e Chapolin

2) SBT presta homenagem a Roberto Bolaños no Memorial da América Latina