CONTATOS, INCLUSIVE ASSESSORIAS DE IMPRENSA:
FALE CONOSCO!

Navegue à vontade

Na coluna à direita, logo abaixo das postagens preferidas do leitor, está o ZAPPING. Através dele você tem acesso direto às noticiais do dia, nacionais e internacionais, além de informações sobre quase tudo. ZAPPING. Uma central de notícias e entretenimento em que você escolhe o que quer.

26 de abril de 2014

BRAGA JUNIOR LANÇA “NO AR”, LIVRO DE HISTÓRIAS DO RÁDIO ESPORTIVO

capa livro Braga Junior Júlio Franco, colega e amigo locutor, me avisa sobre o lançamento do livro “No Ar”, de Braga Junior. O livro é, na verdade, uma coletânea dos melhores textos publicados no blog mantido pelo narrador (o link remete à única referência que encontrei na web). Histórias saborosas, de bastidores, acontecidas nas rádios em que Braga Junior trabalhou. Algumas são do tempo em que o rádio reinava absoluto, sem a concorrência da televisão.

No portal “Terceiro Tempo”, de Milton Neves, consta a informação de que Braga Junior é o único locutor ainda vivo entre aqueles que narraram a Copa do Mundo de 1958. Disputada na Suécia, marcou a primeira conquista do Brasil na competição. Nessa Copa, Edson Arantes do Nascimento, Pelé, despontou para o mundo do futebol.

A sinopse do livro diz que José Alves BRAGA JUNIOR nasceu em Vitória, Espírito Santo. Na relação de emissoras por onde passou, destacam-se a Rádio Mayrink Veiga, a Continental e a Rádio Globo, todas três do Rio de Janeiro. Em São Paulo, Braga Junior esteve na Rádio e TV Record, Rádio Panamericana, Rádio Bandeirantes, Rádio e TV Gazeta, Rádio Excelsior e Rádio Globo.

braga_junior Braguinha, como também é chamado, foi narrador esportivo dos bons e, mais tarde, virou comentarista. Versátil, encarava as mais diferentes modalidades esportivas como futebol, basquete, vôlei, boxe, tênis, golfe, hipismo e automobilismo—inclusive a Fórmula 1. Braga Junior também fez parte da equipe do “pai da matéria”, Osmar Santos. Dessa época, vale a pena destacar uma passagem contada pelo próprio Braga, registrada em 2010 por Júlio Franco, durante entrevista para pós-graduação em Jornalismo Esportivo.

Em 1986, depois de combinar com Osmar Santos que comentaria apenas os jogos do Brasil na Copa do Mundo aquele ano, realizada no México, Braguinha viajou para lá. No “pacote” do acordo havia, também, outros privilégios que acabaram não sendo concedidos. Aborrecido porque o trato não fora mantido, no dia seguinte Braga Junior foi a uma agência de viagens e comprou uma passagem de primeira classe de volta para o Brasil. Ou seja, desistiu da Copa e deixou a equipe de Osmar Santos. Em seguida, abandonou o rádio. Como se vê, o homem “não era fácil”. Não sei se essa passagem é contada “No Ar”, mas é possível que seja. 

Para falar da carreira e, com certeza, reviver passagens marcantes do esporte, que Braga Junior testemunhou como cronista esportivo, “No Ar” é lançado nesta segunda-feira, dia 28 de abril, a partir das 18 horas, em São Paulo, capital. Publicação oportuna da “Editora Intermeios”, às vésperas da Copa do Mundo, neste ano realizada no Brasil.

O local escolhido para o lançamento, o Museu do Futebol, anexo ao estádio municipal Paulo Machado de Carvalho, não poderia ser mais apropriado.

Um dos mais tradicionais estádios brasileiros, o Pacaembu foi palco de jogos memoráveis. Muitos deles, presenciados por Braga Junior.

Não perca.

*** *** *** *** ***

Fontes: Júlio Ferdinando Franco / Portal Terceiro Tempo / Editora Intermeios

Imagens: Braga Junior, reprodução / Logo Terceiro Tempo / Logo Intermeios / Museu do Futebol