CONTATOS, INCLUSIVE ASSESSORIAS DE IMPRENSA:
FALE CONOSCO!

Navegue à vontade

Na coluna à direita, logo abaixo das postagens preferidas do leitor, está o ZAPPING. Através dele você tem acesso direto às noticiais do dia, nacionais e internacionais, além de informações sobre quase tudo. ZAPPING. Uma central de notícias e entretenimento em que você escolhe o que quer.

20 de agosto de 2014

ROGER ABDELMASSIH. GENTE FINA É OUTRA COISA. CONSEGUE ATÉ FICAR INVISÍVEL

Quem viu os telejornais, ouviu rádio e navegou pela rede o dia todo, hoje, cansou de ouvir sobre a prisão do ex-médico geneticista, especialista em reprodução assistida, Roger Abdelmassih, de 70 anos. Dono de seleta clientela, cobrava pequenas fortunas de casais que recorriam a ele na esperança de serem pais, esgotados os recursos naturais.

Os ares de semideus exibidos por Abdelmassih começaram a desaparecer quando mulheres tratadas pelo especialista denunciaram à polícia, com estardalhaço da imprensa, o que ocorria na clínica de luxo, mantida por ele na região do Jardim América, bairro nobre de São Paulo, capital. Fonte: Istoé As denunciantes, 56 por enquanto, deixaram claro que a especialidade do médico era mesmo a de se aproveitar não apenas do desejo de ser mãe, mas, também, do estado de sonolência das mulheres, provocado por anestesia, durante o processo de inseminação que deveria ser artificial.

mulheres vaiam

Deveria, mas, em alguns casos—não se sabe exatamente quantos—existe a suspeita de que a gravidez pode ter sido provocada pelo método natural que transforma homens e mulheres em pais de bebês.

Para traçarmos um perfil resumido, porém revelador, de Abdelmassih, podemos dizer que se trata de um grande sacana. Algumas das vítimas do ex-médico, foram “recepcioná-lo”, no aeroporto de Congonhas, como se vê na foto. Fonte: Folha de S.Paulo

Bigode raspado, condenado a 278 anos de prisão, o homem vivia vida de luxo e conforto no vizinho Paraguai, havia três anos. Considerado foragido da Justiça, era “caçado incansavelmente” pela polícia brasileira, com o apoio, inclusive da Interpol. Essa mesma Interpol que há tempos também “caça” um certo deputado federal, acusado de superfaturamento em obras públicas, quando era governador de São Paulo. Como se vê, os “esforços policiais conjuntos” deram resultado, no caso do geneticista.

Cercada de pompa e circunstância, a prisão no Paraguai e o retorno do ex-médico ao Brasil tiveram grande cobertura da mídia. Imagens de policiais austeros (passando a ideia de extremamente profissionais) foram feitas à granel e distribuídas pelo mundo afora. É interessante notar que figuras conhecidas e carimbadas das polícias estadual e federal apareceram para participar desse “momento de glória”. Se você viu a cobertura do fato, sabe do que estou falando.

image Espantosamente, porém, esse mesmo pessoal procurava pelo ex-médico havia três anos. O que houve, que desafiou a qualificação policial extrema a ponto de todas as buscas resultarem infrutíferas?

A resposta está em reportagem do portal G1 (e em outras fontes, com certeza), sem nenhuma dissimulação: “Abdelmassih tinha apoio de políticos, policiais e cartolas, diz ministro”.

Ah,bom… quase me esqueci que gente fina é outra coisa.

*** *** *** *** *** ***

 

Imagens: Roger Abdelmassih / Prisão no Paraguai / Caçadores de mídia