CONTATOS, INCLUSIVE ASSESSORIAS DE IMPRENSA:
FALE CONOSCO!

Navegue à vontade

Na coluna à direita, logo abaixo das postagens preferidas do leitor, está o ZAPPING. Através dele você tem acesso direto às noticiais do dia, nacionais e internacionais, além de informações sobre quase tudo. ZAPPING. Uma central de notícias e entretenimento em que você escolhe o que quer.

14 de janeiro de 2015

VISTO COMO SALVAÇÃO DA LAVOURA LUIZ BACCI ESTÁ LEVANDO A VACA PARA O BREJO

Demorou até menos do que eu esperava. Depois de ser tirado do ar, seis meses após a estreia do “Tá na Tela” (programa que antecedia o “Brasil Urgente”), do Datena, o ‘menino de ouro’ enfrenta outro revés. Deslocado para o horário matinal, desde o último dia 12 de janeiro, tido como a solução para levantar o pífio “Café com Jornal”, Bacci passa a ser visto como problema, na Band. É o que diz o colunista Flávio Ricco, do portal UOL. Era esperado que o ‘menino de ouro’ levantasse a audiência do programa, mas isso não aconteceu.

Flávio Ricco, naturalmente, reportou o que lhe foi informado. Cumpriu o papel de jornalista. No entanto, considero prematura a cobrança em cima do novo apresentador (e o xará não tem nada com isso), pois a presença de Luiz Bacci em novo horário tem apenas dois dias. Se já vazou a ‘preocupação’ da direção da emissora, é sinal de que alguém bateu com a língua nos dentes, de propósito. A direção não faria uma bobagem dessas, pois seria o mesmo que jogar dinheiro no fogo e, ao que se sabe, ninguém do alto escalão do Morumbi apresenta sintomas de demência, embora, às vezes, a gente fique tentado a pensar que sim... O ‘vazamento’ tem tudo para ser intriga da oposição. E, como já vi esse filme antes, pode esperar que vem mais por aí.

O problema, no caso, não é Luiz Bacci. É o próprio jornal. Anunciado como uma verdadeira revolução no modo de informar, o modelo ficou só na expectativa. Além da razão apresentada por Flávio Ricco (acertadamente), qual seja, a venda de horários para igrejas, a programação que antecede o jornalístico não gera audiência.

Entrar do nada e virar o jogo é impossível. Nesse ponto, a equipe que cedeu espaço para a chegada do ‘menino de ouro’ não tem influência nenhuma. O ‘ibope’ do “Café com Jornal” segue o padrão militar de sempre ( um, dois, um, dois, um, dois). No últimos tempos, nem isso.

Que Luiz Bacci não é o apresentador ideal para o programa, está na tela, digo, na cara. Tanto mais, usando o tom desespero ao amanhecer, na tentativa de “aquecer” a geladeira. E olhe que, na segunda-feira, além do rescaldo da marcha parisiense em protesto ao atentado contra o jornal “Charlie Abdo”, houve a manifestação dos empregados demitidos das montadoras paulistas, porém, um fato que interessava mais à população do estado de São Paulo.

Imagine para os demais estados brasileiros, terem que aguentar o frenesi das ‘últimas atualizações’, que não passavam da mesma coisa ouvida desde as seis da manhã, com a equipe local.

O erro diretivo (que ainda precisaria ser melhor explicado) foi tirar o ‘menino de ouro’ do caminho de Datena.

A justificativa de corte de gastos para enfrentar o ano duro em que estamos, continua soando como farsa.

Ora, se você tem um produto que pontua razoavelmente (“Tá na Tela”), com tendência de alta, é insanidade acabar com ele de uma hora para outra e apostar num horário perdido, como é o caso das manhãs da Band. Aquilo não tem salvação.

Daniel Bork, o cozinheiro simpático que sucede ao “Café com Jornal” tem caprichado nas receitas, mas, mesmo assim, não consegue fazer a mágica de tornar o período matinal da emissora, mais palatável.

Não acredito que os motivos que levaram à mudança sejam, meramente, econômicos. Aí tem coisa. Se a vaca, realmente, for para o brejo, a culpa não terá sido de Luiz Bacci.

Tô certo ou não to? Me ajuda aí, pô!

*** *** *** *** *** ***

A informação de Flávio Ricco, do portal UOL, está no link “Contratado como solução, Luiz Bacci vira problema na Band