CONTATOS, INCLUSIVE ASSESSORIAS DE IMPRENSA:
FALE CONOSCO!

Navegue à vontade

Na coluna à direita, logo abaixo das postagens preferidas do leitor, está o ZAPPING. Através dele você tem acesso direto às noticiais do dia, nacionais e internacionais, além de informações sobre quase tudo. ZAPPING. Uma central de notícias e entretenimento em que você escolhe o que quer.

14 de abril de 2014

TV TIBAGI, DA REDE MASSA, AFASTA APRESENTADOR ACUSADO DE INJÚRIA RACIAL

Alguém que supostamente fala alguma coisa que não deveria será punido por isso ou estará sujeito à punição se ficar comprovado que a suposta fala aconteceu? Fica meio confuso pensar assim, não é? Pois informar dessa forma é, igualmente, semear confusão. Não sei se é falta de coragem ou de transparência de determinados colegas e veículos, mas, ultimamente, o festival de suposições que assola a imprensa brasileira está passando do limite.
Veja este exemplo: “Apresentador é afastado de afiliada do SBT após supostamente chamar jogador de macaco”.
A verdade é uma só: não se informa por hipótese e ponto. Se não há certeza de algo, a melhor solução é apurar o fato. Durante a apuração, podem surgir novidades sobre o caso, mas, se não forem comprovadas, é preciso deixar esse detalhe bem claro. Usar suposição como probabilidade é maltratar a informação. Suposição se baseia em ideias sem comprovação. Probabilidade está baseada na evidência da verdade. Coisas muito diferentes, portanto.
Voltando ao caso da punição do jornalista da TV Tibagi, da rede Massa, afiliada ao SBT. Acusado de xingar Maicon Silva, jogador do Londrina Esporte Clube, o colega foi conduzido à autoridade policial. Prestou depoimento, foi liberado e deve responder por crime de injúria racial. Jornalismo é atividade que se exerce com a correlata responsabilidade.

Porém, lendo a notícia, nota-se que o relato acima depende de comprovação. O incidente, segundo se informa, ocorreu durante a transmissão da partida entre Maringá x Londrina, pela final do campeonato paranaense. Seria natural que houvesse registro sonoro da ofensa. Isso bastaria para a comprovação do fato, com o eventual endosso de testemunhas. Há indício de que o crime de injúria racial foi cometido, mas, até que seja provado, o acusado deve ser considerado inocente.
A direção da TV Tibagi contribuiu para deixar o episódio mais nebuloso. Depois de tornar público que afastou o colaborador, Lourival Santos (foto), manifestou a esperança de que o incidente seja esclarecido. Se espera pelo esclarecimento, é sinal de que não tem certeza. Se não tem certeza, não deveria comunicar o afastamento do profissional, pois esta ação equivale a reconhecer a responsabilidade do jornalista, quanto à ofensa.
Os veículos precisam descer do muro e abandonar a tendência a fazer média. Credibilidade não é roupa que se lava, passa e está pronta para novo uso. É preciso ter bom senso nos bons e maus momentos. No fim, o que interessa é a verdade. Só a verdade.
*** *** *** *** ***
Para ver os detalhes da informação, clique no link “Apresentador é afastado de afiliada do SBT após supostamente chamar jogador de macacoFonte: Portal Comunique-se
______________