CONTATOS, INCLUSIVE ASSESSORIAS DE IMPRENSA:
FALE CONOSCO!

Navegue à vontade

Na coluna à direita, logo abaixo das postagens preferidas do leitor, está o ZAPPING. Através dele você tem acesso direto às noticiais do dia, nacionais e internacionais, além de informações sobre quase tudo. ZAPPING. Uma central de notícias e entretenimento em que você escolhe o que quer.

21 de setembro de 2014

NOVA DATA REJEITADA. DIA DO RADIALISTA É COMEMORADO EM 21 DE SETEMBRO

O  Dia do radialista sempre foi comemorado em 21 de setembro. (imagem)

Desde 2006, no entanto, a data oficial do profissional do rádio, passou a ser 7 de novembro. Porém, a novidade não agradou e foi rejeitada pela categoria. Cabe ressaltar que houve desatenção e inércia por parte dos sindicatos estaduais e da Federação dos radialistas. As entidades cochilaram e só acordaram depois que a mudança foi sancionada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Colegas de todo o território nacional têm mantido o 21 de setembro, a despeito do projeto de lei nº 11.327, de autoria do deputado federal por Goiás, Sandes Junior, do PP. A intenção, segundo o autor do projeto, era homenagear o mineiro Ary Barroso, nascido num dia 7 de novembro. Fonte: UOL Educação

Entendeu, o deputado, que Barroso era um legítimo radialista por ter exercido a profissão como empregado. Edgar Roquette Pinto é considerado, oficialmente, fundador da primeira emissora brasileira. Porém, figura na condição de empresário do setor.

O argumento pesou favoravelmente na avaliação presidencial. Habituado, desde a época da militância sindical, a fazer média com o trabalhador, Lula viu uma oportunidade de marcar presença, em ano eleitoral. (imagem)

Esqueceram-se, Sandes Junior e Lula, de consultar a categoria sobre a mudança. Imposta goela abaixo, provocou mal estar entre os radialistas. A nova data não foi digerida e até agora ainda provoca rejeição. Nada a ver com Ary Barroso, mas a reação contrária surgiu em decorrência do flagrante desrespeito do parlamentar (que se diz radialista) e de Lula. Ambos desconsideraram a tradição, desde 1943, quando foi implantado o piso salarial da categoria, no governo de Getúlio Vargas. A data foi escolhida como referência para a comemoração do Dia do Radialista: 21 de setembro.

Há divergência histórica quanto à fundação da primeira estação de rádio no país. Em 1919, antes da criação da Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, outra emissora, a Rádio Clube de Pernambuco, no Recife, realizou a primeira transmissão radiofônica de que se tem notícia. Porém, oficialmente, o privilégio coube à rádio inaugurada por Roquette Pinto, em 1923. Mais tarde, em 1936, a emissora foi doada ao governo, que a mantém até hoje, porém com o nome de Rádio MEC.

Percebe-se dessa forma que, pela segunda vez, a trajetória do rádio sofreu desvio histórico. Primeiro, em relação ao padre gaúcho Roberto Landell de Moura, considerado o verdadeiro inventor do rádio, antes de Guglielmo Marconi. (imagem)

Depois, novo desvio; este em prejuízo da Rádio Clube de Pernambuco, autora da primeira transmissão sonora brasileira através do rádio. Fonte: Zero Hora - RS

O padre Roberto Landell de Moura foi vencido pela descaso das autoridades brasileiras da época e acabou sendo preterido na História, em favor de Marconi, considerado o inventor do rádio. O favorecimento à Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, até hoje é inexplicável.

Resta saber se, agora, os radialistas brasileiros vão permitir, novamente, que a desfaçatez prevaleça e, mesmo contra a vontade da categoria, a comemoração do Dia do Radialista seja mantida em 7 de novembro. erro

Se “a voz do povo é a voz de Deus”, como se afirma, o “povo do rádio” precisa ser levado em consideração. Reconhecer o erro, retroceder e corrigir uma flagrante bobagem é, também, respeitar a democracia. Que o próximo governo, seja qual for, pense nisso. (imagem)

Feliz Dia do Radialista aos colegas de todo o Brasil!

*** *** *** *** *** ***